Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Deficiência ou eficiência: - autismo uma emergência espiritual? - cover

Deficiência ou eficiência: - autismo uma emergência espiritual?

Nilton Salvador

Publisher: AGE

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Este livro é uma valiosa contribuição para outros pais em semelhante situação, oferecendo significativos ensinamentos, que muito poderão ajudar não só no que se refere a informações sobre o autismo, mas sobretudo pelo admirável exemplo e testemunho de quanto pode o amor materno-paterno na convivência diária, como educadores e terapeutas de um filho autista, ou portador de qualquer outra síndrome limitadora, reversível ou não.

Other books that might interest you

  • O Debate Marx-Bakunin sobre o Autoritarismo - cover

    O Debate Marx-Bakunin sobre o...

    David Adam

    • 0
    • 0
    • 0
    O debate entre Marx e Bakunin sempre é recordado, especialmente por anarquistas, para demonstrar que o primeiro é um representante do “socialismo autoritário”, em contraposição ao segundo, que seria um representante do “socialismo libertário”. O presente livro traz vários elementos para questionar tal versão da história. David Adam realiza uma reflexão fundamentada em fontes variadas e discursos dos dois autores para demonstrar que o suposto autoritarismo de Marx é uma acusação que não se sustenta, bem como Bakunin não está isento de um autoritarismo mais intenso. O prefácio enriquece trazendo novas questões para o debate, colocando a necessidade de ampliar e aprofundar a análise do referido debate entre os principais representantes do marxismo e do anarquismo.
    Show book
  • Poderosos pedófilos - cover

    Poderosos pedófilos

    Amaury Ribeiro Jr.

    • 0
    • 0
    • 0
    Eles têm posições de destaque na sociedade. São juízes, delegados, procuradores de Justiça, empresários de sucesso. Do alto de suas atuações poderiam estar ajudando diversas pessoas, promovendo o progresso e combatendo bandidos. Mas praticaram um dos mais hediondos crimes: o abuso sexual de menores de idade. 
    Prepare-se para uma das mais ousadas investigações jornalísticas do Brasil, no relato contundente de Amaury Ribeiro Jr.  
    Ao longo de vinte anos de trabalho, com muito sangue frio, astúcia e inteligência, o autor se embrenhou por regiões onde pobreza extrema, ganância, famílias desestruturadas e certeza de impunidade criam condições para a atuação de pedófilos poderosos. Gente que muitas vezes se diz defensor da moral e dos bons costumes. Muitas crianças devem a vida ao trabalho aqui apresentado. A coragem e o profissionalismo do autor ajudaram a lei a atuar. Mas ainda há muito por fazer. Ler este livro é parte desse processo.
    Show book
  • Dabus Arquitetura Ed 01 - 30 anos - cover

    Dabus Arquitetura Ed 01 - 30 anos

    Lamonica Serviços Editoriais

    • 0
    • 0
    • 0
    Dabus Arquitetura - 30 anos
    Show book
  • A Música na São Paulo Colonial - cover

    A Música na São Paulo Colonial

    Diósnio Machado Neto

    • 0
    • 0
    • 0
    Distante dos grandes centros econômicos da colônia, São Paulo colonial foi durante muito tempo considerado pela historiografia musical uma região de parcos recursos no exercício da dita arte.Nessa aula trataremos de mostrar que a vida musical em terras paulistas refletia as formas de uso típicas do Brasil colonial, constituindo-se na pluralidade e dimensão exigida por uma sociedade constituída ao redor do espetáculo litúrgico. Desta forma, partiremos mostrando as estruturas da prática musical, centrado na função do mestre-de-capela, as redes de influência que constituíam as vias de acesso e os principais profissionais envolvidos na atividade.Veremos com o, desde 1599, a região do sul da colônia conseguiu diversas provisões régias para as sua s capelas de música.
    Show book
  • Teses sobre o Capital Comunicacional - cover

    Teses sobre o Capital...

    Nildo Viana

    • 0
    • 0
    • 0
    A afirmação de que os “meios de comunicação de massas”, “indústria cultural”, entre outros termos semelhantes, exercem uma dominação quase absoluta sobre as “massas” ou o “povo”, é bem conhecida. Nildo Viana apresenta uma crítica tanto da concepção evolucionista-progressista dos meios de comunicação de massas quanto os representantes da Escola de Frankfurt, especialmente Theodor Adorno e Max Horkheimer e sua concepção de “indústria cultural”. O autor, além disso, apresenta uma análise crítica do que denomina “capital comunicacional”, mostrando que sua compreensão requer compreensão do capitalismo, bem como apresenta a necessidade de superação do modo de comunicação assimétrico e da adoção de um modo de comunicação simétrico. Isso, segundo o autor, só é possível como a transformação total e radical do conjunto das relações sociais.
    Show book
  • 25 anos de indicações geográficas no Brasil vol 1: da proteção dos nomes geográficos a criação dos territórios georreferenciados - cover

    25 anos de indicações...

    Livia Reis

    • 0
    • 0
    • 0
    Nesta obra, cumprem-se dois objetivos: Primeiro, o de analisar o processo histórico das IG, numa abordagem desde a Convenção da União de Paris (CUP) ao acordo ADPIC. Realiza-se uma análise de direito comparado sobre as principais legislações Europeias e a do Brasil, sobre suas diferentes interpretações e proteções jurídicas das Indicações Geográficas entre os países, abordando-se também sobre as divergências normativas — escala local, nacional e internacional: limites e possibilidades para a proteção da IG. A partir daí, parte-se na análise para as quatro fases da justificação da IG, amplamente divulgadas pelo Instituto de Propriedade Industrial (INPI) e fartamente encontradas em textos que tratam do assunto IG, são elas: Reconhecimento dos Produtos Territoriais; Vantagem Competitiva e Qualidade Superior – Economia da Qualidade; Desenvolvimento Local; Salvaguarda de Identidade, Tradição e Patrimônio transformado socialmente em bens culturais para o mercado. O segundo objetivo é debater sobre a formação dos novos territórios. Em outras palavras, com o reconhecimento de alguns, há a exclusão de outros grupos de produtores, mesmo que dentro do território reconhecido.
    Show book