"There is more treasure in books than in all the pirates' loot on Treasure Island." - Walt Disney
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
A Chave Dourada - Um conto de George MacDonald - cover

A Chave Dourada - Um conto de George MacDonald

George MacDonald

Publisher: Editora Dracaena

  • 2
  • 3
  • 0

Summary

George MacDonald, nascido em 10 de dezembro de 1824, é um dos mais notáveis escritores de sua época. Foi amigo e mentor de Lewis Carroll e o incentivou a publicar Alice no País das maravilhas. Influenciou autores como J.R.R. Tolkien, C.S. Lewis e Mark Twain. 

CS Lewis declarou publicamente em diversas ocasiões ter George Macdonald como seu Mestre e grande inspiração para escrever livros como As Crônicas de Nárnia.

Publicou romances de fantasia e dezenas de contos, que o tornaram conhecido e amado por crianças e adultos.

O próprio autor declarou certa vez: "Eu não escrevo livros infantis, mas escrevo para todas as crianças, sejam elas de 5, 50 ou 75 anos".

A chave dourada é um dos seus mais importantes trabalhos. Um conto de fadas dotado de beleza e magia que tem encantado milhões de leitores por várias gerações. É um daqueles contos que a criança carrega para a vida adulta, devido à mensagem simbólica, dotada de espiritualidade e pureza. O autor faleceu em 08 de setembro de 1905, mas suas obras são imortais no coração de seus leitores.

Other books that might interest you

  • A Besta de Lucca - cover

    A Besta de Lucca

    Ilmar Penna Marinho Junior

    • 1
    • 2
    • 0
    Segundo livro da Trilogia do Apocalipse, do autor Ilmar Penna Marinho Júnior, 'A besta de Lucca' é a continuação de 'A besta de mil anos' e traz de volta uma das sete peças que faltam para completar a Tapeçaria do Apocalipse, a de número 75. Quem será capaz de possuir a relíquia? Ou seria ela quem escolhe seu detentor? O livro “A Besta de Lucca” revela como a famosa cena da Tapeçaria chegou até a cidade de Lucca – coração da Toscana, Itália – e nos mostra que faz parte da celebração de rituais de uma poderosa seita.
    Show book
  • Depois do dilúvio - cover

    Depois do dilúvio

    Kassandra Montag

    • 0
    • 0
    • 0
    Há pouco mais de um século, o nosso mundo sofreu uma transformação tremenda. Depois de anos em que o mar subiu lentamente de nível, abrindo caminho sobre o continente, a água acabou por apagar do mapa as maiores cidades costeiras dos Estados Unidos da América, seguindo depois para o interior, até só sobrar um arquipélago de cumes montanhosos onde proliferam colónias rodeadas por mar aberto.
    Myra, uma mulher teimosa e independente, e Pearl, a sua precoce filha de sete anos, pescam com o seu barco, o Pássaro, e só pisam terra para fazer trocas de provisões e de informação nos poucos redutos remanescentes de civilização. Há sete anos que Myra chora a perda da sua filha mais velha, Row, que foi raptada pelo pai depois de um dilúvio monstruoso lhes ter engolido a casa no Nebrasca. Tempos depois, durante um confronto violento com um desconhecido, Myra descobre subitamente que Row foi vista num acampamento distante perto do Círculo Polar Ártico. Ignorando a sua cautela habitual, Myra e Pearl embarcam numa viagem perigosa através dos gélidos mares do norte, agarradas à esperança de que Row ainda lá esteja.
    Na sua viagem, Myra e Pearl unirão forças a um barco maior, um navío onde Myra surpreendentemente se vê a criar laços com os restantes tripulantes. Mas os segredos, a luxúria e a traição ameaçam-lhes o sonho. Depois de os seus destinos sofrerem uma reviravolta chocante e sangrenta, Myra tem de enfrentar o dilema de perceber se o salvamento de Row justifica colocar Pearl e os seus  companheiros de viagem em risco.
    "Uma história angustiante, às veces brutal, sobre a busca arrepiante que uma mãe empreende à procura da filha num mundo pós-apocalíptico. Cativadora e surpreendente."
    Liv Constantine, autora do best seller A conspiracão da senhora Parrish
    "Sem dúvida um relato brilhante sobre o trauma e a dor. Num mundo alagado, Myra não só aprende a sobreviver —e tudo o demais necessário para poder navegar entre saqueadores, vilões, predadores e coisas piores naquilo que antes era a América do Norte —, como também se prepara para conseguir confi ar em si e nos outros. Nós acompanhamo-la durante a viagem. Myra é uma das heroínas mais memoráveis que conhecemos nos últimos anos."
    Theodore Wheeler, autor de Kings of Broken Things
    "Com o seu primeiro romance, Montag consegue unir o drama viciante à profundidade emocional e recriação vívida de um mundo onde a sociedade se reconstrói desde o zero e a história se repete."
    Kirkus
    Show book
  • Ponce - cover

    Ponce

    Felipe De Castro Rubio Poli

    • 0
    • 0
    • 0
    Uma grande descoberta de um pesquisador e uma surpresa sobre a pandemia trazem acontecimentos e reflexões. Um conto sobre começo, fim e retorno da vida.
    Show book
  • Noites de insomnia offerecidas a quem não póde dormir volume 1 - cover

    Noites de insomnia offerecidas a...

    Camilo Castelo Branco

    • 0
    • 0
    • 0
    Camilo Castelo Branco foi o primeiro escritor português a conseguir viver dos seus trabalhos literários. Apesar desta situação poder condicionar a sua escrita, Camilo conseguiu manter o seu estilo muito próprio que o levou a ser considerado um dos mais importantes escritores da literatura portuguesa. Noites de insomnia, offerecidas a quem não póde dormir, trata-se de uma colecção de doze volumes, de publicação mensal, em que Camilo Castelo Branco apresenta pequenos textos sobre variadas temáticas e que, segundo o próprio, foram inspirados nas suas muitas noites de insónia. ( Resumo por sailormoon )
    Show book
  • Guerra de urina - cover

    Guerra de urina

    Altair Teixeira Martins

    • 0
    • 1
    • 0
    O escritor resolveu confrontar-se diretamente com um dos aspectos mais evidentes que a linguagem humana permite: a sociabilidade. Colocando seus personagens numa situação-limite, ele experimenta a linguagem num outro registro, aquele da escatologia. A situação é, ao mesmo tempo, hilariante e dramática: há uma guerra em desenvolvimento, uma estranha guerra. Altair Martins não perdoa nada nem ninguém. Leva a situação a um limite quase apocalíptico para, de repente, mudar todo o registro. Eis a ambiguidade proposta pelo dramaturgo que, ao estrear na literatura dramática com este texto, desafia-nos a uma série de experimentos: a linguagem, o espetáculo, a encenação, a reflexão sobre a sociedade de consumo, o egoísmo, a irracionalidade daquelas questões que parecem “politicamente corretas”, mas não o são assim tão eficientemente etc.
    Ler o texto de Altair Martins é divertido, mas certamente vê-lo transformado em espetáculo será ainda mais. Porém, cuidado: esse divertimento é crítico, pode matar... nossa boa-fé ou ingenuidade.
    Antonio Hohlfeldt
    Show book
  • Demónios Urbanos - cover

    Demónios Urbanos

    Emanuel R. Marques

    • 0
    • 1
    • 0
    Uma compilação de pequenos contos conduzidos por uma espécie de profana providência, um género de filosofia do pessimismo cósmico a acontecer porque simplesmente existe e, como as coisas que simplesmente existem, a manifestar-se na roldana do quotidiano com o molde de uma surpresa que não podemos prever e da qual nos não conseguimos esconder. O mal, se o é, tem como seu prodígio brotar do seio da estrutura, da segurança e do bem, e nesse sentido, esta obra é uma epistola concernente à sua essência.
    Show book