Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Intelectuais carisma e Ação Integralista Brasileira - cover

Intelectuais carisma e Ação Integralista Brasileira

Ramos Author

Publisher: Editora Garamond

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Nesta rigorosa pesquisa histórica, Alexandre Ramos destrinchou o processo de expansão e de consolidação da Ação Integralista Brasileira (AIB) no seu estreito vínculo com a participação dos intelectuais que compunham o movimento, animados como estavam pela ideia crucial, defendida pelo integralismo e presente no contexto intelectual brasileiro, do protagonismo social do intelectual no que dizia respeito às transformações do país e à intervenção sobre a sociedade brasileira.  Uma abordagem inovadora de um momento marcante da nossa história.ALEXANDRE PINHEIRO RAMOS é Doutor em Sociologia pela UFRJ e Mestre e Bacharel em História pela UERJ. Atualmente é Pesquisador de Pós-Doutorado da CAPES na UFRJ.

Other books that might interest you

  • A Revolução Mundial - cover

    A Revolução Mundial

    Herman Gorter

    • 0
    • 0
    • 0
    A partir de 1917 o problema da revolução russa se entrelaça com o da revolução mundial. Esse tema esteve presente na discussão política das organizações políticas revolucionárias e progressistas em geral. Os bolcheviques e outros colocam o sucesso da revolução russa na dependência de uma revolução mundial, ou, pelo menos, na Alemanha. Gorter realiza uma análise crítica do significado da revolução russa e mostra o seu caráter burguês, bem como analisa suas condições, os erros dos bolchevistas, bem como suas possibilidades. Gorter apresenta uma análise internacional da situação da revolução russa e coloca a necessidade de uma nova internacional, a Internacional Comunista Operária, em oposição à III Internacional.
    Show book
  • As filhas de Eva querem votar: - uma história da conquista do sufrágio feminino no Brasil - cover

    As filhas de Eva querem votar: -...

    Mônica Karawejczyk

    • 0
    • 0
    • 0
    Neste livro, a historiadora Mônica Karawejczyk apresenta o resultado de uma sólida investigação sobre o processo que culminou com a conquista do voto feminino no Brasil em 1932. A palavra conquista é apropriada para falar sobre as diferentes vozes que se manifestaram desde meados do século XIX, época das primeiras demandas pelo sufrágio, até os anos de 1930, quando o direito ao voto foi estendido às mulheres. 
    Ancorada em uma vasta pesquisa documental, Mônica nos conduz até as estratégias adotadas por homens e mulheres que defenderam o direito à cidadania feminina, enfatizando o protagonismo de persona¬gens como Leolinda Daltro, Bertha Lutz e Maria Lacerda de Moura. Em que pese o objetivo comum das lideranças, suas ações (registradas em cartas, atas, reuniões com parlamentares, atos públicos e na imprensa) evidenciam desacordos e disputas sobre os caminhos do movimento. 
    As manifestações eram pacíficas, tais como a realização de reuniões com parlamentares, publicações de artigos na imprensa e organização de encontros de mulheres. Todavia, Mônica demonstra que ações contestado¬ras, como as tentativas de alistamento de mulheres e o comparecimento a atos promovidos pelo Poder Público com cartazes e faixas alusivos à conquista do voto, também fizeram parte do ativismo político feminino. 
    Através de um diálogo entre a história política e a história das mulheres, Mônica Karawejczyk demonstra que as relações de gênero estiveram no centro do debate público durante a Primeira República. Seu trabalho des¬cortina a difícil caminhada da população feminina até a conquista do voto. 
    A história narrada neste livro não acabou. Muitos argumentos contrários ao voto feminino nas primeiras décadas do século XX ainda são evocados para justificar a posição subalterna das mulheres na política e em outros setores da sociedade. É uma leitura fundamental para compreender a história da cidadania no Brasil e a luta travada por diversas gerações de mulheres em busca da igualdade. 
    Natalia Pietra Méndez 
    Professora do Departamento de História/UFRGS
    Show book
  • Liberdade Sufocada - cover

    Liberdade Sufocada

    Luiz Augusto Flores

    • 0
    • 0
    • 0
    Esta obra é crítica de interesse público, baseada na verdade de quem viveu os fatos, é narrativa de fatos reais, liberdade de expressão e de imprensa sufocada, regime de APARTHEID, viagens, projetos, ações e investigações, experiências e exemplos de vida, depoimentos, poesias.
    Show book
  • A Era de Trump: - a encruzilhada da direita americana - cover

    A Era de Trump: - a encruzilhada...

    Bruno Biasetto

    • 0
    • 0
    • 0
    O presente livro visa trazer para o público brasileiro uma análise da presidência de Donald John Trump. Através do estudo de sua política doméstica e externa, torna-se possível entender como o conservadorismo está mudando os Estados Unidos. Esta obra pretende ir além das tradicionais polêmicas sobre Trump. Com foco na história política do país norte-americano, traz um olhar inédito sobre o tema, explicando como essa improvável presidência se tornou uma realidade.
    Show book
  • Mapas de percepção de riscos: metodologia multimétodo para análise de territorialidades afetadas pelo domínio armado - cover

    Mapas de percepção de riscos:...

    Ana Paula Mendes De Miranda,...

    • 0
    • 0
    • 0
    O livro apresenta detalhadamente as situações sociais relacionadas à insegurança e à violência que afetam o trabalho regular de medição da eletricidade provocadas por fraudes conhecidas popularmente, no Rio de Janeiro, como os “gatos” de energia elétrica. Com notável precisão conceitual, os autores desenvolveram uma pesquisa inovadora, que resultou numa metodologia de pesquisa – a construção de um mapeamento analítico dos conflitos e sua distribuição nos territórios (São Gonçalo e Caxias). A metodologia para a análise das territorialidades afetadas pelo domínio armado envolve a articulação de métodos e técnicas de pesquisa qualitativa e quantitativa de forma exemplar. Destaca-se a importância do conceito de "territorialidades", que supõe necessariamente que as instituições compreendam que atuam num espaço social habitado por cidadãos cujas práticas sociais locais nem sempre são evidentes para os que são de fora do lugar. A isso se soma a percepção e análise de modos de governar, não legítimos, por meio do "domínio armado", conceito que busca compreender como nesses espaços as populações que nele vivem estão expostas a um modo específico de dominação, marcado por redes criminosas que atuam em atividades econômicas ilegais e irregulares, controlando o território com armas, resultando na restrição de garantia dos direitos fundamentais (civis, sociais e políticos). Pensar o furto de energia num contexto de ocorrência de outros crimes, tais como o tráfico de drogas, o transporte coletivo irregular, o "gatonet", permitiu identificar também os riscos a que estão expostos os trabalhadores terceirizados de uma empresa concessionária de energia, por meio da utilização da vitimização laboral. Um dos muitos resultados possíveis da pesquisa reside precisamente em dar relevância a um conjunto de perdas sócio-econômicas, e não somente a alta percentagemde prejuízos financeiros da empresa com o furto de energia, comparáveis a problemas que ocorrem em outras partes do mundo, como no Sul da Itália. Tal análise reforça a importância de se pensar as formas de administrar bens e serviços considerando a dimensão dos direitos e, especificamente, o direito ao acesso à electricidade, entendido como um direito fundamental. Apesar das políticas públicas da última década terem melhorado o acesso no Brasil, a situação continua a apresentar uma distribuição desigual em termos de acesso. O fato de a pesquisa ter sido originada de uma demanda de uma empresa privada coloca questões interessantes para pensar sobre a produção do conhecimento e sua ligação com a política pública. O livro é o resultado de um tipo de pesquisa conhecida como P&D, conhecido como uma "tecnologia social" voltada a formas de fazer pesquisa, pensar e gerenciar a produção de conhecimento que se opõe aos modelos de consultoria padronizados que prometem análises simplificadas. Por essas razões, afirmo aos leitores que estamos diante de um livro único.
    Show book
  • Estado e instituições: diálogos institucionais e políticas para o enfrentamento da crise - cover

    Estado e instituições: diálogos...

    Gabriel Rached

    • 0
    • 0
    • 0
    Este livro celebra o encontro de reflexões sobre o papel do Estado e das Instituições para o enfrentamento da crise pandêmica contemporânea. Quais as possibilidades de atuação em âmbito nacional e internacional? Qual o papel dos Organismos Multilaterais? Como se poderia (re)pensar, a partir da crise, a interação entre o Homem e o Meio Ambiente? Qual o papel das Novas Tecnologias na superação dos desafios que se apresentam? Estes são alguns dos pontos que especialistas sobre o tema procuram explorar na presente obra.
    Show book