Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Redes ou paredes - a escola em tempos de dispersão - cover

Redes ou paredes - a escola em tempos de dispersão

Paula Sibilia, Vera Ribeiro

Publisher: Contraponto Editora

  • 0
  • 1
  • 0

Summary

Para que serve a escola? Será que essa instituição se tornou obsoleta? Essas duas perguntas inquietantes são o ponto de partida para esta reflexão ensaística, extremamente atual, sobre a "crise da escola". A ênfase recai sobre a maneira como as novas tecnologias de comunicação, sobretudo os aparelhos móveis de acesso às redes informáticas e os estilos de vida que eles implicam, estão afetando o funcionamento dessa instituição-chave da modernidade. De que maneira as subjetividades e os corpos contemporâneos reagem ao contato cotidiano com esses dispositivos, e como isso influencia sua relação com a escola?

    O livro analisa os fatores envolvidos na crescente incompatibilidade entre os novos modos de ser e estar no mundo, por um lado, e as já antiquadas instalações escolares, por outro, com suas regras e seus valores, suas premissas e ambições definidas há cerca de duzentos anos. "As subjetividades se constroem nas práticas cotidianas de cada cultura, e os corpos também se esculpem nesses intercâmbios", afirma Paula Sibilia. "Este texto procura acompanhar os itinerários que compuseram essa trama, até ela chegar a sua configuração mais atual, detendo-se prioritariamente nos modos de ser e estar no mundo que surgem hoje em dia, e que costumam se relacionar com a escola de modos conflitivos."


    Para tal, a análise leva em conta um conjunto de vetores socioculturais, econômicos e políticos, com o objetivo de identificar os sentidos dessas transformações históricas e oferecer algumas pistas que permitam delinear possíveis respostas ao conflito, de modo a sugerir caminhos para enfrentarmos uma grande questão contemporânea: de que tipo de escola (ou de que substituto dela) necessitamos?


    Pesquisadora e ensaísta argentina residente no Rio de Janeiro, Paula Sibilia estuda diversos temas culturais contemporâneos sob a perspectiva genealógica, contemplando particularmente as relações entre corpos, subjetividades, tecnologias e manifestações midiáticas ou artísticas. É autora dos livros "O homem pós-orgânico: corpo, subjetividade e tecnologias digitais" (Ed. Relume Dumará, 2002, com reedição atualizada, no prelo, pela Contraponto) e "O show do eu: a intimidade como espetáculo" (Nova Fronteira, 2008), ambos publicados também em espanhol. Fez graduação em comunicação e em antropologia na Universidade de Buenos Aires (UBA), mestrado em comunicação (UFF), doutorado em saúde coletiva (IMS-UERJ) e em comunicação e cultura (ECO-UFRJ). Atualmente é professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e do Departamento de Estudos Culturais e Mídia da Universidade Federal Fluminense (UFF), bolsista das agências CNPq (Produtividade em Pesquisa) e Faperj (Jovem Cientista do Nosso Estado). Seu próximo livro examina o fenômeno do "culto ao corpo". Em 2012 realizou um pós-doutorado em torno desse assunto na Université Paris VIII, da França, com bolsa da Capes.


    "As novas gerações falam uma língua bem diferente daquela que servia para comunicar os que se educaram tendo a escola como seu principal meio de socialização e tendo a ?cultura letrada? como seu horizonte universal, com o firme respaldo institucional do projeto moderno abrigado por cada Estado nacional. [...] O desafio é enorme, pois implicaria inventar um dispositivo capaz de fazer com que essas paredes corroídas e cada vez mais infiltradas voltem a significar algo e, desse modo, que se transforme tanto a sua velha função confinante e disciplinadora quanto a sua condição emergente de mero galpão ou depósito. [...] Será necessário transformar radicalmente as escolas [...] redefini-las como espaços de encontro e diálogo, de produção de pensamento e decantação de experiências capazes de insuflar consistência nas vidas que as habitam."


     Paula Sibilia
Available since: 03/01/2021.

Other books that might interest you

  • Gerenciamento e Controle da Água de Lastro e a Responsabilidade Civil dos Operadores do Sistema - cover

    Gerenciamento e Controle da Água...

    Fábio José Ibrahin

    • 0
    • 0
    • 0
    "O mestre em Direito Ambiental e Políticas Públicas Fábio José Ibrahin, estudioso devotado, entrega-nos o seu curioso trabalho sobre gerenciamento e controle da água de lastro, ressaltando, ao mesmo tempo, a responsabilidade civil dos operadores do sistema.
    
    É assunto a que poucas pessoas de fora da área estão habituadas, dada a sua especificidade e – por que não dizê-lo? – a sua correspondente estranheza. Nada obstante, o Autor vai fundo na análise do problema, nos seus diagnósticos e na proposta de soluções. Só isso, de per si, é um feito, sem que se fale na competência de quem escreveu sobre tal argumento.
    
    Sob esse ponto de vista, é valiosa a contribuição de Fábio José Ibrahin à causa ambiental e ao saneamento do meio, e mais, ao direito fundamental e universal ao ambiente sadio e ecologicamente equilibrado, como estabelece nossa Lei Maior."
    Show book
  • Literatura brasileira contemporânea - um território contestado - cover

    Literatura brasileira...

    Regina Dalcastagnè

    • 0
    • 1
    • 0
    Resultado de quinze anos de pesquisa, este livro traz uma análise aprofundada sobre a narrativa brasileira contemporânea. Atenta a quem escreve e sobre quem se escreve, Regina Dalcastagnè investiga a literatura como artefato social, que dialoga com sua própria história e com o mundo que a cerca, inserida num campo de produção formado por autores, editores, críticos e leitores. O panorama que aqui surge do romance e do conto brasileiros das últimas décadas se baseia na leitura cuidadosa de um conjunto expressivo de obras representativas, revelando as estratégias discursivas que envolvem diferentes procedimentos estéticos e diferentes interesses políticos. O território contestado da literatura brasileira contemporânea é aquele em que a dicção e a temática populares lutam para obter legitimidade, em que o monopólio da voz é questionado e em que o enfrentamento entre os criadores e as questões do seu tempo chega a resultados que não estão determinados de antemão.
    Show book
  • Fundamentos de Antropologia - Fasciculo 16 - Os limites do homem: a dor - Um ideal de excelência humana - cover

    Fundamentos de Antropologia -...

    Stork Author

    • 0
    • 0
    • 0
    Fascículo 16 de um total de 17. Os limites do homem: a dor
    Show book
  • A intervenção psicopedagógica nas dificuldades de aprendizagem escolar - cover

    A intervenção psicopedagógica...

    Maria Lucia Lemme Weiss

    • 0
    • 0
    • 0
    Este livro contribui para a reflexão de profissionais e de estudantes na área da Psicopedagogia, da Educação, da Psicologia e de diferentes Clínicas, possibilitando-lhes o encontro com experiências diversas de ajuda a alunos com dificuldades de aprendizagem escolar, a seus pais e às escolas.
    Técnicas simples, com a utilização de diferentes recursos de jogos, brincadeiras, construções com sucata, uso da informática etc. permitem novas abordagens individuais e grupais, na busca de melhoria no desejo, no prazer e no verdadeiro aprender na escola, em qualquer grau de escolaridade. O livro é para psicólogos, psicopedagogos, educadores e demais profissionais interessados nos problemas de aprendizagem escolar.
    Áreas de interesse: Psicologia, Pedagogia, Psicopedagogia, Magistério, Fonoaudiologia, Pediatria etc.
    Show book
  • Contar-se e re-contar-se: Reflexões teórico-práticas de intervenções psicossociais a partir do método de História de Vida - cover

    Contar-se e re-contar-se:...

    Paulo Henrique Dos Santos Silva,...

    • 0
    • 0
    • 0
    Método de História de Vida aplicado em estágio remoto pelos acadêmicos de Psicologia
    Show book
  • Crônicas do Ano Zero - cover

    Crônicas do Ano Zero

    Wagner Bomfim

    • 0
    • 0
    • 0
    Diz-se que rir é um excelente remédio, é um lenitivo pra enfrentar todas as dores, sejam do corpo ou da alma. Vivemos um tempo de dor com as condições sócio econômicas impondo um sofrimento imensurável ao nosso povo. As razões desse sofrer vão além da crise sanitária que se abateu no mundo fazendo com que se impusesse um distanciamento social até que tenhamos um tratamento/vacina para a pandemia pelo corona vírus. Mas outro fator gerador de sofrimento tem sido um governo distante das necessidades populares, desde saúde, emprego, segurança e educação de qualidade. A cultura e as artes são instrumentos de combate a regimes totalitários tal como o regime que estamos vivendo atualmente no Brasil. A falta de apoio às artes e à cultura é patente e a literatura tem o poder de romper as linhas da ignorância, o riso é uma trincheira de luta ao obscurantismo. Por isso a coletânea de crônicas aqui publicada foi fruto desse ano zero da pandemia, aprisionado em casa e refletindo sobre que armas usar para derrotar o inimigo silencioso e contaminante, mas sobretudo dos inimigos dos anseios populares. São crônicas marcadas pela riqueza de temas palpitantes da atualidade e de um humor sutil além de denúncias e temas para reflexão dos graves problemas que atinge a todos indistintamente.
    Show book