Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Andrés: Uma vida em mais de três filmes - cover

We are sorry! The publisher (or author) gave us the instruction to take down this book from our catalog. But please don't worry, you still have more than 500,000 other books you can enjoy!

Andrés: Uma vida em mais de três filmes

Aleksandra Pluta

Publisher: 5W

  • 0
  • 2
  • 0

Summary

Dono de 25 Leões do Festival Internacional de Filmes Publicitários de Cannes/Veneza e 12 vezes premiado pela Rede Globo com a estatueta Profissionais do Ano, Andrés Bukowinski tem sua trajetória detalhada no livro Andrés, uma vida em mais de 3 mil filmes, que está sendo lançado pelo Grupo 5W. Nascido na Polônia em 1940, iniciou sua vida profissional na Argentina e há quarenta anos mora no Brasil, onde exerce ininterruptamente o seu ofício. Realizou mais de 3 mil filmes publicitários e até aqui o gás não acabou.

Escrito por Aleksandra Pluta, a narrativa do livro é polifônica e entremeia-se de relatos de Andrés Bukowinski e dos que lhe são mais próximos, assim como conhecidos, colaboradores, pessoas que encontrou em diferentes cantos do mundo e em diferentes épocas. Entre eles, Washington Olivetto, amigo e parceiro profissional, com quem realizou 1100 filmes. É ele, inclusive, quem assina o prefácio: “As circunstâncias atípicas de sua vida produziram um curioso personagem autodidata e ‘audiodidata’. Aliás, as palavras ‘produziram’ e ‘personagem’ fazem parte do universo que ele domina como ninguém: o universo cinematográfico. Falar muitas línguas e não saber escrever em nenhuma delas nunca foi vantagem nem desvantagem para Andrés, que sempre falou e escreveu com imagens e sons — simples, sintéticos e gramaticalmente impecáveis.”

Sua história de vida daria um longa-metragem repleto de ingredientes dramáticos e de superação. Uma primeira infância difícil na Polônia em guerra, o pai que esteve ausente por muitos anos (era piloto da Royal Air Force), a morte precoce da mãe, a fuga para a Inglaterra, o difícil recomeço na Argentina e a adoção pelo Brasil na década de 1970. Porém, assim como infortúnios, Andrés também teve sorte em sua trajetória, como confessa em um de seus depoimentos. Sorte e coincidências, aliados ao grande talento, claro, o levaram a ser identificado, muitas vezes, com um mago – um mestre da imagem e som. Entre seus principais sucessos está Hitler, filme publicitário realizado para a Folha de São Paulo. A revista inglesa Shots incluiu-o no grupo dos 40 melhores filmes do século passado e, no livro The 100 Best TV Commercials and Why They Worked (Os cem melhores comerciais de TV e por que eles deram certo), de Bernice Kanner, ele figura na lista dos 100 melhores filmes publicitários de todos os tempos. Em seu portfólio, destacam-se ainda os inesquecíveis comerciais do extinto Bamerindus (que dirigiu durante 23 anos) e os 400 filmes clássicos da Bombril feitos durante 33 anos, com Carlos Moreno como “garoto-propaganda”. Em 1994, aliás, a campanha da Bombril foi parar no Guinness World Records como a mais longa campanha de publicidade do mundo. “Gosto dos filmes que dirigi, gosto de voltar a eles anos depois. E por isso, lá se vão 50 anos exercendo esta profissão, e meu trabalho ainda não me cansou. Penso com entusiasmo nos filmes a realizar”, relata Andrés.
Available since: 12/19/2016.

Other books that might interest you

  • Não forces a vida flui - cover

    Não forces a vida flui

    Manuel Clemente

    • 0
    • 0
    • 0
    Desde cedo, habituámo-nos a guiar as nossas vidas pelo medo. Vivemos em constante estado de alerta, sempre com receio que algo de mal nos aconteça. Esta insegurança permanente, tantas vezes inconsciente, não nos permite viver de forma plena.
    Quantos de nós já tiveram medo de arriscar e falhar? Quem já ficou preso numa relação infeliz com receio da solidão? Quantas decisões deixámos de tomar por medo do julgamento dos outros? Quantos sonhos adiámos, a contas com o medo do desconhecido?
    Uma das principais fontes de angústia e ansiedade é a necessidade que temos de controlar tudo o que nos rodeia. Alimentar a esperança de um mundo previsível, onde o incerto não tem lugar, não passa de uma ilusão.
    E se experimentássemos confiar na ordem natural (e invisível) da vida? Porque não aceitar, de coração aberto, tudo o que nos acontece?
    
    A VIDA SABE O QUE FAZ.
    SÓ PRECISAMOS DE FAZER O MELHOR QUE SABEMOS.
    
    Depois do êxito dos seus dois primeiros livros, Manuel Clemente regressa com novas reflexões, histórias inéditas e inúmeros pensamentos capazes de nos fazer ver a vida como nunca a vimos. Através do pragmatismo a que já nos habituou, convida-nos a abrandar para refletir e a assumir o papel de decisores das nossas vidas. Estamos sempre a tempo de descobrir que somos mais do que imaginamos.
    
    Não Forces, a Vida Flui não é um manual, uma fórmula ou um atalho. É uma viagem de regresso à essência, aos sonhos e às vulnerabilidades que são de todos. Um testemunho intimista e genuíno de alguém que, tal como o leitor, não quer que o medo o impeça de viver.
    Show book
  • O Advogado e o imperador - A história de um herói brasileiro - cover

    O Advogado e o imperador - A...

    Gilberto Abreu Sodré Carvalho

    • 0
    • 0
    • 0
    A condição degradante dos negros no Brasil do século XIX, após três séculos de escravidão, cujos reflexos ainda hoje estão presentes em nossa sociedade, é retratada numa prosa poética bastante singular em O advogado e o imperador - A história de um herói brasileiro. Seu autor recria neste romance histórico a vida do abolicionista Luiz Gama e o coloca no lugar de protagonista como um herói brasileiro. O processo que levou à abolição da escravatura é um tema muito atual e pertinente, que merece ser revisto e discutido. A relação entre Luiz Gama e o imperador Dom Pedro II coloca em foco questões como liberdade e justiça social. Mais do que isso, aponta também a omissão do imperador em relação à questão escrava e à criação de um projeto de país que incluísse todas as pessoas.O abolicionista Luiz Gama e o imperador Filho de mulher negra livre e homem branco, Luiz foi vendido como escravo pelo próprio pai aos dez anos de idade. Aprendeu várias profissões e exerceu a advocacia sem nunca ter-se formado advogado. Ele acreditava que o Brasil só poderia se desenvolver e ser um país justo quando toda a população recebesse a mesma educação e tivesse as mesmas oportunidades sociais e de trabalho. Sabia que a abolição da escravatura não seria a solução, mas um primeiro passo para uma sociedade mais justa. Considerado um eficaz tribuno da liberdade, ainda hoje seu pensamento é importante para a compreensão das fragilidades sociais do Brasil. Segundo o autor, Dom Pedro II representava o passado, acreditava no escravismo como um 'mal necessário' e tinha a clara intenção de 'branquear' a população brasileira. Acreditava que trazer imigrantes europeus brancos seria uma estratégia de governo para ajudar a dizimar a população negra analfabeta e desassistida, que estaria ainda mais fragilizada após a inevitável abolição da escravatura, exigida pelos britânicos e pelo mundo civilizado em geral. Para o Imperador, os brancos vindos da Europa substituiriam, com vantagem, os negros brasileiros como mão de obra. E estes sucumbiriam com o tempo.
    Show book
  • A Pianista de Auschwitz - cover

    A Pianista de Auschwitz

    Fania Fénelon

    • 0
    • 1
    • 0
    15 de abril de 1945. A execução dos músicos estava marcada para a parte da tarde. Fania definhava, sem esperança e à beira da morte, quando o exército aliado entrou no campo de Bergen-Belsen. Por insistência dos soldados, tocou, no único piano disponível e durante cerca de meia hora, uns improvisados God Save the King, A Marselhesa e A Internacional.
    
    Antes de se tornar prisioneira, Fania Fénelon tocava piano e cantava em Paris. Capturada pelos nazis, foi levada para Auschwitz, onde se juntou à orquestra feminina que existia no campo, composta exclusivamente por reclusas. E ora tocava para os prisioneiros que rumavam às câmaras de gás, ora para os oficiais alemães que relaxavam das suas macabras tarefas.
    
    Com uma capacidade surpreendente de encontrar humor e sentido onde apenas o desespero devia prevalecer, a autora relata a sua história no campo de concentração e escreve sobre o amor, o riso, o ódio, o ciúme e a tensão que atormentavam este grupo «privilegiado» de mulheres. Cada qual à sua maneira, faziam música para sobreviver num lugar onde o horror inimaginável se misturava com os pesadelos mais terríveis.
    
    A Pianista de Auschwitz narra, denuncia e preserva a memória do que aconteceu num dos momento mais terríveis da história, e também motiva a reflexão para o contraste entre os valores éticos necessários, válidos e defensáveis diante da iminente ameaça de morte.
    Críticas de imprensa
    «Uma celebração do poder do espírito humano.»
    The New York Times Book Review
    
    Nota do autor
    Tinha de me curar dos campos. Isso demorou anos, uns atrás dos outros… Após trinta anos de silêncio, ao longo dos quais me esgotei a tentar esquecer o que não podia sê-lo, percebi que era escusado, que não esqueceria...»
    Fania Fénelon
    Show book
  • O Livro da Psicologia - cover

    O Livro da Psicologia

    Emily Ralls, Caroline Riggs

    • 0
    • 0
    • 0
    O LIVRO PERFEITO PARA QUEM QUER DAR OS SEUS PRIMEIROS PASSOS NO MUNDO DA PSICOLOGIA, ter um panorama geral, ou mesmo para aqueles que pretendem relembrar e aperfeiçoar os seus conhecimentos sobre o tema.  
    
    Saiba como a psicologia evoluiu ao longo do tempo e explore a obra dos principais psicólogos, de Sigmund Freud a Carl Jung, Ivan Pavlov, John Watson, B. F. Skinner, Jean Piaget, entre outros.  
    
    Se já conhece um pouco, mas ainda se divide entre Freud e Jung ou Milgram e Maslow, este pequeno livro, prático e acessível, vai conduzi-lo num percurso através dos diversos pensadores e correntes psicológicas da história.  
    
    Compreenda o que é a introspeção ou o complexo de Édipo, o que a teoria behaviorista ou a psicologia social advoga e descubra como a evolução do estudo da mente e do comportamento humano lapidou o mundo em que vivemos e a forma como pensamos.  
    
    Neste livro, vai descobrir:  
    • Os pensadores mais importantes que contribuíram para as principais correntes e teorias e como nasceu a psicologia moderna. 
 
    • Experiências famosas (e muitas vezes controversas) e as suas repercussões. 
 
    • O que a psicologia nos pode ensinar sobre memória, linguagem, raciocínio e emoções. 
 
    • Os desenvolvimentos recentes nos campos modernos da psicologia evolutiva e cibernética. 
    
    
«UMA EXCELENTE PANORÂMICA DO ESTUDO
DA PSICOLOGIA AO LONGO DOS TEMPOS!» 
    AMAZON 

    Show book
  • O Caminho de um Iogue - cover

    O Caminho de um Iogue

    Charles Haanel

    • 0
    • 0
    • 0
    Conhecimento. Ioga. Respiração. Silêncio. Cura integral. Prana divino. Harmonia perfeita. Há um princípio eterno e fundamental, inerente a todas as coisas, a cada sistema de filosofia, a cada religião e a cada ciência.
    O Caminho de um Iogue é um caminho de realização, sabedoria e amor. Traça a rota para um mundo maravilhoso nem sempre visível para a maioria das pessoas, mas disponível a quem se predispuser percorrê-lo.
    O mundo exterior é um reflexo do mundo interior. O que se encontra fora nasce do que antes foi semeado dentro. No centro de cada ser humano pode descobrir-se a sabedoria, o poder e o suprimento do que é necessário. Somente é preciso desenvolvermos e expressarmos essas potencialidades.
    Com as técnicas apresentadas neste livro, será capaz, talvez pela primeira vez, de compreender e assumir o controlo da sua vida e das suas atitudes, enquanto descobre um caminho de conhecimento que a filosofia antiga revela.
    Show book
  • A Cirurgiã - cover

    A Cirurgiã

    Leslie Wolfe

    • 0
    • 1
    • 0
    UMA MÉDICA CONCEITUADA É ACUSADA DA MORTE DE UM PACIENTE NA SALA DE OPERAÇÕES.
    SERÁ CULPADA OU INOCENTE?
    
    Antes do meu mundo desabar, eu tinha tudo. A carreira de sucesso com que sempre sonhara. A bela casa onde podia sentar-me e relaxar confortavelmente depois de um longo dia de trabalho. O marido mais bonito e dedicado que poderia desejar, cujo sorriso encantador sempre me fizera sentir segura.
    
    Até hoje, nunca tinha perdido um doente.
    
    Até hoje, nunca tinha operado ninguém que odiava.
    
    Quando declarei o óbito, a minha voz estava firme: «Hora da morte: 13h47». Todo o pessoal, médicos e enfermeiros na sala de operações, ficou em silêncio à minha volta, a olhar para mim, confusos e preocupados. As minhas mãos tremiam dentro das luvas. O meu olhar deslizou pelas frias paredes de azulejo, com o coração a bater aceleradamente dentro do meu peito.
    
    Se tivesse sabido antes de quem se tratava teria pedido a um colega que me substituísse. Ninguém estranharia; é um procedimento habitual não operar amigos, familiares ou... qualquer outra pessoa que possa comprometer a capacidade do cirurgião agir na sala de operações. Teria sido fácil. Mas que outra escolha podia ter feito depois de o reconhecer na sala de operações? E o que vou fazer para me proteger, se alguém descobrir?
    
    «Nunca li um thriller tão fantástico na minha vida!!!! Estava constantemente em suspense, a suster a respiração e a virar as páginas.» 
    Goodreads
    
    «Não vai conseguir dormir enquanto não acabar este livro!» 
    Amazon
    Show book