Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Doce revelação - cover

We are sorry! The publisher (or author) gave us the instruction to take down this book from our catalog. But please don't worry, you still have more than 1 million other books you can enjoy!

Doce revelação

Sharon Kendrick

Publisher: Harlequin, una división de HarperCollins Ibérica, S.A.

  • 0
  • 1
  • 0

Summary

Triss Alexander enfrentou a tarefa mais difícil da sua vida. Cormack Casey tinha posto a sua vida de pernas para o ar e tinha-lhe feito muito mal. A única coisa que a ajudara a seguir em frente fora a sua vontade de se vingar, fazendo-lhe o mesmo mal que ele lhe fizera a ela.  Não se viam desde a véspera de Ano Novo, quando conceberam o Simon...

Other books that might interest you

  • Contos de Lima Barreto - cover

    Contos de Lima Barreto

    Lima Barreto

    • 0
    • 0
    • 0
    Lima Barreto começou a sua colaboração na imprensa desde estudante, em 1902, no A Quinzena Alegre, depois no Tagarela, O Diabo, e na Revista da Época.Em jornais de maior circulação, começou em 1905, escrevendo no Correio da Manhã uma série de reportagens sobre a demolição do Morro do Castelo.Daí em diante, colaborou em vários jornais e revistas, Fon-Fon, Floreal, Gazeta da Tarde, Jornal do Commercio, Correio da Noite, A Noite (onde publicou, em folhetim, Numa e a Ninfa), Careta, ABC, um novo A Lanterna (vespertino), Brás Cubas (semanário), Hoje, Revista Souza Cruz e O Mundo Literário.Lima Barreto foi o crítico mais agudo da época da República Velha no Brasil, rompendo com o nacionalismo ufanista e pondo a nu a roupagem da República, que manteve os privilégios de famílias aristocráticas e dos militares.Em sua obra, de temática social, privilegiou os pobres, os boêmios e os arruinados. Foi severamente criticado pelos seus contemporâneos parnasianos por seu estilo despojado, fluente e coloquial, que acabou influenciando os escritores modernistas.Também queria que a sua literatura fosse militante. Escrever tinha finalidade de criticar o mundo circundante para despertar alternativas renovadoras dos costumes e de práticas que, na sociedade, privilegiavam pessoas e grupos. Para ele, o escritor tinha uma função social. (Extraído da Wikipedia)
    Show book
  • Jornada terra - cover

    Jornada terra

    Marizia Cezar

    • 0
    • 0
    • 0
    O tridimensional visita a Linguagem na Literatura em companhia da Pintura com idéias criativas da Mente Matemática numa trilha musical atração sedutora de partículas: PAZ! Demonstrar o espaço dentre entre além descobrir TRANS SINTESE em Pintura: conhecimento Revelação Inteligência Cognitiva - capacidades e imaginação, totalidade em extensão da geometria analítico-abstrata; som-imagem nas idéias e símbolos, escritos abençoados de comuns objetivos em sintonia de busca, quais se concretizem sucessiva recriação/múltipla operação Arte e Matemática de ver viver conviver, e convida-se à vida com ARTETERAPIA para sermos enfim harmonia e Infinito... Melodia vozes corais em Partitura para os versos da Oração PAI NOSSO (de domínio público), estado de graça em lucidez inspiração de gratidão pela remissão CA da criança, e pinturas datadas anos 1988 e 1990 - Marizzia Cezare (ou Marizia Cezar). Identificações e referências na História da Arte - Literatura Gênero Crônica Narrativa: Santa Clara às vésperas de sua morte, e acamada, acompanhou à distância a missa na igreja de São Francisco com a posterior descrição completa confirmada do sermão, jus ao título pelo Papa Pio XII de Padroeira da TV e Comunicação, expansão do texto para ficção, crítica sobre a realidade contemporânea e fatos universais em observação quântica sutil articulação de línguas, particular entendimento à aplicação ao reexame leitura/revalorização do pensamento pessoal na Língua Materna à compreensão de aspectos semânticos, sintáticos e estilísticos de tradução estrangeira, nos trânsitos coletivos político-econômicos, estruturas em transformação sob artísticos signos-reflexo da humanidade, referencial manifestação da súmula do comportamento mundial, conjunto da Inteligência Emocional - ordem e subordinação, emparelhamento de funções coordenadas espaciais e temporais. Fotografia ou desfragmento tatuagem, planos do cinema nos retóricos submersos, companhia eloquente fantasia HQ sensibilidade e realidade na velocidade digital à penumbra dos estudos linguísticos consecutivos sacrifícios populacionais no mundo globalizado gerações tomam forma Arte, Linguagem e Interpretação: a busca pela Paz.
    Show book
  • Chuva de flores - cover

    Chuva de flores

    Cristina Caldas

    • 0
    • 0
    • 0
    Leopoldo tem seu mundo arruinado, quando sua mãe o deixa sozinho, numa noite, na Praça da República no centro do Rio de Janeiro.
    Acostumado aos mimos de Dora, ele agora luta para arranjar a própria comida. Enquanto tenta se adaptar à sua nova realidade, conhece a belíssima Vina, com quem tem a chance de construir uma nova vida, mas é pela simplória Clara por quem se apaixona perdidamente. Lutando pela sobrevivência e tentando vencer seus bloqueios, ele terá que tomar uma difícil decisão: Fazer o que é certo ou ser feliz ao lado de uma "galinha".
    Baseada em fatos reais, a história de Leopoldo e Clara vem nos mostrar que o amor é capaz de superar todos os preconceitos e contrariar até as leis da natureza.
    Show book
  • O Alienista - cover

    O Alienista

    Machado de Assis

    • 0
    • 1
    • 0
    Considerado por muitos como o maior escritor brasileiro de todos os tempos, Machado de Assis ganha sempre novas edições impressas e versões para os mais diferentes meios de expressão artística. Faltava apenas um Machado em áudio, em MP3, lido por um ator jovem e talentoso. Ator, violonista clássico e jornalista, RAFAEL CORTEZ atuou em peças infantis e adultas. Na televisão, iniciou sua carreira fazendo sucesso no programa CQC, da TV Bandeirantes. Neste audiolivro, a leitura de RAFAEL CORTEZ, que se diz "louco por Machado", é fluída, como se as palavras tivessem vivido dentro dele desde as primeiras leituras na escola, as releituras de adulto, desde sempre. Nos momentos decisivos da obra, RAFAEL CORTEZ encontra o melhor timbre e a entonação perfeita para deixar tudo bem claro para o ouvinte. Em O Alienista, Machado de Assis ironiza o conceito de loucura e o poder do conhecimento científico. No conto, o médico Simão Bacamarte funda um hospício e passa a internar nele todos aqueles que julga loucos. O procedimento leva a um desfecho inesperado. Esta obra, publicada entre 1881 e 1882, marcou o início da fase realista do autor e vem sendo lida por todas as gerações desde então. Com cerca de 2 horas de duração.
    Show book
  • Híbridos - a origem - cover

    Híbridos - a origem

    Hagg Ribeiro

    • 0
    • 0
    • 0
    O esquadrão híbrido, formado por humanos e híbridos entre as raças humana e baraquiana do planeta Baraque, liderado pelo príncipe híbrido, herdeiro de Isabu, imperador do planeta Baraque, terão batalhas de guerra contra o híbrido Iole e seus aliados.
    
    Iole toma o planeta Baraque e vários planeta do universo e vai à Terra para eliminar o príncipe herdeiro e conquistar o planeta.
    Para conquistar a Terra, Iole alia-se ao comandante da BMEA – base militar de estudos alienígenas, Darwin. 
    Os integrantes do esquadrão híbrido, humanos e híbridos com habilidades especiais não medirão esforços para defender o planeta Terra.
    Show book
  • Os amigos da letra H - cover

    Os amigos da letra H

    Ana Márcia Vieira

    • 0
    • 0
    • 0
    A Letra H mora na Rua do Alfabeto, uma rua muito divertida. A letra H não possui som no início das palavras, mas percebe que, ao se juntar com outras três letrinhas, ela passa a ter som e pode ajudar na formação de outras palavras sua brincadeira preferida. Esta não é a única descoberta da letra H: ela percebe que, mesmo não tendo som no início das palavras, ela é importante. Brincando com o H e seus amigos vamos fazer muitas descobertas no mundo da leitura.
    Show book