Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Poemas de vida e de morte de um médico à noite - cover

Poemas de vida e de morte de um médico à noite

Gustavo Nobre de Jesus

Publisher: Gato-Bravo

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

O escritor e poeta Gustavo Nobre de Jesus, um médico habituado aos longos plantões no hospital da cidade de Lisboa, nos seus 14 poemas nos fala sobre aquilo que o assombra nas noites mais frias, sobre ‘estar só / estar indelevelmente só’, já que há sempre algo de dramático em escrever poemas. As noites são cativas, as solidões são desperdiçadas entre os barulhos da cidade, televisões, leituras e crianças que correm no andar de cima. ‘Nós éramos um filme, Hollywood era Lisboa, eu sentia-me Bogart e junto aos lábios fiz o que pude’. Assim são os poemas - crus e de uma realidade arrebatadora - de Gustavo Nobre, um homem, um médico, que se depara com a crueza da vida nos corredores assépticos de um hospital e, paradoxalmente, é arrebatado nas páginas daquilo que escreve, com a assepsia do contato humano, sempre mediado por livros, telas, links do Youtube e aplicações de iPad.

Other books that might interest you

  • Glissando Versos - cover

    Glissando Versos

    Ingryd Lira

    • 0
    • 0
    • 0
    A saudade vem como gume, mas causa apenas um pequeno corte (antes profundo agora fácil de cicatrizar). Passos que ficam perdidos na areia. O mar que leva e trás. Assim também se faz a vida: muitas coisas são tiradas (às vezes à força ou por tolice, falta de merecimento talvez) e outras chegam como atração de um imã. Novos sentimentos surgem e já não existem mais arrependimentos pelo que foi ou poderia ser feito. Há o aqui, o agora e muita sede de vida. Tanta coisa se percebe quando se aprende a enxergar além da retina. Ser humano vive de passado e futuro, espaço-tempo, lembranças e sonhos. A verdadeira arte da vida consiste em agarrar o presente, colocá-lo em um cavalete como um quadro em branco e deixar a alma tomar conta. Também é imprescindível que a fé não seja apenas uma fachada para a existência. Já precisei consertar meu pincel que estava quebrado...
    Show book
  • Primaveras - cover

    Primaveras

    Casimiro José Marques de Abreu

    • 0
    • 0
    • 0
    Casimiro nasceu na Fazenda da Prata, em Capivary (Silva Jardim).A localidade onde viveu parte de sua vida, Barra de São João, é hoje distrito do município que leva seu nome, e também chamada "Casimirana", em sua homenagem. Estudou em Nova Friburgo. Com 13 anos foi para o Rio de Janeiro para trabalhar com o pai.Em 1853 foi para Portugal, onde entrou em contato com o meio intelectual e escreveu a maior parte de sua obra. Foi um dos poetas mais populares do Romantismo no Brasil. Seu sucesso literário, no entanto, deu-se somente depois de sua morte, com numerosas edições de seus poemas, tanto no Brasil, quanto em Portugal. Deixou uma obra cujos temas abordavam a casa paterna, a saudade da terra natal, e o amor - mas este tratado sem a complexidade e a profundidade tão caras a outros poetas românticos.Em 1859 editou as suas poesias reunidas sob o título de Primaveras.(Resumo adaptado da Wikipédia por Vicente)
    Show book
  • A terra em pandemia - cover

    A terra em pandemia

    Aleilton Fonseca

    • 0
    • 0
    • 0
    A Terra em pandemia é uma selfie – um instantâneo – em versos do escritor Aleilton Fonseca. Aqui lemos sobre a reação da humanidade surpreendida por um evento que entrará para a história do século 21. A Terra foi invadida por um vírus mortal que não para de elevar o número de vítimas, como um corpo querendo expulsar seus predadores. Dividido em cinco partes, este longo poema comunica aos leitores a experiência do que tem sido os desafios de nosso tempo. O caos, a morte, os eventos, os lugares, o confinamento em massa, a falta de cura e a esperança na ciência atravessam seus versos com detalhes que nos remetem à tentativa de Boccaccio e Camus de capturar temas similares em suas obras. E se o que todo autor escreve é um registro do seu tempo, Fonseca o faz de maneira marcante com sua pena afiada. (Itamar Vieira Junior, contista, romancista.)
    Show book
  • #Sororidade - cover

    #Sororidade

    Aldirene Máximo

    • 0
    • 0
    • 0
    Amizade
    A mais perfeita sintonia entre
    Meu Coração e o seu
    Importante laço feito por Deus!
    Zelo cada momento pois
    Amigas são verdadeiras irmãs
    Duas Almas unidas por uma forte
    Emoção: A Luz da Manhã.
    Show book
  • Corvos cobras chacais - cover

    Corvos cobras chacais

    António Carlos Cortez

    • 0
    • 0
    • 0
    'Corvos Cobras Chacais' nasceu de uma sequência alargada de poemas em prosa e constituiu um capítulo participante da antologia 'A dor concreta' (ed. Tinta da China) do poeta António Carlos Cortez, em uma prévia de um livro futuro, este que agora se nos apresenta. Bem reconhece Pedro Mexia quando diz que 'depois de Daniel Faria não houve na poesia mais recente em Portugal quem arriscasse em construir um tom elevado e ao mesmo tempo realista e concreto, algo em que Cortez é exímio'. Em 'Corvos Cobras Chacais', Cortez maneja a forma poética para falar de uma forma inesquecível, indelével, daquilo que mais nos assombra: da crueldade da vida e da passividade dos homens.
    Show book
  • Poetryficar: a poesia que você precisa - cover

    Poetryficar: a poesia que você...

    Nicasio Viana

    • 0
    • 0
    • 0
    Todos precisam da “Fantasia”* da poesia para sobreviver,
    apesar de alguns não saberem disso ainda.
    Este livro explora diversos aspectos da vida, da morte, da
    família, da própria poesia, do tempo e da esperança. Não
    há como você ler todo este livro e não encontrar a poesia
    que você PRECISA, mesmo sem saber que precisava.
    Se pararmos para pensar, a vida em si é uma “Poesia Infinita”*,
    que invariavelmente nos leva ao “Xeque-Mate”*.
    Show book