Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Dispersão - cover

Dispersão

Mário de Sá-Carneiro

Publisher: Projecto Adamastor

  • 1
  • 2
  • 0

Summary

Esta obra é composta por doze poemas e a sua primeira edição foi revista quer pelo autor, Mário de Sá-Carneiro, quer pelo seu grande amigo, e também poeta, Fernando Pessoa.
Available since: 07/17/2015.

Other books that might interest you

  • A Intrusa - cover

    A Intrusa

    Júlia Lopes De Almeida

    • 0
    • 0
    • 0
    Júlia Lopes de Almeida narra neste que é um de seus mais belos romances a história do viúvo Argemiro, que fez votos de fidelidade eterna e de nunca mais se casar à sua amada Maria em seu leito de morte. Deste amor, nasceu Maria da Glória, jovem criada pelos avós numa chácara nos arredores do Rio de Janeiro. Sem tempo para criar a filha, devido ao trabalho, Argemiro a visita na chácara e a recebe ocasionalmente em sua casa, que fica aos cuidados do velho ex-escravo Feliciano, que abusa nas despesas da casa e age como dono, lendo os jormais do patrão e fumando seus charutos. Querendo a presença maior da filha em sua casa, Argemiro coloca um anúncio no jornal para contratar uma governanta e entra em cena d. Alice, moça de fino trato, prendada e fluente em línguas. Glória a rejeita inicialmente, mas acaba sendo conquistada, para profundo desgosto de sua avó Luiza, que passará o resto do livro tentando afastar Alice, de quem ela suspeita estar interessada em tomar o lugar de sua falecida filha, fazendo Argemiro quebrar seu juramento. Num ritmo crescente de suspeitas e desavenças, apenas no final do livro o real objetivo desta intrusa será revelado.
    Show book
  • O Mandarim - cover

    O Mandarim

    Eça de Queirós

    • 0
    • 5
    • 0
    A escrita sóbria e aguda de Eça de Queirós narra a história de Teodoro, um jovem ambicioso que trabalha como amanuense em uma pequena repartição de Lisboa e sonha em deixar a vida modesta para trás. Uma noite, enquanto lê um livro em seu quarto de pensão, Teodoro é surpreendido pela personificação do demônio, que pede ao jovem para tocar uma campainha. A princípio, o pedido pode parecer inocente e até um pouco sem sentido, mas traz um fundo macabro. Caso Teodoro de fato toque a campainha, o mais poderoso dos mandarins morrerá do outro lado do mundo. Em troca, o português receberia a boa fortuna da vítima. Aos poucos, Teodoro se deixa convencer pelo discurso sedutor do diabo e, por fim, faz o que lhe é pedido. Resta-lhe agora conviver com as consequências do ato; entre elas, uma enorme riqueza e o fantasma de um mandarim.
    Show book
  • O Curioso Caso de Benjamin Button - cover

    O Curioso Caso de Benjamin Button

    F. Scott Fitzgerald

    • 2
    • 10
    • 0
    O Curioso Caso de Benjamin Button é um conto tocante e inesquecível.
     
    Escrito por Francis Scott Fitzgerald em 1922, o livro conta a história de Benjamin que nasceu com a aparência de um homem idoso. 
     
    Conforme cresce, Benjamin vai rejuvenescendo e vivendo experiências como o amor, a solidão, a perda e o medo.
     
    O autor declarou que o conto era de um de seus mais preciosos escritos.
     
    Esse mesmo trabalho inspirou o filme O Curioso Caso de Benjamin Button.
    Show book
  • Ao correr da pena - cover

    Ao correr da pena

    José de Alencar

    • 0
    • 0
    • 0
    Considerada a estreia literária de José de Alencar, Ao Correr da Pena é uma obra que reúne crônicas escritas pelo autor entre 1854 e 1855, publicadas semanalmente em folhetim no Jornal Correio Mercantil, do Rio de Janeiro. É com esses escritos, que, aos 25 anos de idade, Alencar começa a se tornar conhecido no círculo intelectual da época, já mostrando intimidade em permear entre o gênero literário e o estilo jornalístico. 
    Por meio das crônicas, é possível conhecer aspectos do cotidiano social, político, econômico e cultural da sociedade carioca do século 19, bem como entrar em contato com as primeiras ideias literárias do autor, que foi o maior expoente do Romantismo brasileiro de seu tempo. 
    É como romancista que José Martiniano de Alencar (1829-1877) é lembrado até os dias de hoje. No entanto, o autor também foi folhetinista, jornalista, dramaturgo, advogado e político, deixando entre a sua produção escrita, além de crônicas, peças de teatro, textos autobiográficos e críticas literárias.
    Show book
  • Contos - cover

    Contos

    João da Câmara

    • 2
    • 8
    • 0
    O sol despedia os raios mais vividos. O suào aquecido nas cinzas das queimadas soprava abrazador. Via-se tudo em volta como atravez de vidros amarellos. O caminho era ruim, apenas indicado por velhos muros afogados em silvas e cheios de musgo como ferrugem, que lindavam as tapadas. No meio da estrada erguiam-se de espaäo a espaäo enormes panedos, que ainda{2} conservavam os furos das brocas, mostrando um trabalho abandonado de um dia para outro, falta de dinheiro, alguma eleiäào perdida. Massas enormes de granito esbranquiäado erguiam-se de uma e outra banda, umas por cima das outras, acastelladas. Por entre as pedras cresciam as giestas sequinhosas, cujo fructo crepitava abrindo-se aos beijos do sol e deixava caêr a semente na terra. Nos pontos mais elevados resahiam do tremulo azul celeste uns carvalhos rachiticos e tortos, que nào davam sombra. Elle caminhava alegre, estrada fïra, parando de vez em quando para escolher nos cachos das amoras, que relusiam ao sol, as menos maduras, avermelhadas, rijas, cujo acido lhe mitigava a sede. Ainda vinha com o seu bigode, com as caläas de linho e as botas pretas de soldado, em que brilhavam como lentejoulas os pedacinhos de mica do granito desfeito
    Show book
  • Viagens Na Minha Terra - cover

    Viagens Na Minha Terra

    Almeida Carrett

    • 0
    • 5
    • 0
    Viagens na Minha Terra é um livro da autoria de Almeida Garrett; obra na qual se misturam o estilo digressivo da viagem real (que o autor fez de Lisboa a Santarém) e a narração novelesca em torno de Carlos, Frei Dinis e Joaninha.
    O livro Viagens na Minha Terra, publicado em volume em 1846, é o ponto de arranque da moderna prosa literária portuguesa: pela mistura de estilos e de gêneros, pelo cruzamento de uma linguagem ora clássica ora popular, ora jornalística ora dramática, ressaltando a vivacidade de expressões e imagens, pelo tom oralizante do narrador, Garrett libertou o discurso da pesada tradição clássica, antecipando o melhor que a este nível havia de realizar Eça de Queirós.
    Mas a obra vale também pela análise da situação política e social do país e pela simbologia que Frei Dinis e Carlos representam: no primeiro é visível o que ainda restava de positivo e negativo do Portugal velho, absolutista; o segundo representa, até certo ponto, o espírito renovador e liberal. No entanto, o fracasso de Carlos é em grande parte o fracasso do país que acabava de sair da guerra civil entre miguelistas e liberais e que dava os primeiros passos duma vivência social e política em moldes modernos.
    Show book