Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
A pausa do tempo - cover

A pausa do tempo

Valéria Martins

Publisher: Jaguatirica

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

A Pausa do Tempo, de Valéria Martins, presenteia os leitores com textos do seu blog, 67 crônicas tecidas com sutileza e perspicácia, reflexões lúcidas acerca do amor, do tempo, do cotidiano, viagens, literatura, cinema. Sem sair da suavidade, Valéria lança seu olhar às vezes leve e divertido, outras vezes denso e doloroso, mas sempre cheio de confiança na vida, no ser humano e em Deus.

Other books that might interest you

  • Khaos e Khalmaria - Contos para um café da tarde - cover

    Khaos e Khalmaria - Contos para...

    Daniel Constantini

    • 0
    • 0
    • 0
    Khaos e Khalmaria apresenta um universo de luz e trevas, boas histórias narradas por uma inusitada figura que te convida para se acomodar e degustar cada gota deste mundo como um bom café
    Show book
  • Azul Cobalto - cover

    Azul Cobalto

    Maria Teresa Horta

    • 0
    • 0
    • 0
    Azul Cobalto reúne 12 contos que foram publicados em Portugal: 'Lídia', 'Calor', 'Uriel', 'A princesa espanhola', 'Com a mão firme e doce', 'Raízes', 'Laura e Juliana', 'Efémera', 'Eclipse', 'Leonor e Teresa', 'Transfert' e 'Azul Cobalto'. A pedido de Maria Teresa Horta, a obra foi editada no Brasil com o texto original, no português de Portugal, porque a autora discorda do acordo ortográfico assinado entre os países lusófonos. A poetisa, ficcionista e jornalista portuguesa Maria Teresa Horta lança no Brasil Azul Cobalto, livro de contos editado pela editora Oficina Raquel (Rio de Janeiro). Uma das mais importantes figuras da literatura portuguesa, Maria Teresa Horta conjuga com perfeição a luta feroz pelas causas que defende e o fulgor da escrita. Com um vasto e diferenciado acervo literário que inclui poesia e prosa, a obra da escritora tem o erotismo e a intervenção social como temas constantes. Os textos, no conjunto, falam sobre questões que permeiam o universo feminino a partir de contos que valorizam a mulher no tempo e no espaço dentro da cena literária. Além disso, tratam de temas antigos à literatura, especialmente a portuguesa, como o fingimento e a relação com a história do país.
    Show book
  • Lacatumba - cover

    Lacatumba

    Viviane Juguero

    • 0
    • 0
    • 0
    A dramaturgia para crianças de Viviane Juguero reitera algumas características a cada novo texto: o universo infantil, a cultura popular, a musicalidade e a ênfase artístico-pedagógica. Em Lacatumba, personagens do universo fantástico que resistem ao tempo vestem novas roupagens, trejeitos, tiques e manias, que garantem o humor e, com certeza, prenderão a atenção das plateias. Os ritmos vão da ópera ao rock, com visitas às estações do tango, da rumba e da balada.
    Boa viagem!
    Jorge Rein
    Show book
  • Morri por educação - Dezessete contos desgraçados - cover

    Morri por educação - Dezessete...

    Nathalie Lourenço

    • 0
    • 0
    • 0
    Este livro que o leitor agora tem em mãos e começa a folhear é também sobre a tragicomédia da vida. Situações indizíveis, pensamentos peculiares, algo de intensamente triste, algo de intensamente lírico. Há um realismo chão e há, irmanada, uma possibilidade quase mística de encanto pelo outro. O trejeito. O desalinho. Encontra-se aqui a lágrima pretendida e um fundo de dor em cada gargalhada. E como há gargalhadas. E como há lágrimas. Nathalie Lourenço traz tudo isso à tona. Seus personagens estão sempre a nos lembrar o tanto que temos de um pouco ridículos. E de um pouco bonitos.Apesar de ser um livro de estreia, Morri por educação já nos apresenta uma escritora experiente, segura do que as suas histórias têm para contar e hábil para nos conduzir pela leitura. Provável fruto de uma longa trajetória escrevendo crônicas, poemas e contos, publicados em revistas literárias, antologias, sites e blogs variados. É emblemático em seu texto, assim como nesse livro, o dom que Nathalie tem para extrair intensidade da minúcia. Um mobiliário inusitadamente decorado, um vestuário mal-ajambrado, algum hábito ou vício, uma indisfarçada reação inconsciente, um apelido, ou mesmo um pequeno animal de estimação. Estes, e tantos outros, podem parecer meros detalhes, mas o leitor atento perceberá que aqui eles ganham uma vida nova, ajudam-nos a ler o mundo, e se tornam verdadeiros personagens coadjuvantes de cada um destes dezessete contos desconcertantes.A grande força, a estupenda e inconfundível beleza dos contos de Nathalie Lourenço está, portanto, nessa oferta inseparável de tristeza e riso, dor e alegria, choro e prazer. Finalista da Maratona Literária, Morri por educação já estreia premiado, quem sai recompensado é o leitor.Leandro Jardim
    Show book
  • Cabeça de bronze - cover

    Cabeça de bronze

    Maria Amélia De Carvalho

    • 0
    • 0
    • 0
    O livro leva o título de um dos contos desta coletânea de crônicas do cotidiano, além de contos e memórias da autora. Este é seu primeiro livro para gente grande onde relata, na maioria, vivências pessoais com temas bastante variados, com ênfase no humor. A autora aqui se equilibra numa gangorra entre o viver e o imaginar, como acredita José Saramago: "o vivido pode ser imaginado e o inverso é verdadeiro".
    Show book
  • Somos todos cúmplices - cover

    Somos todos cúmplices

    Patrícia Rezende

    • 0
    • 0
    • 0
    Em seu primeiro livro de contos, Patrícia Almeida de Rezende se dedica a narrar os tantos casos de mulheres que, por algum motivo, têm sua vida engessada, em cada conto protagonizando uma Ana diferente que, de certa forma, se assemelha à Ana do conto anterior, como se estivéssemos em um emaranhado de personalidades múltiplas presas dentro de um único nome. Com uma narrativa que parece uma “bandeira agitada ao sabor dos ventos”, o intrigante livro de contos de Patrícia, Somos todos cúmplices coloca-nos como voyeurs no meio de mentiras e intrigas, situações de conflito e uma sensação de poeira grudada na pele, como verdadeiros cúmplices, pois cada mulher, cada Ana, é mesmo “um lugar na nuvem, inexistente no mapa geográfico” que luta – a cada página virada – para ser ouvida.
    Show book