Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
As visões de Santa Tereza - cover

As visões de Santa Tereza

Francisco Mangabeira

Publisher: Vermelho Marinho

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Único livro em prosa do poeta. Em sua obra podemos perceber o escritor espontâneo e natural, às vezes melancólico, contraditório, de alma complicada, grande expoente do movimento simbolista.
Available since: 02/10/2020.

Other books that might interest you

  • Tempo de contradições - cover

    Tempo de contradições

    Rosamares da Maia

    • 0
    • 0
    • 0
    Com poemas que enaltecem o mais nobre dos sentimentos, o Amor, Rosamares da Maia toca nas cicatrizes e feridas expostas das mais profundas contradições do ser na busca do perfeito amor na exiguidade do tempo. São poemas apaixonados, revelações e reflexões sobre a saga humana na busca permanente de ser feliz no virar constante da ampulheta da vida
    Show book
  • Poemas eróticos - cover

    Poemas eróticos

    Maria Teresa Horta

    • 0
    • 0
    • 0
    A poesia erótica de Maria Teresa Horta é, a um só tempo, inteiramente desabrida e contida. Desabrida, porque indica, com clareza inequívoca, as inúmeras imagens dos encontros reais ou imaginados dos corpos, da fricção dos amantes em constante excitação prazerosa. Mas contida, pela palavra cuidadosa e jamais vulgar, mesmo quando explícita; pelo ritmo que mimetiza o vislumbre concreto da prática amorosa ao invés de sua mera representação alusiva; pelo verso preciso que recobra a tradição de imagens eróticas em nossa língua.
    Show book
  • As Vozes de Pessoa - cover

    As Vozes de Pessoa

    Fernando Pessoa

    • 0
    • 0
    • 0
    As Vozes de Pessoa traz os poemas completos de três mais importantes heterônimos do poeta Fernando Pessoa.(...)Mestre, só seria como tu se tivesse sido tu.Que triste seria como tu se tivesse sido tu.Que triste a grande hora alegre em que primeiro te ouvi!Depois tudo é cansaço neste mundo subjectivado,Tudo é esforço neste mundo onde se querem coisas,Tudo é mentira neste mundo onde se pensam coisas,Tudo é outra coisa neste mundo onde tudo se sente.Depois, tenho sido como um mendigo deixado ao relentoPela indiferença de toda a vila.Depois, tenho sido como as ervas arrancadas,Deixadas aos molhos em alinhamentos sem sentido.Depois, tenho sido eu, sim eu, por minha desgraça,E eu por minha desgraça, não sou eu nem outro nem ninguém.Depois, mas porque é que ensinaste a clareza da vista,Se não me podias ensinar a ter alma com que a ver clara?Porque é que me chamaste para o alto dos montesSe eu, criança das cidades do vale, não sabia respirar?(...)
    Show book
  • Ácaros - cover

    Ácaros

    Rodrigo Schevenck

    • 0
    • 0
    • 0
    Rodrigo Schevenck traz um aglomerado de poesia passageira, essa poeira invisível e fundamental que transborda a vida da cidade com seus meandros e percalços, suas subjetividades e desigualdades, onde ácaros dormem pesado tocando o abstrato no concreto. Como observa Schevenck, as palavras poéticas estalam, entrelaçadas, entram, saem nos nossos múltiplos universos em mutação. Este livro é poesia passageira como todas as outras poesias, que reverbera, conduz sem cinto e tem fome de amor.
    Show book
  • Como acabar as coisas - cover

    Como acabar as coisas

    Pedro Reis Colaço

    • 0
    • 0
    • 0
    Pedro Reis Colaço abre-nos a porta em 'Como acabar as coisas', às contemplações e inquietações do sujeito poético, num mundo que poderia ser o nosso, não fossem as referências a outras realidades invisíveis aos olhos do cidadão comum. Dividido em poemas de versos curtos e trechos quase diarísticos, o livro explora a busca pelas sensações mais desejadas pelo ser humano, como o amor — busca essa por vezes interrompida pelos obstáculos mais básicos e inevitáveis. Pedro Reis Colaço inicia aqui a sua obra com um livro que, podendo ser lido de um fôlego, pede para ser saboreado.
    Show book
  • Poesia para a alma - cover

    Poesia para a alma

    Andreia Menezes

    • 0
    • 0
    • 0
    Sofrimento, perdas, traições, tristeza, dor… Nosso caminho é permeado de batalhas que expõem nossas instabilidades e inseguranças, levando-nos a refletir sobre qual tem sido nosso comportamento diante dos desafios impostos pela vida. Poesia para a alma surge com o desafio de levar ao leitor uma voz com a qual se identifique, retratando um pouco da realidade humana; suas limitações e superações, suas decepções, motivações,  suas decisões e esperanças.
    Show book