Reading without limits, the perfect plan for #stayhome
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Read online the first chapters of this book!
All characters reduced
Devido Processo Legal e Proteção De Direitos - cover

Devido Processo Legal e Proteção De Direitos

Sérgio Luís Wetzel De Mattos Mattos

Publisher: Livraria do Advogado Editora

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

No livro, são examinados os dois aspectos do devido processo legal, isto é, o devido processo substantivo e o processo justo, com remissão à doutrina brasileira e estrangeira, bem como à jurisprudência da Suprema Corte norte-americana, do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça.

Other books that might interest you

  • Open innovation e os direitos da propriedade intelectual - interseção ou dicotomia? a atuação dos instrumentos contratuais na promoção da inovação aberta - cover

    Open innovation e os direitos da...

    Raphaela Portilho

    • 0
    • 0
    • 0
    Este livro busca analisar os aspectos subjacentes à emergência do paradigma open innovation (ou inovação aberta). Como atualmente o conhecimento se mostra difundido entre inúmeras fontes, a ideia de uma estrutura totalmente vertical e autossuficiente de pesquisa e desenvolvimento, inerente aos modelos fulcrados no paradigma anterior (closed innovation ou inovação fechada), vem dando lugar à crença de que ideias valiosas podem surgir tanto internamente quanto externamente, da mesma maneira que as inovações resultantes das atividades empresariais podem chegar ao mercado por caminhos internos e externos. Essa abordagem atribui grande relevância ao intercâmbio de conhecimento e à perspectiva colaborativa, destacando como principal vantagem a diminuição dos custos com pesquisa e desenvolvimento. Dentre os vários pontos de distinção entre os referidos paradigmas encontra-se a função a ser desempenhada pela propriedade intelectual. Conforme este livro pretende demonstrar, as sociedades empresárias adotantes do modelo em comento abordam a questão da titularidade de direitos de propriedade intelectual como ponto crucial à consecução de práticas baseadas em inovação aberta, as quais se instrumentalizam a partir de contratos formais.
    Show book
  • Regime Diferenciado de Contratações Lei n 12462 2011 - cover

    Regime Diferenciado de...

    Ariel Koch Gomes

    • 0
    • 0
    • 0
    Esta obra traz ao público uma análise objetiva do Regime Diferenciado de Contratações (RDC), tendo por meta enfrentar, de maneira crítica e prática, as principais controvérsias que desta legislação surgem, preparando o jurista e o gestor público para atuarem nas licitações e contratos regidos pela Lei nº 12.462/11. O trabalho foi cuidadosamente estruturado para cumprir com a tarefa de traçar um diagnóstico da referida legislação, inserindo-se, no texto, facilitadores para o leitor compreender melhor o conteúdo exposto, como: Resumo dos principais pontos tratados, disposto ao final de cada tópico Destaque às análises críticas feitas pelo autor, o que facilita ao leitor que quer obter uma compreensão objetiva e direta do assunto tratado Enfatizou-se, com negrito, as palavras-chave de cada ponto da matéria, permitindo o destaque daquilo que é essencial a ser apreendido A linguagem é direta e objetiva, a fim de qualificar a pedagogia da obra Toda a matéria está permeada com centenas de julgados oriundos do STF,  STJ e TCU, sendo eles atualizados semanalmente, até a edição final.
    Show book
  • Fábulas volume 1 - cover

    Fábulas volume 1

    Aesop Aesop

    • 0
    • 0
    • 0
    Esopo é um lendário autor grego, que teria vivido na Antigüidade, ao qual se atribui a paternidade da fábula como gênero literário. As Fábulas de Esopo serviram como base para recriações de outros escritores ao longo dos séculos, como Fedro e La Fontaine. O local de seu nascimento é incerto — Trácia, Frígia, Etiópia, Samos, e Sardes todas clamam a honra. Eventualmente morreu em Delfos. Na verdade, todos os dados referentes a Esopo são discutíveis e trata-se mais de um personagem lendário do que histórico. A única certeza é que as fábulas a ele atribuídas foram reunidas pela primeira vez por Demétrio de Falero, em 325 a.C.. 
     
    Esopo teria sido um escravo, que foi libertado pelo seu dono, que ficou encantado com suas fábulas. Ao que tudo indica, viajou pelo mundo antigo e conheceu o Egito, a Babilónia e o Oriente. Concretamente, não há indícios seguros de que tenha escrito qualquer coisa.Entretanto, foi-lhe atribuído um conjunto de pequenas histórias, de carácter moral e alegórico, cujos papéis principais eram desenvolvidos por animais. Na Atenas do século V a.C., essas fábulas eram conhecidas e apreciadas. 
     
    As fábulas que lhe são atribuídas sugerem normas de conduta que são exemplificadas pela ação dos animais (mas também de homens, deuses e mesmo coisas inanimadas). Esopo partia da cultura popular para compor seus escritos. Os seus animais falam, cometem erros, são sábios ou tolos, maus ou bons, exatamente como os homens. A intenção de Esopo, em suas fábulas, era mostrar como os seres humanos podiam agir, para bem ou para mal.Assim como Homero, as fábulas de Esopo faziam parte da tradição oral dos gregos, por isso não foram escritas pelo seu suposto autor. Mais de duzentos anos depois da suposta morte de Esopo é que as fábulas foram reunidas e escritas. 
     
    (Adaptado da wikipedia por Vicente)
    Show book
  • Estudos linguísticos e literários - aplicados ao ensino - cover

    Estudos linguísticos e...

    Elisa Guimarães

    • 2
    • 1
    • 0
    A obra encadeia associações entre os valores técnicos da língua e os valores estéticos da literatura. Realiza, então, duas abordagens complementares, defi nida a unidade língua/literatura como uma díade com polos inseparáveis – a língua sustentando um código limitativo e prescritivo; a literatura alimentando a reprodução artística do sistema linguístico –, da fusão de ambas resultando um efeito de sentido.
    Show book
  • Os sentidos do humor: - possibilidades de análise do cômico - cover

    Os sentidos do humor: -...

    Thaís Leão Vieira, Lucía Aranda

    • 0
    • 0
    • 0
    O estudo do humor não é novo. Filósofos como Platão, Aristóteles, Kant, Hegel, Freud e Ortega y Gasset, escritores de renome como Baudelaire, Shakespeare ou Cervantes e acadêmicos como Bergson, Adorno ou Attardo, têm abordado o humor em suas obras. A centralidade e peso do humor na vida dos seres humanos é evidente no grande número de estudos que examinam diferenças e semelhanças de humor em inúmeros cenários como entre Oriente e Ocidente, em psicologia, na cognição, relações humanas, saúde, literatura, artes visuais ou mesmo política. Este volume é o trabalho de especialistas dedicados aos estudos do humor e tratou temas como o humor no mundo luso-hispânico por meio de representações sociais, linguagem e literatura.
    Show book
  • Manual prático de licitações e contratos administrativos - cover

    Manual prático de licitações e...

    Leonardo Campos Marinho

    • 0
    • 0
    • 0
    Considerando o ordenamento jurídico brasileiro, toda e qualquer contratação de obras, serviços, compras e alienações com a administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios deverão ser contratados mediante processo de licitação pública que assegure igualdade de condições a todos os concorrentes, com cláusulas que estabeleçam obrigações de pagamento, mantidas as condições efetivas da proposta, nos termos da lei, que somente permitirá as exigências de qualificação técnica e econômica indispensáveis à garantia do cumprimento das obrigações. Escuto isso, às vezes, de gestores públicos, que criticam a necessidade de realizar licitações para aquisição de bens ou contratação de serviços. Muitos dos gestores, com os quais tivemos oportunidade de discutir informalmente sobre o tema, alegam que as licitações impedem o modelo de gestão ideal de empreender, por engessarem a forma de contratação, bem como por gerarem um lapso temporal muito grande entre o planejamento e a implementação. Tentaremos mostrar, a seguir, que as licitações, quando devidamente planejadas e bem trabalhadas, podem deixar de ser um empecilho e se tornar um grande aliada do desenvolvimento seguro da administração pública. É importante salientar que todos os procedimentos estabelecidos pelo ordenamento jurídico acerca de licitações são úteis e justificáveis e somente buscam a máxima segurança jurídica das contratações.
    Show book