Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Correr - A História de Uma Das Atividades Físicas Mais Praticadas No Mundo - cover

Correr - A História de Uma Das Atividades Físicas Mais Praticadas No Mundo

Thor Gotaas

Publisher: Matrix

  • 0
  • 2
  • 0

Summary

Livros sobre corrida a pé são de duas categorias: ou ensinam a correr ou mostram a superação através dela. Pela primeira vez, um autor pesquisa a fundo o assunto para nos mostrar que o ser humano corre desde que aprendeu a ficar em pé e que tornou-se o maior corredor de longa distância do mundo.
Nesta obra, você vai ver fatos inusitados sobre essa atividade física. Dos famosos corredores mensageiros incas, passando pela corrida ao longo das épocas e de diversos países e por lendas do esporte, como Abebe Bikila – o corredor etíope descalço que venceu a maratona dos Jogos Olímpicos de 1960, em Roma –, até as maratonas e Olimpíadas modernas.

Other books that might interest you

  • Operação Portuga - Cinco homens e um recorde a ser batido - cover

    Operação Portuga - Cinco homens...

    Sérgio Xavier Filho

    • 0
    • 0
    • 0
    Este não é um livro sobre corrida, embora se passe entre treinos e competições. É sobre gente. Na verdade, um tipo muito especial de gente. O esporte é o pano de fundo, mas o que está em jogo é muito mais do que isso. São histórias de competição, superação e camaradagem. Em outubro de 2006, o empresário Amílcar Lopes Jr., o Portuga, realizou um feito memorável ao completar a Maratona de Chicago em 2 horas 43 minutos e 50 segundos. A marca, extraordinária para um amador, fez dele uma espécie de lenda no circuito dos corredores de rua de São Paulo. Desde aquele momento, Portuga se tornou o homem a ser batido. O circuito das maiores maratonas do mundo - Berlim, Boston, Chicago, Nova York e Paris - é o cenário ideal para a busca pelo recorde. Lelo, Guto e Tomás correm o mundo, literalmente, para derrubar o Portuga. A esse grupo junta-se mais tarde Felipe Wright e sua obsessão em terminar uma maratona abaixo de 3 horas. E ele chegou lá, com a ajuda de um amigo capaz de um gesto de pura e comovedora nobreza.
    Show book
  • Flô o goleiro "melhor do mundo" - cover

    Flô o goleiro "melhor do mundo"

    Thomas Mazzoni

    • 0
    • 0
    • 0
    As mazelas do futebol brasileiro são apontadas sutilmente por Thomaz Mazzoni (sob o pseudônimo "Olimpicus") no primeiro romance esportivo publicado no Brasil, em 1941. Florêncio Volpe é o goleiro Flô, craque do time do Velox FC. Prestes a se casar com a namorada Lydia, Flô vê sua vida desandar num turbilhão de emoções que prejudica sua carreira profissional, e o faz ser acusado de ter-se "vendido" ao adversário. O final é eletrizante, tanto pela trama que Mazzoni costurou, quanto pelas denúncias que faz à organização do futebol brasileiro, sua relação às vezes torta com a imprensa esportiva, escalações de árbitros etc. Sob o pseudônimo "Olimpicus", o jornalista italo-paulistano Thomaz Mazzoni produziu mais de 5.000 crônicas em "A Gazeta Esportiva", ao mesmo tempo em que produzia livros e almanaques, pioneiros na edição de jornalismo esportivo em nosso País.
    Show book
  • Futebol linguagem artes cultura e lazer - volume II - Produção acadêmica sobre futebol - cover

    Futebol linguagem artes cultura...

    Silvio Ricardo da Silva, Elcio...

    • 0
    • 0
    • 0
    'Futebol, linguagem, artes, cultura e lazer' é resul­tante das conferências proferidas durante o I Simpósio Internacional Futebol, Lin­guagem, Artes, Cultura e Lazer (BH/MG, 2013). Ambos foram organizados pelos professores Elcio Cornelsen, Günther Au­gustin e Silvio Ricardo da Silva, integran­tes de dois dos principais núcleos brasi­leiros de pesquisa sobre futebol, GEFuT e FULIA (UFMG). Esta publicação explora assuntos varia­dos, devido ao perfil e à atuação trans­disciplinares dos pesquisadores. Em sua maioria, eles convergem para o período do surgimento do futebol até os anos 1950. Ou seja, os ensaios exploram a aparição de uma nova cultura do corpo atrelada às imposições contemporâneas, espe­cialmente as advindas das expansões citadinas, da luz elétrica, das inovações estéticas modernistas, das organizações de trabalho ou das configurações identi­tárias e de poder, ou ainda da preservação da memória dos jogadores. Uma obra indispensável no âmbito dos estudos futebolísticos.
    Show book
  • DataFogo: Números Gloriosos do Botafogo de Futebol Regatas e outros Esportes - cover

    DataFogo: Números Gloriosos do...

    Claudio Marinho Falcão

    • 0
    • 0
    • 0
    Adulto, começou a escrever artigos sobre voleibol, esporte que acompanhou muito de perto na fase áurea da Estrela Solitária, para o informativo da Torcida Unifogo, que contava com alguns membros no quadro social botafoguense.
    Entre 2008 e 2010, colaborou assiduamente com o blog “Mundo Botafogo” de Rui Moura, e, há aproximadamente sete anos, criou o blog “DataFogo”, no qual, com a participação de colegas pesquisadores, procurava colocar na grande rede diversos artigos, baseados nas pesquisas que desenvolvemos.
    Como consequência, surgiu agora a oportunidade de editar esta obra, na qual o Autor incluiu artigos que foram redigidos com base em suas pesquisas, refletindo a atuação do Botafogo nos diversos esportes em que competiu, e que, em muitos deles, ainda compete.
    
    Informações pesquisadas especialmente para os Botafoguenses que, como Claudio Falcão, trilham a estrada de louros iluminada pela Estrela Solitária.
    Show book
  • Escolas violências e educação física - cover

    Escolas violências e educação...

    Carlos Alberto Figueiredo da...

    • 0
    • 0
    • 0
    ‘Escolas, violências e educação física’ é um livro que compila visões sobre a escola, o papel e a importância da educação, em especial à disciplina de educação física, que pode ser um instrumento de auxílio contra a violência ocorrida dentro do ambiente escolar. A obra, organizada pelos professores Mauricio Murad, Roberto Ferreira dos Santos e Carlos Alberto Figueiredo da Silva, é uma iniciativa que pode auxiliar a entender o processo de realidades plurais e diversificadas, ao trabalhar conceitos como valores da cidadania, redefinir o sentido de escola, de modo a entender e enfrentar “um dos mais graves problemas do Brasil na atualidade, inclusive no interior das escolas: a violência.” O livro, com dez artigos escritos ao todo por um grupo de vinte e cinco autores, perpassa pela conceituação de violência, compila pesquisas em escolas e indica algumas soluções de combate às diversas práticas de violências, sejam elas físicas, de gênero ou psicológicas, cujas principais vítimas são jovens e crianças em processo de formação.
    Show book
  • Uma História das Copas do Mundo - volume 2 - cover

    Uma História das Copas do Mundo...

    Airton de Farias

    • 0
    • 0
    • 0
    Para conhecer o futebol. Para conhecer a História. Para conhecer o mundo. Em Uma História das Copas do Mundo – futebol e sociedades, Airton de Farias faz uma apaixonante análise da trajetória do esporte mais popular do planeta e suas conexões com diversas sociedades e processos históricos.“Nunca foi feito nada igual no Brasil”, escreve Juca Kfouri, em sua apresentação do livro Uma História das Copas do Mundo – futebol e sociedade, de autoria do historiador Airton de Farias, a ser lançado em abril pela editora Armazém da Cultura. O texto, em mais de mil páginas, editado em 2 volumes, aborda a contextualização política do mundo pré-Copa, de 1930, ano da primeira Copa, até hoje, quando chegamos à vigésima, insere e relaciona o esporte mais popular do planeta na vida e na política com grandes fatos e processos históricos do final do século XIX, XX e início do XXI. Em nome da bola fez-se guerras, como entre Honduras e El Salvador, em 1969. Em nome da bola, torcidas digladiar-se-iam. Em nome da bola, a paz aconteceu. Com a bola, o neonazismo se expande na Europa, aproveitando-se da crise que o mundo capitalista vive desde 2007. Em nome da bola, povos se confraternizaram, a ponto de inimigos irreconciliáveis, a exemplo de Irã e Estados Unidos, darem-se as mãos dentro de campo e ficarem lado a lado, como se fossem velhos companheiros em divertido jogo de várzea no final da tarde. Com a bola, um indiozinho argentino (Maradona) venceu um gigante inglês, vingando toda uma nação que perdera uma ilha numa guerra delirante estimulada por uma ditadura sanguinária. São relatos do autor Airton de Farias, fundamentados em pesquisa de dois anos e meio com inúmeras fontes e matérias que respaldam e conferem absoluta credibilidade ao livro.
    Show book