Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Perdidas - Histórias para crianças que não têm vez - cover

Perdidas - Histórias para crianças que não têm vez

Kátia Bandeira de Melo Gerlach

Publisher: Ímã Editorial

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Contos e poemas para as meninas e meninos mortos por bala perdida no Rio de Janeiro, por escritores consagrados. Projeto originalmente publicado, de forma anônima, na São Paulo Review. Parte da receita desta edição será revertida para ações de educação e atendimento de jovens em comunidades cariocas.

Other books that might interest you

  • Hic!stórias - Os maiores porres da história da humanidade - cover

    Hic!stórias - Os maiores porres...

    Ulisses Tavares

    • 0
    • 0
    • 0
    Walt Disney, Edgar Allan Poe, Ernest Hemingway, Noel Rosa, Luís XIV, Emílio de Menezes, Kimi Raikkonen, Og Mandino, Carlos Gomes, alguns astros e estrelas de Hollywood, além de personalidades políticas e religiosas, são algumas das personagens das histórias embriagadas e divertidas contadas neste audiolivro por Leonardo Cortez (narrador) e Ulisses Tavares (autor). Com um olhar sarcástico e uma linguagem bem-humorada, resultado de muita leitura e pesquisa, Ulisses Tavares conta muitas histórias curiosas envolvendo o consumo excessivo de álcool. Conta que Oxalá estava bêbado quando criou os homens; que o fundador do AA, Bill Wilson, parou de beber, mas continuou com os cigarros, as amantes e o LSD; que a McLaren contratou um “babá” especial para controlar as bebedeiras do corredor finlandês Kimi Raikkonen; que Edgar Allan Poe quando bebia citava livros e autores que nunca existiram, inventava citações em idiomas incompreensíveis e acreditava em suas próprias mentiras; que Walt Disney, além de criar um pato e um rato, bebeu feito um gambá. Ulisses Tavares é escritor, dramaturgo, jornalista, compositor, poeta e historiador heterodoxo. Tem mais de 100 livros publicados. Escreve sem beber, mas ninguém acredita. Leonardo Cortez é ator e dramaturgo formado pela ECA/USP.
    Show book
  • O homem que gostava dos russos - e outros contos - cover

    O homem que gostava dos russos -...

    Rafael Bassi

    • 0
    • 5
    • 0
    Rafael Bassi professa a fé nas narrativas. Mas sem perder o chão. Sabe que toda literatura deve fazer parte da vida, e que "não se aprende a pedir um chorizo lendo Proust". Suas histórias se passam em Buenos Aires, Paris, Porto Alegre, Curitiba. Nelas, gente célebre como Borges e Cortázar, Stálin e Putin, Coetzee e Anna Comnena, se mistura a uma galeria comovente de anônimos: um engenheiro fugido da Rússia, um suicida ferroviário, uma família unida na hora de se livrar de um cadáver, um enfermeiro sádico. Todos vivem a iminência de uma mudança. Esperam por algo, grandioso ou não, que lhes sirva de destino.
    Show book
  • Afinidades - cover

    Afinidades

    Edilson Novaes

    • 0
    • 0
    • 0
    Afinidades é inspirada no livro: Afinidades Eletivas de Johan Wolfgang Goethe. A história se desenrola no charme discreto de Belo Horizonte: capital de Minas Gerais, uma cidade linda, muito divertida e ótima para se viver. Paulo Henrique e sua noiva Luciene vivem anos de um relacionamento perfeito, onde nada parece ser capaz de abalar a estabilidade conquistada. A felicidade do casal é perturbada com a chegada de uma garotinha. Natália é uma criança numa intensa crise de identidade. Não conhece sua origem, foge de um passado ao qual estão ligados. Paulo Henrique e Luciene hesitantes acolhem Natália e uma revelação do passado que poderá destruir todos os seus projetos de vida. Assim, a rotina do casal transforma-se de maneira radical. Os laços de amor, a fidelidade e o casamento, enfim, as afinidades compartilhadas, serão suficientes para superar os erros do passado? Paulo Henrique e Luciene, um casal apaixonado. Ele é um analista financeiro idealista, espirituoso e honesto ao extremo. Ela é uma advogada encantadora e charmosa que instiga o que há de melhor em um homem. Eles estabelecem um namoro estável e próspero. Uma vida repleta de sonhos na nostálgica cidade de Belo Horizonte. Natália é uma criança numa intensa crise de identidade. Não conhece sua origem, adolescente de treze anos, da cidade de São Paulo-SP, foge de um passado violento, com o desejo de uma nova vida. Quando Natália bate a porta de Paulo Henrique trazendo consigo uma revelação que desafia todo o seu presente, haverá alguma afinidade entre eles após uma revelação que afetará para sempre a vida idealizada?
    Show book
  • Para não dizer que ficou sem título - Microcontos - cover

    Para não dizer que ficou sem...

    Rosane Nicolau

    • 0
    • 0
    • 0
    Rosane Nicolau lança novo livro de contos em que 140 toques é o limite de cada microconto, ao estilo do Twitter. ‘Para não dizer que ficou sem título’ é o seu terceiro livro, depois de ‘Outrorretratos’ e ‘Margem de Erro’, e os temas são os mais variados, indo desde o próprio afã do escritor no mundo digital até os pequenos fenômenos da vida moderna e variações surpreendentes de provérbios populares e contos de fadas, passando também por paráfrases de autores célebres. Com projeto gráfico de Thiago Lacaz e apresentação de Alexandre Coslei, o livro se revela “um oceano de pequenos arquipélagos”.
    Show book
  • Eles não moram mais aqui - cover

    Eles não moram mais aqui

    Ronaldo Cagiano

    • 0
    • 0
    • 0
    Eles não moram mais aqui, o 17o. livro do autor Ronaldo Cagiano, reúne dezasseis contos escritos ao longo de nove anos. Publicado em 2015 no seu país natal, o livro ganhou o Prémio Jabuti de 2016, um dos mais importantes prémios literários nacionais do Brasil. Nesta obra é possível encontrar belas referências aos grandes nomes da literatura mundial, como James Joyce, Rainer Maria Rilke, e especialmente da literatura brasileira, como Clarice Lispector, Nuno Ramos, Mário Faustino e Marçal Aquino. O texto de Cagiano não é descanso, não é placidez, não é um passeio de domingo em jardins floridos. A sua beleza está, justamente, no seu estilo bruto, na dissecação de dores e tormentas. Como o crítico, poeta e escritor André di Bernardi sugere, ao ler Cagiano damo-nos conta da fúria do tempo e de que 'somos literalmente tragados diante do fluxo furioso da vida'.
    Show book
  • Pausa - 25 Contos de Moacyr Scliar - cover

    Pausa - 25 Contos de Moacyr Scliar

    Moacyr Scliar

    • 0
    • 0
    • 0
    Um homem busca espaço para apoiar seu cotovelo ao lado de uma mulher gorda no avião. O amor do ventríloquo se expressa pelas vozes dos seres inanimados. A vaca é transfigurada em fonte de alimento, de sonho, de desejo. Moacyr Scliar surpreende até quando se propõe a ser simples, como a saída que encontra para vencer o estresse no conto Pausa, ou quando conta sem floreios o que faz um corretor de imóveis para vender um apartamento de cobertura.Sua matéria-prima é o que sabemos e o que não queremos saber da vida. Suas ferramentas são o insólito e o surpreendente. Ler Moacyr Scliar estimula a curiosidade, dá medo, faz rir, arrepia, chega a desafiar a inteireza do estômago, o ritmo da respiração. Ao final, a arte se recompõe, nos afeiçoamos à mais estranha das criaturas, acostumamos com os mais indigestos rituais, nos apaziguamos diante das cruezas humanas e aceitamos que Moacyr tinha razão: o ser humano é mesmo esquisito.Em meio aos contos reunidos neste audiolivro há também a fantasia, que cresce desmesuradamente em No Seio de Abraão, e o delicado lirismo da história do ventríloquo que não consegue expressar o seu amor.Outros contos, como O Tio Pródigo, Escalpe, Bandido, O Candidato, Comendo Papel e Uma Vaga vão fundo na vileza, no desejo desenfreado, na capacidade de engendrar caminhos obscuros do ser humano. Também o olhar e o humor juvenis aparecem afiados em O Dia em que Matamos James Cagney, O Índio, Um Mentiroso, Aquele Velho e Ressurreição.
    Show book