Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Estado de acédia - cover

Estado de acédia

Gregorio Muelas Bermúdez

Translator Sandra Santos

Publisher: Editora Gato-Bravo

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

'Estado de acédia' faz eco da sensação de agrura que produz um mundo infestado de desigualdades e injustiças e onde abundam os sentimentos de nostalgia e de melancolia. Os poemas aqui reunidos partilham, pois, uma mesma vocação de crítica social, mas através dum olhar culturalista, porque a poesia é uma arma carregada de esperança. Esta nova obra de Gregorio Muelas apaga limites em todos os sentidos. No da tradição poética, ao não romper com o passado e assumir registos diferentes, no formal [...], mas também na fusão dos conteúdos. Assim, encontramos Antonio Machado (evocado no título de Caminhos sobre o mar) para negar as fronteiras marinhas e territoriais; voltamos à herança cultural grega (O sonho de Ítaca) para mostrar-nos a tragédia da imigração; e o leitor avisado notará a presença tácita de Anna Ajmátova (Casas de Fontaka), que foi testemunha do assédio alemão na janela da sua residência numa dessas casas junto ao canal do Neva em Leninegrado.
Available since: 07/10/2019.

Other books that might interest you

  • Aos nascidos em 1979 - cover

    Aos nascidos em 1979

    Luiz Belmiro Teixeira

    • 0
    • 1
    • 0
    A poesia de Luiz Belmiro funda-se na mistura de temas que exploram as relações, as sensações, o toque, o contato. O poeta é um guardião das horas, alado, pontual, que pode roubar a substância do abstrato e dialogar com os elementos que trazem vida à sua poesia: o amor, o feminino, a pele, o corpo. Neste belo livro de estreia ‘Aos nascidos em 1979’, seus versos passeiam pela geografia do espaço, sua Curitiba, a cidade surreal. A multiplicidade dessa vida na cidade propõe novas percepções sobre o local, seus silêncios, suas pulsações. Ao construir sua linguagem, o autor ainda nos oferece uma sensível visão sobre a profundidade da existência do ser poeta. E nisso reside sua riqueza: a multiplicidade da vida, poética e real. Distintos tons que, nas palavras do poeta, são um vislumbre de todos os demais.Luiz Belmiro Teixeira é curitibano, graduado em Ciências Sociais pelaUniversidade Federal do Paraná (2004), Mestre em Sociologia pelaUniversidade Federal do Paraná (2006) e é professor de Sociologia no IFPR. A poesia o encontrou cedo,e desde então procura os versos para escrever sobre Curitiba, o amor, política, a vida, o universo e tudo mais. Traz referências da cultura pop (cinema, música e hq’s) para compor seus poemas. Antes da estreia emlivro próprio, publicou em coletâneasde concursos e oficinas literárias.
    Show book
  • O tempo exacto - cover

    O tempo exacto

    António Carlos Cortez

    • 0
    • 0
    • 0
    'Na antologia que reúne seus últimos quinze anos de produção poética, António Carlos Cortez nos presenteia com o melhor e mais tocante de seu trabalho.‘O tempo exacto’ é uma obra diacrônica que revela o amadurecimento do autor e que conduz o leitor para uma busca individual pelo sentido maior das palavras. A poesia é pele, o corpo do poema é também o poeta, seu corpo, sua carne. A poesia nasce em seu tempo exato, a página não espera, a chegada do sentido, e assim ela nasce, acontece, confunde e revela.'
    Show book
  • O Ano em que Morri em Nova York - um romance sobre amar a si próprio - cover

    O Ano em que Morri em Nova York...

    Milly Lacombe

    • 0
    • 0
    • 0
    Nova edição do livro de Milly Lacombe: uma viagem de autoconhecimento e, acima de tudo, uma história de amor-próprio. 
    A protagonista deste romance vai do paraíso ao inferno em poucas páginas. Casada com a mulher que ama, ela suspeita de que tenha sido traída durante uma de suas viagens de negócios. A angústia de não saber o que se passa, o medo de perguntar, a desconfiança e a dúvida, que nunca tiveram espaço na relação – considerada perfeita pelos amigos –, agora rondam o casal. Mas será mesmo que a traição existiu? Ou era o amor que estava minguando? O ano em que morri em Nova York não é só a história de um casamento desfeito por conta de uma suposta traição. Estas páginas trazem a trajetória de uma mulher em sua redescoberta após o doloroso rompimento. 
    Jornalista que se tornou ativista LGBTQIAP+, Milly Lacombe cria neste seu primeiro romance, com viés autobiográfico, uma história densa, mas aliviada pelo humor. Um livro que é também uma viagem de autoconhecimento e, acima de tudo, uma história de amor-próprio.
    Show book
  • Arder a Palavra - e outros incendios - cover

    Arder a Palavra - e outros...

    Ana Luísa Amaral

    • 0
    • 1
    • 0
    O ENSAIO É UMA FORMA SELVAGEM NO UNIVERSO DA LITERATURA. O ensaio lida com outras obras, com problemas, com o tempo, criticamente, com espírito crítico mas sobretudo liberdade. Ana Luísa Amaral é poeta premiada e tradutora, lidando, portanto, com a literatura de dentro. É também professora e estudiosa, lidando de fora. O ensaio, num caso assim, fica numa espécie de lugar duplo, dentro da escrita mas fora da produção imediatamente ficcional, dentro da reflexão mas fora dos textos comentados, o que garante, inclusive, o próprio comentário. A experiência do ensaio resulta de uma experiência de leitura, e leitora, antes de tudo, é o que caracteriza Ana Luísa Amaral. Neste livro, vários são os problemas enfrentados, as temáticas visitadas, desde Emily Dickinson e Mário de Sá-Carneiro, velhas aventuras amorosas da ensaísta que tanto traduziu Emily, até a teoria queer, da qual a eminente professora é uma das mais destacadas especialistas em Portugal. E, ao final, em torno desse animal indócil que é a literatura, uma peça em três atos, celebração do hibridismo que não é sinal de glória, mas de pura vida, indomável e incerta vida. Arde a palavras e outros incêndios não é, portanto, apenas um livro de crítica literária, mas uma homenagem à literatura, sobretudo à capacidade que essa linguagem tem de fomentar leituras infinitas, leitores sem fim.
    Show book
  • Poesia da cabeça aos pés - cover

    Poesia da cabeça aos pés

    Danilo Mendes

    • 0
    • 0
    • 0
    Poesia da cabeça aos pés é uma obra sensível que nos permite pensar a vida através dos versos simples sobre sentir, ser e querer. Assim como Alberto Caeiro – a persona de Fernando Pessoa que encarna o poeta das sensações – a poesia de Danilo Mendes assimila os sentidos de cada parte de seu corpo, e cada parte assume sua própria voz e seu próprio gesto. Poeta petropolitano, leitor de Saramago, Žižek, Rubem Alves e Jürgen Moltmann, Danilo reside atualmente no Rio de Janeiro, onde se forma em Teologia pela Fabat-RJ. Poesia da cabeça aos pés é sua estreia em poesia.
    Show book
  • Olhos de espanto - cover

    Olhos de espanto

    Nina Schilkowsky

    • 0
    • 0
    • 0
    'Em “Olhos de espanto”, Nina pensa filo­soficamente nossa condição inata de produtores de reflexões e questiona­mentos. Afinal, como Platão — o mestre maior da filosofia — já reconhecera, nos idos da Grécia Antiga, uma vida não questionada não merece ser vivida. Olhos de espanto é o fruto de uma coletânea de poemas que questio­nam certezas, observam um mundo tão complexo com a ingenuidade e leveza da infância, um livro que bus­ca o sentimento esquecido de nossos desejos mais puros, e que resgata em cada um de nós essa capacidade de nos emocionarmos de novo.'
    Show book