Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Prêmio Off Flip de Literatura 2019 - Coletânea - cover

Prêmio Off Flip de Literatura 2019 - Coletânea

Ovídio Poli Junior

Publisher: Selo Off Flip

  • 0
  • 1
  • 0

Summary

Contos e poemas vencedores da 14ª edição do Prêmio Off Flip de Literatura, selecionados por Luci Collin, Mariana Ianelli e Ovídio Poli Junior.

Other books that might interest you

  • Coleção de Autoras em Português - cover

    Coleção de Autoras em Português

    Various Various

    • 0
    • 0
    • 0
    Nesta coleção, os voluntários do Librivox reuniram várias obras de autoras que escreveram em Língua Portuguesa. A literatura lusófona, do século XVII ao século XX, vem aqui representada por algumas de suas maiores escritoras. (Sumário por Leni)
    Show book
  • Versos de Uma Mente Inquieta - cover

    Versos de Uma Mente Inquieta

    O Outro Vinicius

    • 0
    • 0
    • 0
    O livro é um retrato da visão de mundo do autor. São cinquenta poemas de um artista que tenta sobreviver de seu ofício num país onde fazer arte é um sinal de resistência; de um jovem que lida com sua ansiedade e transforma seus tormentos em poemas; de um morador de bairro periférico que, como muitos outros, se sente sempre em perigo. E apesar dos amores fracassados, não se tornou um ser amargurado; do homem que descobriu em si o amor que buscou em outros; e do cidadão averso às desigualdades e que busca combatê-las da única forma que sabe: fazendo arte.
    Show book
  • A onça - cover

    A onça

    Jardim Author

    • 0
    • 0
    • 0
    CRÔNICAS, POEMAS E REFLEXÕES – 1996
    O QUE É O MUNICÍPIO BRASILEIRO – 2012
    ALÉM DAS ASAS DA IMAGINAÇÃO – 2012
    ORAÇÃO PELO BRASIL – 2017
    CONTOS & ENCONTROS - 2018
    Quando virei à esquina
    O que era escola é school
    Mas não é só no meu bairro
    Isso é de norte a sul.
    As lojas da minha cidade
    Todas têm nome em inglês
    Elas são para estrangeiros
    Ou para mim e vocês?
    A praça se chama square
    O campo se chama field
    O meu país já não é
    A terra dos meus avós
    E a culpa é minha e é sua
    A culpa é de todos nós.
    Para comprar vou ao shopping
    Não é mais senha, é pin
    Se está dopado é doping
    O português está no fim.
    Comprei o meu notebook
    Em um grande outlet
    Comprei também um pen drive
    E também um tal tablet.
    Mas o troco é em real
    Não foi dólar não senhor
    Me deram um mundo irreal
    Longe de mim, sem valor.
    No meu rádio toca um som
    Que eu não consigo entender
    Não sei se é ruim ou é bom
    Nem se tem algo a haver.
    Quando liguei a tevê
    Todos falavam em inglês
    Velhos, moços e até bebês
    Deram adeus ao português.
    Enfim, peguei um jornal
    Para saber onde estou
    Só falavam em Nova Iorque
    E quando em vez em Moscou.
    Na escola a prioridade
    É falar bem o inglês
    E se você tiver tempo
    Um pouco do português.
    Eu já estava me sentindo
    Cidadão americano
    Do Brasil, me despedindo
    Como um nômade, cigano.
    Mas aí bem de repente
    Tudo teve um revés
    E aquilo o que era foot
    Voltou mesmo a ser pés.
    School voltou para escola
    Ball voltou a ser bola
    E você voltou também.
    E o que ficou para mim
    Foi um ditado que dizia:
    ‘Se o Brasil fosse ruim
    O estrangeiro não o queria.’
    Show book
  • Sombra absoluta - cover

    Sombra absoluta

    Osvaldo Gomes Jr.

    • 0
    • 0
    • 0
    epois dos livros 1852 e Nana, o que viria a seguir? Veio este Sombra Absoluta, com poemas escritos em 1973 e 1974, ou seja, um terceiro livro, que, na verdade, pela cronologia, deveria ser o segundo. É nítida a influência de Cecília Meireles, particularmente por Solombra. Este Sombra Absoluta é um sopro de romantismo, expresso nos doze versos de cada poema; o amor assim se apresenta nos momentos em que o sofrimento abdica de seu reinado absoluto. Talvez não seja a vida uma sombra absoluta ao sol que a delineia, que a configura, que a produz. Talvez haja instantes de luz que nos apresentem razões para viver. Talvez seja melhor que tudo seja poesia.
    Show book
  • Ópera Selvagem - cover

    Ópera Selvagem

    Marizia Cezar

    • 0
    • 0
    • 0
    Book Song/Partituras: A todas as mães e cuidadores de seus entes queridos. Foi um tempo produtivo de muita inspiração e variedade de composições musicais desde 1982 durante o tratamento CA na infância por cinco anos corridos (com recaída), como num curso prático de resiliência de contato com os casos no hospital, e formação em Arteterapia, mas, embora tudo preservado Reg. EDA UFRJ RJ não houve oportunidade em tempo hábil para a divulgação, e estão inéditas, vozes caladas e esmaecidas nas gavetas das casas das várias cidades, mudanças para dar qualidade de vida à condição de sobrevivência sob os constantes cuidados maternos. Gestos positivos a todos! ( ) Sempre vale ter esperança com muita paciência para celebrar a CURA!
    Marizia Cezar
    Show book
  • O sol abate-se - cover

    O sol abate-se

    Elsa Ribeiro Alves

    • 0
    • 0
    • 0
    Inaugura-se a colecção Claro Enigma, inspirada em Carlos Drummond de Andrade e coordenada pelo professor, poeta e crítico António Carlos Cortez, com a poesia revelada em 'O sol abate-se', de Elsa Ribeiro Alves. Nesta estreia em poesia, os versos de Elsa Alves vêm alicerçados em cheiros, sensações e figuras familiares que, mesclados pela poeta, geram uma realidade inquietante e palpável. Em seus versos, ora breves, sempre intensos, a autora cria imagens que nos invadem e transportam. Com o prefácio do coordenador, entre estas páginas, sabemos que algo mudou e essas transformações são descritas pela autora, que nos conduz ao longo de uma quase distopia centrada à volta do abatimento do sol.
    Show book