Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Educando no século XXI - cover

Educando no século XXI

Esther Carvalho

Publisher: Editora CL-A Cultural

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Educando no século XX é uma coletânea de artigos com reflexões e posicionamentos em relação aos desafios de educar na contemporaneidade. A educadora Esther Carvalho trata de temas como políticas públicas ligadas à educação, a construção do currículo escolar, a relação entre escola e família,  os movimentos de organização da sociedade civil voltados para a melhoria da qualidade da educação, as demandas do século XXI e a adaptação das escolas a elas, assim como experiências nacionais e internacionais bem sucedidas em educação.
A pergunta que se coloca é: que escola vamos oferecer às próximas gerações?
Available since: 12/16/2019.

Other books that might interest you

  • Ambiente Econômico e Aprendizagem - cover

    Ambiente Econômico e Aprendizagem

    Paulo Amorim, Bárbara Lobo

    • 0
    • 0
    • 0
    O sistema educacional é a forma mais dissimulada e por isso a mais adequada para manutenção hereditária do poder e dos privilégios. A interferência da pobreza no ensino-aprendizagem está no legado de bens culturais acumulados e transmitidos pelas gerações. A captura desses bens só se efetivará para os que possuam as ferramentas para decifrar seus códigos que não estão nas escolas e sim nas famílias. O êxito escolar e o desenvolvimento das crianças dependerão da posição social de suas famílias.
    Show book
  • Compliance trabalhista - Como assegurar conformidade nas relações trabalhistas - cover

    Compliance trabalhista - Como...

    Aline Del Tedesco Nassif Marconi

    • 0
    • 0
    • 0
    O livro tem como temática principal as constantes mudanças que regem o ambiente de trabalho, medidas de prevenção de incidentes, compliance na gestão de riscos trabalhistas, com a geração de economia e redução de perdas para a empresa.
    Aborda também a importância de um ambiente laboral saudável, integrativo, com base nas premissas dos códigos de conduta e normas vigentes do ordenamento jurídico, para proporcionar maior engajamento dos colaboradores. 
    Por fim, a importância da sinergia entre os departamentos de RH, jurídico e compliance, com o objetivo de ampliar a compreensão da importância das principais questões relacionadas à gestão de pessoas e a temas de compliance nas relações de trabalho.
    Show book
  • Os Princípios da Administração Científica - Mais atual impossível - cover

    Os Princípios da Administração...

    Frederick Winslow Taylor

    • 0
    • 0
    • 0
    INOVAR NÃO IMPLICA NECESSARIAMENTE 'REINVENTAR A RODA'Se você gosta de Administração e Empreenderorismo e nunca teve oportunidade de ler, na íntegra, as ideias originais do Pai da Administração Científica, Frederick Winslow Taylor, esta é a sua chance. Trata-se de um clássico da administração. Ele foi escrito e publicado pela primeira vez em 1911. Entretanto, seus conceitos são cada vez mais importantes em um mundo onde dinheiro e tempo são os recursos mais escassos.O livro trata de conceitos sempre importantes seja para sua empresa, para seus projetos, e, por que não dizer para sua vida. Planejamento, produtividade, divisão do trabalho, papéis e responsabilidades, fadiga, estabelecimento de padrões, política de remuneração estão entre os diversos assuntos tratados deste histórico livro. Você deve ter percebido que há muito modismo na administração. A cada dia surgem aventureiros com ideias miramolantes que não resistem ao tempo. E você poderá questionar: 'mas as ideias de Taylor, não estão ultrapassadas?',  No livro você verá que, na realidade, Taylor estava adiantado para sua época. Até mesmo as pessoas que hoje o critícam não leram a sua obra, apenas repetiram as críticas de outros.Na realidade, você verá que em muitos casos Taylor foi mal interpretado, como por exemplo na questão da participação dos operários na definição da forma de executar a tarefa.Em outros casos, precisamos fazer apenas uma contextualização tecnológica, ou seja, muitos procedimentos que eram previstos para serem feitos por pessoas, agora precisam, da mesma forma serem definidos e roteirizados para serem executados por robôs ou sistemas de informação. E para isso, 'os princípios' propostos por Taylor continuam mais do que válidos. Se mais pessoas se interessassem mais pelos livros clássicos de administração, não teriamos mais de 40% das empresas fechando antes de competar 2 anos. Se você acha que é pouco, saiba de 60% das empresas não chega a completar 5 anos de funcionamento. Muitos querem coduzir a empresa por tentativa e erro.Neste livro você verá que Taylor foi uma das primeiras pessoas que resolveu tratar a administração de empresas como uma verdadeira ciência.Boa Leitura!
    Show book
  • Capitalismo Social - O que é? Como adotar? Por que ele pode mudar o Brasil? - cover

    Capitalismo Social - O que é?...

    Maron Emile Abi-Abib

    • 0
    • 0
    • 0
    Na segunda metade do século XIX, houve a primeira experiência de implantação de um Estado de bem-estar social na Alemanha, como alternativa ao liberalismo econômico e ao socialismo. Em um mundo tão desigual, essa iniciativa trouxe consequências consideráveis, como a adoção por alguns países e depois por organismos internacionais como a ONU de políticas de combate à pobreza e à miséria, e os ataques dos defensores do mercado como deus regulador da vida econômica dos povos. Na segunda metade do século XX, o neoliberalismo se tornou hegemônico no mundo e as políticas voltadas para o Estado de bem-estar social perderam força, predominando o que alguns autores chamam de “capitalismo selvagem”.  Neste livro, Maron Abi-Abib mostra os graves problemas para os povos e para o meio ambiente trazidos por essa escolha equivocada e sustenta que outro capitalismo é possível. Ele apresenta os resultados de uma abrangente pesquisa bibliográfica, citando grandes economistas e sociólogos brasileiros e estrangeiros preocupados com esse quadro. Além disso, analisa praticamente todos os acordos e tratados internacionais firmados no âmbito da ONU, como a Declaração do Milênio, entre outras, visando à redução das desigualdades, à preservação do meio ambiente e à paz social.  Neste livro que mescla história, sociologia, política e economia, Abi-Abib brinda o leitor com uma lição de humanidade, a singular e bem-sucedida iniciativa de promoção social e cultural realizada pelo chamado “Sistema S” brasileiro, que pode, segundo o autor, ser reforçada e servir de exemplo para outros países. A ideia é promover ou reforçar a coautoria (entre governo e empresariado) nas ações de reconstrução do Estado de bem-estar social, em prol de melhor qualidade de vida para o trabalhador e sua família. Em um mundo desencantado, este é um livro que, sem fugir da denúncia oportuna e fundamentada, traz esperança.
    Show book
  • O papel do jornalismo sem papel - cover

    O papel do jornalismo sem papel

    Carlos Monforte

    • 0
    • 0
    • 0
    Como será o papel do Jornalismo sem papel, aberto, virtual, 
    sem lenço nem documento? O mar de informações 
    em que ele navega já é imenso. Muito diferente das 
    tripas de telex que desaguavam nas redações do século 
    XX e que já deixavam atordoados os editores, aqueles 
    que escolhiam o que devia ou não ser publicado. 
    Fora, claro, os censores de plantão, que tinham um trabalho 
    mais simples: cortavam o que os ditadores impunham – 
    hoje, os censores são mais tímidos, mas que existem, 
    existem. Essa espécie de comunicação compartilhada que 
    a internet proporciona é a grande questão que se coloca 
    entre todos os comunicadores. Mas não apenas entre eles. 
    Os proprietários dos meios de comunicação tradicionais estão 
    mergulhando fundo na velocidade das novas plataformas 
    porque não querem perder o trem da história, nem suas 
    gigantescas empresas, muito menos seus lucros. Em vários 
    sentidos, a situação atual nos dá uma oportunidade de ouro. 
    Esse modelo nos oferece a ocasião de mudança: embora 
    as nações sejam comandadas por homens – muitas vezes 
    cruéis – de mais de 60 anos, esse é o momento das coisas 
    novas, a chance de uma virada na cara do mundo – o 
    tempo de uma geração ousada e com novas propostas. 
    E por que é o momento ideal para esse impulso de velocidade? 
    É que as sociedades, levadas pela comunicação mais rápida 
    e globalizada, nunca estiveram tão conectadas, unidas pela 
    informação – daí os protestos, as vozes que finalmente 
    se fazem ouvir, as indignações reprimidas que se soltam. 
    O perigo: a guerra de versões, de opiniões, de mentiras. 
    Vence quem tiver credibilidade, perde quem tiver rabo preso 
    e perna curta.
    Show book
  • Governança Riscos e Compliance - Mudando a Conduta nos Negócios - cover

    Governança Riscos e Compliance -...

    Marcos Assi

    • 0
    • 0
    • 0
    Governança, riscos e compliance – Mudando a conduta nos negócios analisa as práticas de governança corporativa, gestão de riscos e de compliance, com o objetivo de discutir temas que vieram à tona, como os escândalos de corrupção corporativa, amplamente divulgados nos noticiários.
    
    Apresenta metodologias para que o leitor compreenda a conduta corporativa, fundamentada na ética, a partir de recursos de gestão de riscos, compliance e controles internos. Traz casos reais sobre os problemas de governança corporativa ocorridos na Enron, OGX, Petrobras e no Banco PanAmericano, mostrando como a aplicação de técnicas de controles internos teria sido eficaz para evitar perdas.
    
    Mostra como a aplicação de gestão de compliance e controles internos é essencial para o monitoramento financeiro, contábil e tributário, que passa pela gestão de capital e do patrimônio, abrange a imagem e reputação da instituição, ajuda na captação e manutenção de clientes, e garante o retorno dos investimentos.
    
    É leitura fundamental para profissionais e estudantes de graduação e pós-graduação das áreas financeira, contábil, fiscal, jurídica e de auditoria.
    Show book