Discover new books each day!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Read online the first chapters of this book!
All characters reduced
Como Investir em Ações - Aprenda a Investir na Bolsa - cover

Como Investir em Ações - Aprenda a Investir na Bolsa

Hélio Santiago

Publisher: Capital e Valor

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

O livro Como Investir em Ações aborda as características dos principais ativos e proventos, bem como sua dinâmica de negociação e os procedimentos operacionais no mercado. Este módulo oferece através de uma linguagem clara uma visão abrangente dos conceitos mais importantes no mercado de capitais, assim como os trâmites necessários para a realização de negócios na Bolsa de Valores, informações que lhe permitirão saber como e por que investir e, acima de tudo, como administrar os riscos da renda variável.
 
A missão do Capital e Valor é promover a formação de investidores conscientes e racionais, que atuem de forma independente, com estratégia e poder de decisão, fazendo juízo próprio das oportunidades e gerenciando os riscos do investimento no mercado de capitais. Aprenda a investir e analisar o mercado com nosso conteúdo de educação financeira e conquiste a sua independência financeira.
 
O conteúdo do Capital e Valor visa orientar o desenvolvimento de uma metodologia objetiva para operar e analisar o mercado de forma consciente, demonstrando as diferentes estratégias para momentos de alta e de baixa, incluindo técnicas de gerenciamento de risco e de proteção de capital. Não é um método milagroso de enriquecimento, tão pouco dicas de investimentos, mas uma visão realista sobre o mercado financeiro, embasada por informações de qualidade para investidores conscientes e racionais, cujo objetivo é lhe auxiliar a desenvolver o seu potencial de investir bem o seu dinheiro e a garantir a sua prosperidade.

Other books that might interest you

  • Além do Rosa e do Azul - Recortes Terapêuticos sobre Homosexualidade à luz da Doutrina Espírita - cover

    Além do Rosa e do Azul -...

    Gibson Bastos Silva

    • 0
    • 0
    • 0
    À medida que o homem se desenvolve, intelectualmente, vai desvendando e compreendendo as leis divinas que regem a vida dos seres humanos, e vai sendo obrigado a modificar os diversos conceitos que foram criados para dar sentido à sua vida e às normas estabelecidas para garantir sua sobrevivência, por reconhecer que tais regras ou normas são injustas e incapazes de promover a felicidade da  maioria.No campo da sexualidade, os padrões de normalidade estabelecidos para o homem e para a mulher a partir das diferenças biológicas e do caráter reprodutor que lhe é inerente, já não são parâmetros capazes de criar normas que garantam, a todos os seres, as condições básicas para que eles se desenvolvam com segurança e de forma harmônica. Hoje, o conceito de masculinidade e feminilidade está “além do rosa e do azul” para o homem e para a mulher, respectivamente...Assim, a partir do conhecimento científico atual e do conhecimento espírita, vamos compreender que todos nós, heterossexuais, homossexuais e bissexuais somos filhos de um mesmo Pai, e que essa diversidade sexual deve ser respeitada, inclusive através de leis que garantam direitos e deveres iguais para todos e promovam uma convivência pacífica e produtiva entre todos os membros de nossa sociedade.
    Show book
  • Fundamentos de Antropologia - Fasciculo 17 - O destino e a religião - Um ideal de excelência humana - cover

    Fundamentos de Antropologia -...

    Stork Author

    • 0
    • 0
    • 0
    Fascículo 17 de um total de 17. O destino e a religião
    Show book
  • História oral e reforma agrária - a experiência social de trabalhares rurais sem-terra em Sumaré interior de São Paulo (décadas de 1980 e 1990) - cover

    História oral e reforma agrária...

    Vagner José Moreira

    • 0
    • 0
    • 0
    A história da luta pela reforma agrária em Sumaré, interior do estado de São Paulo, privilegiou a metodologia da história oral, com cotejamento de outros documentos, para desvendar o processo histórico de luta pela reforma agrária dos trabalhadores e trabalhadoras sem-terra oriundos de diversos estados brasileiros para a região de Campinas. A formação da identidade sem-terra durante as décadas de 1980 e 1990 constituiu no objeto da investigação histórica. E a publicação da pesquisa nos dias de hoje assume sentido não meramente acadêmico, mas também político. Aprender com a experiência social de pessoas simples, que lutaram para tornar a utopia da terra repartida uma realidade, nos motiva para enfrentar hodiernamente as necessárias lutas do presente.
    Show book
  • Qual é o sentido? - reflexões sobre o sentido da vida a partir de Viktor Frankl - cover

    Qual é o sentido? - reflexões...

    Luciano Marques De Jesus

    • 0
    • 0
    • 0
    A obra reflete a questão do sentido da vida, a partir da Logoterapia, de Viktor Frankl. 
    
    Quando se tem um porquê viver, pode-se suportar quase qualquer como viver. 
    Nietzsche apud Viktor Frankl
    Show book
  • Justiça Juvenil Restaurativa e Novas Formas de Solução de Conflitos - cover

    Justiça Juvenil Restaurativa e...

    Karyna Batista Sposato, Luciana...

    • 0
    • 0
    • 0
    As autoras analisam, inicialmente, os conflitos e suas possibilidades de resolução, dando especial ênfase à questão do adolescente em conflito com a lei e à utilização de ferramentas para o exercício do diálogo e do respeito ao outro. Na sequência, apresentam a Justiça Restaurativa, descrevendo as principais formas em que é utilizada internacionalmente e no Brasil, sugerindo – de forma inédita – uma nova categoria de Justiça Restaurativa: a Justiça Juvenil Restaurativa, que poderá ser exercida tanto no âmbito dos espaços institucionais da Justiça da Infância e Juventude como do SINASE (Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo).
    Show book
  • É impossível o Dialogo inter-religioso? - O pensamento de Bento XVI e a visão de Raimundo Lúlio sobre o diálogo inter-religioso - cover

    É impossível o Dialogo...

    Veiga Author

    • 0
    • 0
    • 0
    Quando a imprensa européia discute intensamente o prólogo escrito por Joseph Ratzinger ao último livro de Marcelo Pera; intelectual e político italiano; intitulado Perché dobbiamo dirci cristiani; recém publicado pela editorial Mondadori; resulta muito oportuno este trabalho que o leitor tem agora em suas mãos. Com efeito; no referido prólogo; Joseph Ratzinger; afirma que o diálogo inter-religioso é impossível a menos que o crente ponha entre parênteses a sua fé. Sem dúvida alguma; o pouco espaço que um prólogo oferece levou-o a omitir uma mais longa explicação sobre o que significa 'pôr entre parênteses a fé'. Daí a polêmica. Neste pequeno volume Bernardo Veiga apresenta-nos um acurado estudo sobre a presumível racionalidade das fés; que culmina numa avaliação das consequências culturais das decisões religiosas fundamentais; tudo isso alicerçado nos escritos de Joseph Ratzinger; o atual papa Bento XVI. O que nos revela é suficiente para entender o significado de 'pôr entre parênteses a nossa fé'. Por outro lado; Bernardo Veiga mostra-nos também como é isso mesmo o que Raimundo Lúlio dizia; setecentos anos antes. Ainda pouco conhecido em nosso país; Lúlio surpreende por sua abertura em uma época adversa ao seu pensamento. Foi um verdadeiro precursor em muitos campos do pensamento. Veiga mostra como o pensamento do papa sobre o diálogo inter-religioso assemelha-se muito à proposta luliana; por sujeitar o diálogo ao Logos e pela defesa incondicionada da liberdade religiosa. Uma explicação necessária em um momento muito oportuno.
    Show book