Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
O Quarto Poder em Rede - cover

O Quarto Poder em Rede

Victor Sampedro

Publisher: Abooks

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

O quarto poder em rede não tem nada de doutrinário, nem mesmo dessa nova superstição ou religião dos TIC, que se apresenta como uma fraternidade de iguais. Em vez disso, enfrenta as contradições e obstáculos e perigos, como pode ser o de uma nova desigualdade que esgace a sociedade ainda mais. Por isso a de Victor Sampedro, a quem tanto devemos, porque ensina sem dominar, é o olhar da Arce. De nossa Arce. Obrigado. E ande a roda!

Other books that might interest you

  • Diário de Uma Democracia - 600 Dias que Marcaram o País! - cover

    Diário de Uma Democracia - 600...

    Rafael Moia Filho

    • 0
    • 0
    • 0
    Este livro procura detalhar o período compreendido entre o fim do governo Temer e o começo das movimentações para a eleição presidencial de outubro de 2018, reproduzindo, através de vasta pesquisa e opiniões do autor e de jornalistas, todas as nuances vividas desde o momento do lançamento das candidaturas até o decorrer dos seiscentos dias de posse do novo governo. Uma trajetória que acabou se misturando com a pandemia do novo coronavírus, que tomou de assalto o mundo em que vivemos, trazendo ainda mais problemas do que alegrias em meio à gestão do novo governo federal. Escrito como se fosse um diário de bordo, este livro detalha a campanha eleitoral, a posse do novo presidente e as histórias que seguiram com o país, que mesmo com suas instituições democráticas funcionando nunca alcançou a tranquilidade que desejávamos. Traz à tona justamente as nuances que a nossa democracia vive mesmo após uma eleição democrática, livre, sem fraudes, com todas as garantias preservadas aos eleitores, candidatos e cidadãos do país. Tudo isso por conta da instabilidade emocional de um presidente que não tem a bagagem necessária para lidar com críticas e diferenças de opiniões, naturais no processo político e democrático. Um presidente que defendeu em público no plenário da Câmara Federal o torturador Carlos Brilhante Ustra. Que nunca admitiu que houvéssemos vivido uma Ditadura Militar, fruto de um golpe na noite de 31 de março ou na madrugada de 1º de abril, como querem alguns historiadores. Que, embora eleito pelo voto popular, prefere incitar seus seguidores a apoiar a reedição de um novo AI-5 – Ato Institucional nº 5, o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal. Neste turbilhão de confrontos e ódio, o país assiste à inércia de uma gestão que, ao invés de tentar resolver os graves problemas da nação, se limita a fingir que está em campanha eleitoral para 2022. Boa leitura.
    Show book
  • Em Preto e Branco - cover

    Em Preto e Branco

    José Ribamar Garcia

    • 0
    • 0
    • 0
    Romance ágil, moderno e fiel e que explora episódios que marcaram a vida do povo brasileiro, como o governo Carlos Lacerda, o golpe de 64 e sua violência desmedida contra a Constituição, o AI-5, a ditadura ampla e irrestrita, a tortura e a censura a toda e qualquer manifestação artística e cultural.
    Show book
  • Liberdade Sufocada - cover

    Liberdade Sufocada

    Luiz Augusto Flores

    • 0
    • 0
    • 0
    Esta obra é crítica de interesse público, baseada na verdade de quem viveu os fatos, é narrativa de fatos reais, liberdade de expressão e de imprensa sufocada, regime de APARTHEID, viagens, projetos, ações e investigações, experiências e exemplos de vida, depoimentos, poesias.
    Show book
  • Mãos limpas coração quente - Um brasileiro no Kremlin - cover

    Mãos limpas coração quente - Um...

    Esther Rodrigues

    • 0
    • 0
    • 0
    '''Se você sempre fantasiou sobre o que acontecia por trás da Cortina de Ferro — espionagem, conspirações, agentes duplos e triplos, mulheres fatais, muito frio e muita vodca — e, naturalmente, nunca pôde ir lá, este livro é o seu passaporte. Com ele, você dará um passeio pelo Kremlin de 1964 a 1990, com direito a um guia autorizado: o diplomata brasileiro Obertal Mantovanelli, íntimo de seus salões e corredores e personagens claros e obscuros. E pode crer: nossas fantasias eram pinto diante do que acontecia por lá.'' RUY CASTROLembranças de um brasileiro que viveu na União Soviética, nos anos em que nascia em nosso país. Uma visão privilegiada da guerra, nem sempre fria, entre dois mundos — os soviéticos comunistas e os americanos capitalistas — que demonizavam-se mutuamente e queriam impor ao mundo seu modelo.'
    Show book
  • Chapados de cloroquina: a morte da empatia - cover

    Chapados de cloroquina: a morte...

    Alexandre Gossn

    • 0
    • 0
    • 0
    O que houve conosco durante esta pandemia? Assassinamos a empatia? Estávamos conscientes ou embriagados...  talvez, como diziam os versos de Jim Morrison no poema Stoned Immaculate: “Aqui no perímetro não há estrelas; aqui a gente tá chapado...Imaculado.” (Tradução livre).
    
    Nosso governo federal estocou como nunca uma medicação ineficaz para tratar a doença que causou a maior mortandade da nossa história: doentes de malária não puderam se tratar porque esgotamos a cloroquina, droga ineficaz para tratar a Covid-19, mas que trata justamente as febres do plasmodium. Tratamos criaturas sem células como vírus como se fossem seres unicelulares como protozoários e vidas humanas como se fossem descartáveis como insumos econômicos inesgotáveis. Nenhum evento, doença, revolta, insurreição ou guerra matou tantos brasileiros como a Covid-19. E o que fizemos? Chapamos. Chapamos nas festas clandestinas, nas aglomerações evitáveis e nas abominações que cometemos.  Chapamos nossos celulares e redes sociais de ódio, fakenews, egoísmo e futilidades, chapamos muito... mas ao contrário dos versos de Jim Morrison, ficamos chapados, mas nada imaculados.
    
    Neste novo ensaio, Alexandre Gossn reflete sobre as causas de uma segunda epidemia em nossa sociedade: o narcisismo e a falta de empatia com nossos semelhantes. Invocando o estudo feito nos anos 40 do séc. XX pelo filósofo Karl Jaspers sobre a culpa pelo nazismo entre os  cidadãos alemães, o autor deixa a pergunta: o que as futuras gerações dirão de nós?
    Show book
  • Volver a direita - cover

    Volver a direita

    José Abdullhay Dias Ribeiro

    • 0
    • 0
    • 0
    A modalidade eletrônica trará às contratações públicas a aplicação de boas práticas, até então “em desuso”, e essas regras (obrigatórias no pregão eletrônico) serão capazes de inserir importantes procedimentos também nas demais modalidades.
    Tenho convicção de que a leitura atenta deste livro, em forma de manual, será de grande utilidade ao leitor, proporcionando segurança na implantação do pregão eletrônico na estrutura do seu órgão.
    Show book