Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced

Other books that might interest you

  • Azul e verde - cover

    Azul e verde

    Isabel Milhanas Machado

    • 0
    • 1
    • 0
    "Azul e verde" é um trabalho a quatro mãos. Não são histórias ilustradas, são desenho e texto como autoria de um livro, duas ferramentas que se conectam e se influenciam. Duas corridas em paralelo, como enunciado pelas autoras. O livro de Isabel Milhanas Machado e Rafaela Nunes confronta-nos subtilmente com a perversidade do mundo, onde a diferença se faz ao pontapé. É sobre o que passou e o que está por passar. Por viver e desbravar. "Azul e verde" fala-nos dos rios que crescem por dentro, da morte e do amor, de mães e pais, da descoberta da vida adulta pelo olhar ainda sensível da juventude. Temas inevitáveis em qualquer livro de poesia escrito por habitantes deste mundo.  Os textos de Isabel Milhanas Machado aventuram-se pelo desafio de Herberto Helder, trazem "o talento de saber tornar verdadeira a verdade". Os desenhos de Rafaela Nunes interagem com essa textualidade, não em busca de complementar ou ilustrar o texto, mas criando uma composição visual distinta e conjunta. Mesmo "estando de rastos", este livro fala da luta, da sobrevivência, de enfrentar o fogo na estrada e chegar com vida ao fundo da ferida. Uma leitura que, abordando muito do que existe de doloroso, relembra-nos de algo belo, da pedra preciosa que nos incita a continuar.
    Show book
  • Silêncio - cover

    Silêncio

    Marcelo Moraes Caetano

    • 0
    • 0
    • 0
    Os 68 poemas do novo livro ‘Silêncio’, de Marcelo Moraes Caetano, são prefaciados por Roberto Crema e pelo Professor Antonio Carlos Secchin, que encontram, nesta obra, a sinergia e a interação do autor com os poetas clássicos, compositores e profetas. Roberto Crema anota que o autor é “um artesão peregrino das letras, das melodias, dos insights e da embriaguez da poesia”, um “buscador inquieto, que aprendeu a saber não saber”, premissa para um poeta que se queira invulgar. Já o Professor Secchin observa em Marcelo a faceta de um “poeta nômade” que atravessa não só espaços culturais e geográficos, como transita bem na forma poética, caminhando entre o verso livre e a prática das formas fixas, como nos belos sonetos deste ‘Silêncio’. E está certo o autor em empreender conversas e reflexões infindas com aqueles que vieram antes dele, ou mesmo de caminhar por intermédio do mundo e do fazer poético. Se o dom da profecia é, como dito por Paolo Prodi, praticado apenas por quem sabe ler os signos dos tempos, se é o dizer de Deus na voz do povo, a poesia é a arte da palavra e a palavra em estado de arte. Neste sentido, Marcelo, neste livro, mostra que segue as tradições poética e profética, na medida em que ambos, em seus ofícios, precisam escutar o silêncio, o invisível, o inefável, o divino. E é isto a que Marcelo se dedica em toda a sua vida, em todos os seus fazeres e saberes: a escutar o silêncio essencial, a perscrutar o vazio escuro e criador que precede a luz, e a praticar o ato primordial que foi concedido ao Homem pelas divindades: a criação.
    Show book
  • Fanta Groselha - cover

    Fanta Groselha

    Makena Onjerika

    • 0
    • 0
    • 0
    Fanta Groselha  é um retrato sombrio dos sem-abrigo e da vida dos meninos de rua em Nairobi. O conto centra-se em Meri, cuja história é contada por um coro de narradoras sem rosto e sem nome que são também suas consortes. Navegam pela vida sem rumo certo a pedir esmolas, a roubar aos peões, a esquivar-se às autoridades, a venderem o corpo. 
    Fanta Groselha é um conto cativante pela sua coragem, humor e inventividade linguística. O seu forte sentido de lugar faz com que seja uma experiência de leitura imersiva e gratificante.
    Show book
  • Pátio - cover

    Pátio

    Jorge Reis-Sá

    • 0
    • 0
    • 0
    A poesia de Jorge Reis-Sá já é conhecida há muito nos circuitos literários brasileiros, eis que a extensão e a qualidade da sua biografia dispensam maiores apresentações nos meios editoriais. Neste ‘Pátio’, após ter publicado onze livros nos últimos vinte anos, Jorge Reis-Sá torna a apresentar o seu texto poético repleto de simbologias, em que inicia pela contemplação de ‘Lápide’ e atravessa os espaços abertos, de forma elegante e em passos precisos, com excertos, referências e poesias de poucas palavras e muitos significados. Todas elas se estendem debaixo desta espécie de sol morno, quase frio, que emoldura sentimentos, incertezas, inquietudes, sensações inusitadas do confronto permanente entre a tristeza e a felicidade. Afinal, é diante da morte que somos capazes de sentir a presença concreta da vida. Neste pátio imaginário, dialoga Reis-Sá com alguns dos grandes poetas do seu tempo, como Daniel Faria, Gastão Cruz, Luís Quintais, Pedro Mexia e em especial António Carlos Cortez, prefaciador deste belo volume, e que anotou com propriedade o “realismo de nevoeiro, pouco nítido” do qual exsurge a vida, essa hera forte e resiliente que cresce enquanto não estamos a olhar, e do qual igualmente nascem os poemas de Reis-Sá, palavras que encerram os espaços míticos nos quais o autor, de modo mágico, faz(-nos) “recordar quem somos e quem tivemos na nossa vida”.
    Show book
  • A Náusea - Um livro que pura poesia concreta arte literária e pura cultura contemporânea com tons de filosóficos e de crítica social - cover

    A Náusea - Um livro que pura...

    Breno Pitol

    • 0
    • 0
    • 0
    Está a procura de um livro com poesias concretas e pura arte literária?A náusea é a melhor dica para quem quer ler livro de poesia concreta, com abordagens reflexivas e filosóficas. As poesias criam imagens e transmitem mensagens que trazem ao leitor uma sensação de entendimento e muita crítica social.Sinopse:Náusea... sentido que se tem quando se vê sentindo algo que classificamos como nojento, mas também quando nos vemos em situação de estresse.Este livro de Breno Pitol Trager é uma nova significação do que já conhecemos como náusea. Escrito em poesia concreta, com estilo pós-contemporâneo, o livro é uma mistura entre doxa e maiêutica, entre reflexão de forma crítica, às vezes filosófica, assim como apresenta o opinar revestido de preceitos, de forma informal.Os versos se configuram em imagens aparentemente engraçadas, trazendo, à primeira vista, apenas algumas palavras com letras desconexas, mas sobretudo revelam questões que envolvem assuntos diversos do cotidiano brasileiro.Não basta olhar os versos lendo, é necessário se inspirar no seu cognitivismo buscando em cada página o essencial narrado pelo autor, o que ele nos afronta a refletir.Não é apenas a sinopse que ter permitirá entender o livro, mas ver, tocar, ler e respirar cada página.Este livro é um convite à leitura e à apreciação a uma bela manifestação da arte literária.
    Show book
  • Broquéis - cover

    Broquéis

    João da Cruz e Sousa

    • 0
    • 0
    • 0
    Cruz e Sousa foi um poeta brasileiro, considerado um dos precursores do movimento simbolista no Brasil. Seus poemas são marcados pela musicalidade e pelo sensualismo, mesclado com uma espiritualidade e religiosidade de maneira às vezes espantosa. Broquéis foi seu livro de estréia, e contém algumas de suas obras mais famosas, como o poema Antífona, peça de abertura do livro. (Sumário escrito por Leni)
    Show book