Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
As Esquecidas ermâncias de Destino - cover

As Esquecidas ermâncias de Destino

Diego Kullmann

Publisher: Jaguatirica

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Encantamento. O poder que as palavras têm de nos fazer mergulhar em magia e feitiço, numa sedução palavresca que nos pega pela mão e pelos olhos. Fascinação, a la Manoel de Barros, numa vontade de medir o mundo com os sentidos. Aqui olfato, tato e visão ganham outra dimensão, outros desdobramentos. Com prefácio de Marcelo Moraes Caetano, 'As esquecidas ermâncias de Destino' é uma narrativa poética de dobrar as vistas em contemplação, como toda coisa que “entamanha”, que faz rebuliço nos sentidos, como se pudéssemos “engolir respiro”. As palavras de Diego Kullmann são “rabiscos de inventariar mundos”, como se a beleza do silêncio estivesse presente em cada alma que abre uma página do livro e fizesse com que o leitor fosse livre – verdadeiramente livre para percorrer as histórias e se deleitar entre vírgulas e pontos. Livre para navegar em sentidos próprios. É preciso “chorar o choro doído pra fora”, ouvir o “canto que num é de caber gente”, estar “na companhia do sopro do mundo” e “adequar o nome ao tempo”, pois a linguagem do livro nos leva à epifania e à compreensão de que “A verdade é coisa que tá dentro da gente”.
Available since: 01/17/2020.

Other books that might interest you

  • O Quarto Sábio - do original - The Fourth Wise Man - cover

    O Quarto Sábio - do original -...

    Henry Van Dyke, Leo Kades

    • 4
    • 3
    • 0
    O LIVRO QUE INSPIROU O FILME - O Quarto Sábio estrelado por Martin Sheen e dirigido por Michael Ray Rhodes.
    
    > Um livro sobre a verdadeiro significado de seguir a Cristo
    
    Um livro que nos fará refletir sobre o verdadeiro sentido da espiritualidade e como podemos mudar o mundo ao nosso redor transformando-o em nome do amor, da bondade e do perdão."O Quarto Sábio" é um daqueles livros em que você deve ler de tempos em tempos, como uma forma de avaliar a sua caminhada espiritual.
    
    Não te assombres se em algumas paginas você, de alguma forma, se identificar com Artaban, ou até mesmo se emocionar com a trajetória desse homem, cuja vida servirá de inspiração para todos nós.
    Show book
  • Mitomaníaca - Poesias - cover

    Mitomaníaca - Poesias

    Aline Djokic

    • 0
    • 1
    • 0
    Os 102 poemas de Aline Djokic neste ‘Mitomaníaca’ passeiam pelos mitos e alegorias que cercam a construção do universo e da persona feminina ao longo da humanidade, confrontando-os com os desejos de rebeldia e insubmissão que caracterizariam o primeiro dos mitos femininos, Lilith. É esta, aliás, a imagem que se dá à estampa, em uma figuração mais clássica e menos pagã, de uma mulher que flerta, não apenas com o pecado, mas com a liberdade; não com a desobediência inaugural, mas com a consciência da própria plenitude. Nesta viagem através de estereótipos e arquétipos, encontramos a voz poética forte e desafiadora dos clichês desde sempre atribuídos àquelas que eram capazes de pensar por si, refletir e, mais que tudo, questionar. A poeta, paulista de Presidente Prudente (SP), nasceu em 1979 e é mestre em Língua e Literatura Portuguesa pela Universidade de Hamburgo, Alemanha, país onde vive há 20 anos. ‘Mitomaníaca’ é o seu livro de estreia.
    Show book
  • As visões de Santa Tereza - cover

    As visões de Santa Tereza

    Francisco Mangabeira

    • 0
    • 0
    • 0
    Único livro em prosa do poeta. Em sua obra podemos perceber o escritor espontâneo e natural, às vezes melancólico, contraditório, de alma complicada, grande expoente do movimento simbolista.
    Show book
  • Sonetos - Poemas de Amor - cover

    Sonetos - Poemas de Amor

    Luís Vaz de Camões

    • 0
    • 0
    • 0
    Luís Vaz de Camões (c. 1524 — 10 de Junho de 1580) é frequentemente considerado como o maior poeta de língua portuguesa e dos maiores da Humanidade. O seu gênio é comparável ao de Virgílio, Dante, Cervantes ou Shakespeare. A obra lírica de Camões foi publicada como "Rimas", não havendo acordo entre os diferentes editores quanto ao número de sonetos escritos pelo poeta e quanto à autoria de algumas das peças líricas. Alguns dos seus sonetos, como o conhecido "Amor é fogo que arde sem se ver", pela ousada utilização dos paradoxos, prenunciam o Barroco.  Nesta coleção, apresentamos uma recolha de Sonetos de Camões cujo tema é o amor. (Sumário adaptado da Wikipedia por Leni)
    Show book
  • Olhos de espanto - cover

    Olhos de espanto

    Nina Schilkowsky

    • 0
    • 0
    • 0
    'Em “Olhos de espanto”, Nina pensa filo­soficamente nossa condição inata de produtores de reflexões e questiona­mentos. Afinal, como Platão — o mestre maior da filosofia — já reconhecera, nos idos da Grécia Antiga, uma vida não questionada não merece ser vivida. Olhos de espanto é o fruto de uma coletânea de poemas que questio­nam certezas, observam um mundo tão complexo com a ingenuidade e leveza da infância, um livro que bus­ca o sentimento esquecido de nossos desejos mais puros, e que resgata em cada um de nós essa capacidade de nos emocionarmos de novo.'
    Show book
  • Havê-la enquanto se vive - Coletânea de 150 melhores poemas e o inédito O MAR MAIS AZUL - cover

    Havê-la enquanto se vive -...

    Thereza Christina Rocque Da Motta

    • 0
    • 0
    • 0
    Neste novo trabalho, Thereza Christina Rocque da Motta reúne textos de sua produção lírica, cujo fio condutor está diretamente relacionado com o mundo grego. Não se trata de tarefa fácil, posto que a civilização grega é um dos principais pilares do mundo ocidental e, por isso mesmo, tem sido objeto de diferentes tipos de visitação ao longo dos mais de três mil anos de sua existência, principalmente se considerarmos os seus primórdios na cultura cicládica, desenvolvida antes de 3200 a.C. No entanto, Thereza habilmente tece a sua poesia, não apenas com imagens fortes, palavras e estruturas bem articuladas no labor poético, mas de modo a nos mostrar que o mundo grego sempre será um percurso possível (e, talvez, necessário) para o nosso autoconhecimento.Elementos caros ao mundo grego se fazem presentes desde os poemas iniciais e atravessam todo o livro. Um deles é a relação do mundo grego com o mar. Logo no primeiro poema, Thereza (ou se preferirem, o eu lírico que anima seus poemas) chama-nos a atenção para essa relação, que pode ser tão forte que, como nos dizem dois de seus versos: “O mar está lá a? tua espera / mesmo que não estejas lá”. Ou seja, o ser tocado pelo ethos grego leva o mar dentro de si, mesmo estando distante de sua visão. A sua presença é sempiterna e é um constante topos de referência, ainda que experimentado como ausência. No poema “Alumbramento”, o mar é a tumba que testemunha e resguarda a passagem dos gregos pelo mundo: “Os odres de azeite e vinho desceram até o fundo do mar / e lá ficaram”. Aqui, o mar é o livro onde estão gravadas as ações dos antigos gregos, nos dando testemunho de sua aventura, de seus negócios e de seu legado, metaforizados pelo “azeite” e pelo “vinho”. Em outro poema (que não cito o nome para que o leitor possa descobri-lo por si mesmo), o mar é a própria substância que molda o sentido de existência do ser em sua passagem pela vida: “O mar, póstumo e ferido, / que, antigo e breve, / molda meus desígnios”. O leitor sensível não poderá perder a oportunidade de se deixar levar pela força desses versos, que unem passado e presente para nos lembrar que o mar também representa as forças que estão além de nossa própria potência e que, de algum modo, possuem muita influência na modelagem de nosso destino.Do prefácio de William Soares dos Santos
    Show book