Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Se eu não te amasse tanto assim - cover

Se eu não te amasse tanto assim

Paulo Sergio Valle

Publisher: Litteris

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Livro baseado em histórias reais com personagens da musica e do esporte.Paulo Sergio Valle imprime nos contos a sua marca de escritor, o seu estilo, a sua busca pelo sentido da vida, características de sua mente inquieta e questionadora.
Available since: 05/09/2019.

Other books that might interest you

  • Arte Santeira - barro e madeira no imaginário na devoção e no trabalho do povo - cover

    Arte Santeira - barro e madeira...

    Marco Antonio Fontes de Sá

    • 0
    • 0
    • 0
    á vários anos eu estava no Piauí fotografando artesãos e encontrei um santeiro, Charles de Castro Silva, modelando uma imagem de São Camilo em barro. Ele me contou que quando era menino, na época do Natal, sempre pedia para que a mãe comprasse um presépio, mas nunca era atendido. Um dia resolveu modelar, ele mesmo, um presépio de barro. Dessa época em diante, nunca mais parou de fazer santos de barro. A motivação de Charles é o ponto de partida para esta pesquisa, cujo objeto geral é a Arte Santeira, frequentemente chamada também de Arte Imaginária por vários autores.Quantos artesãos deve haver hoje que, como Charles, são motivados por uma devoção?Quantos esculpem santos em madeira ou barro porque se encantaram com essa forma de arte?Quantos fazem a mesma coisa porque descobriram que podem viver desse trabalho?É de se esperar que todo artesão tenha a escultura como forma de trabalho e de geração de renda, mas também é de se esperar que essa motivação possa ser consequência de uma das outras, e que nem sempre seja a razão primeira do engajamento nessa produção artística. Charles é um exemplo de alguém que fez do seu desejo de contemplar um presépio, uma forma de ganhar a vida. Os trabalhos sobre arte santeira que existem publicados no Brasil são, na maioria, análise de peças do barroco colonial dos acervos de museus e de colecionadores, ou são biografias de artesãos contemporâneos. Esse trabalho tem a intenção de ser uma fusão dessas duas formas deexaminar o tema.
    Show book
  • Corpo Intruso - uma investigação cênica visual e conceitual - cover

    Corpo Intruso - uma investigação...

    Estela Lapponi

    • 0
    • 0
    • 0
    Você já se sentiu intrusa em algum lugar? Sentiu que, por algum motivo, sua presença provocou assunto, despertou curiosidade ou mesmo estranheza? Corpo Intruso é o que não está convidado. O que não é visto como parte. O que pode ser indigesto ao mesmo tempo que pode ter certo humor.Corpo Intruso, de Estela Lapponi, versa sobre a presença "não autorizada" - por quem?! - e, por isso, é transformadora. A partir da sua trajetória de atriz para artista DEF, a autora conta como o AVC, sofrido em plena cena, transformou não só sua  maneira de viver (n)o mundo e (n)a arte, como mostra a potência que é abandonarmos padrões e verdades coloniais. Como é potente nos permitirmos o desafio e deixarmos que as mudanças ocorram. Aticem. Explodam. E mudem os eixos. Sim, tudo no imperativo e no presente, porque o futuro é hoje e é urgente a constante evolução.Corpo Intruso chegou sem avisar, se impôs na carne quando a artista viveu em terras estrangeiras e se desdobrou em práticas artísticas nas diversas linguagens - performance, workshop, intervenção, palestra, curta-metragem - produziu pensamento, inventou Zuleika Brit, que virou verbo – zuleikar! – criando um modo descolonizado de existir - ¡Zuleikate!Corpo Intruso agora é livro. Essas faixas que agora estão em seus ouvidos são um convite de Estela a ressignificar e enxergar a estética própria e única da Arte produzida pelo corpo DEF (Pessoa com Deficiência).
    Show book
  • Prosa urbana - cover

    Prosa urbana

    Vicente Loureiro

    • 0
    • 0
    • 0
    A prosa urbana de Vicente Loureiro é uma preciosidade para quem vive, trabalha, pensa e discute o lugar onde exercitamos nossos direitos, descansamos nossas almas, prosperamos como cidadãos e encontramos nossos pares e buscamos nossa felicidade coletiva: a cidade.  Numa linguagem dirigida ao grande público, acessível, de fácil assimilação e compreensão, Vicente nos brinda com uma série de crônicas curtas e informativas mas profundamente questionadoras de temas que vão desde o conceito básico de cidade, passando pela governabilidade da metrópole, até os caminhos do futuro e os direitos do pedestre e de cada cidadão a espaços públicos qualificados e qualidade de vida urbana.
    Show book
  • Divagar Devagarinho - cover

    Divagar Devagarinho

    Fernando Mf Oliveira

    • 0
    • 1
    • 0
    “DIVAGAR, DEVAGARINHO” lança um olhar sobre a nossa cultura e tenta sondar a alma nacional através dessa linguagem universal - a música e a poesia. 
     
    Quer, também, através da perspectiva do homem e do profissional, da fé e do trabalho, analisar temas tão diversos e importantes quanto o Sistema Único de Saúde, o futuro da Humanidade, a alegria de viver, a motivação que dá sentido ao levantar em plena segunda-feira pela manhã.
     
    Não será “um samba do crioulo doido”, mas é um convite a que você entre na “roda” e celebre a vida, as crianças e as utopias - todos aqueles sonhos que impulsionam a Humanidade para o futuro, para o progresso, para a justiça e para a liberdade.
     
    Embalados por estes “acordes” e estas “letras”, desejo percorrer, devagarinho, porque assim devagarinho que a vida foi moldando tanto o profissional quanto o homem, alguns caminhos que o coração humano anseia encontrar, desesperado por achar alguma placa que indique a saída.
    Show book
  • Elton John - cover

    Elton John

    Carlos Santa Rita

    • 0
    • 0
    • 0
    O cara toca piano desde seus 3 anos de idade, seu verdadeiro nome é Reginald, a tempo ele descobriu que com esse nome ele não chegaria a lugar algum então passou a usar o nome artístico de Helton John. Seu pai nunca se entendeu com ele.
    Show book
  • Frank Sinatra - cover

    Frank Sinatra

    Carlos Santa Rita

    • 0
    • 0
    • 0
    Dado como morto ao nascer esse monstro sagrado da música mundial tem muita história. Frank Sinatra foi cantor, ator e produtor e era filho de imigrantes italianos. Você sabia que ele tinha mais de 50 perucas? Sabia que ele tinha uma cicatriz do lado esquerdo do rosto que ia do canto da boca até o maxilar e que tinha uma das orelhas em forma de couve-flor? Sinatra detestava mulheres que fumavam. Ele foi o primeiro cantor que fez uso da amplificação de sua voz. Sabia que ele tentou suicídio várias vezes? Ele lavava as mãos várias vezes por dia e tinha ligação com a máfia. Sinatra teve câncer e foi uma pessoa bipolar e violento. Dizem que ele ficou até demente antes de morrer. Mas o dono da voz tem muito mais casos estranhos e nós contamos tudo para você aqui no Music And History.
    Show book