Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Azul Cobalto - cover

Azul Cobalto

Maria Teresa Horta

Publisher: Oficina Raquel

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Azul Cobalto reúne 12 contos que foram publicados em Portugal: 'Lídia', 'Calor', 'Uriel', 'A princesa espanhola', 'Com a mão firme e doce', 'Raízes', 'Laura e Juliana', 'Efémera', 'Eclipse', 'Leonor e Teresa', 'Transfert' e 'Azul Cobalto'. A pedido de Maria Teresa Horta, a obra foi editada no Brasil com o texto original, no português de Portugal, porque a autora discorda do acordo ortográfico assinado entre os países lusófonos. A poetisa, ficcionista e jornalista portuguesa Maria Teresa Horta lança no Brasil Azul Cobalto, livro de contos editado pela editora Oficina Raquel (Rio de Janeiro). Uma das mais importantes figuras da literatura portuguesa, Maria Teresa Horta conjuga com perfeição a luta feroz pelas causas que defende e o fulgor da escrita. Com um vasto e diferenciado acervo literário que inclui poesia e prosa, a obra da escritora tem o erotismo e a intervenção social como temas constantes. Os textos, no conjunto, falam sobre questões que permeiam o universo feminino a partir de contos que valorizam a mulher no tempo e no espaço dentro da cena literária. Além disso, tratam de temas antigos à literatura, especialmente a portuguesa, como o fingimento e a relação com a história do país.

Other books that might interest you

  • Em um tempo aberto: Camille no exílio - cover

    Em um tempo aberto: Camille no...

    Patrícia Dos Santos Silveira

    • 0
    • 0
    • 0
    EM UM TEMPO ABERTO
    Cinco pessoas de idades e gêneros diferentes lutam por alargar o tempo presente. Todas têm um motivo para querer pará-lo e lutam por se manterem no exato momento em que se encontram. A criança que não quer perder os pais; a mulher que ainda quer ser mãe; o homem que se apaixonou e sabe que será a última vez; a jovem que nunca se sentiu tão feliz; o jovem que começou em seu primeiro emprego.
    
    CAMILLE NO EXÍLIO
    Teatro-documentário escrito com fragmentos de cartas da escultora francesa Camille Claudel. O texto é dividido em cartas que se alternam entre dois lugares: a casa e o manicômio.
    
    Está feita a provocação, instalado o conflito. Sair ou entrar. Entrar significa ver que não há mais nada para roubar, significa entrar no mundo de Camille, viver com ela a sua condenação, a sua prisão.
    Show book
  • A Deusa de Anília - E outras Histórias - cover

    A Deusa de Anília - E outras...

    Cláudia Miqueloti

    • 0
    • 0
    • 0
    A Deusa de Anília - Um terrível dragão aterroriza a ilha. Krisna Rimeriano precisará de toda sua determinação e coragem para salvar sua amada ilha e conquistar o coração do valente Negro. A maldição de Gohran A cidadela de Manarga vive sob uma maldição imposta pelo temível dragão Gohran. O jovem Menetto e seus companheiros precisam ser bem-sucedidos para que Manarga não desapareça. Mielim e a harpa encantada A harpa dourada foi roubada debaixo das orelhas pontudas dos Elfos de Lothuen. Bravos guerreiros saíram ao encalço do ladrão. O inferno de Razhenda O Reino de Razhenda foi devastado por Cormedhor de Austrúcia, um mago ensandecido que vem se utilizando de seres humanos como cobaias para suas experiências cruéis. Tremaría e o gigante da montanha Uma terrível e monumental criatura está aterrorizando os viajantes que precisam cruzar a Montanha do Vento Cortante. Kági, Dovan, Armando, Sáfio Liso e a doce barda Jocelyn precisam urgentemente de um trabalho, pois seus bolsos estão vazios.
    Show book
  • Reflexões aos sessenta - Quem não morre tem o que contar - cover

    Reflexões aos sessenta - Quem...

    Sérgio Afonso

    • 0
    • 0
    • 0
    Vaidade, generosidade, orgulho, caridade, humildade, amor, vícios, virtudes, raiva, avareza, paixão, desejos. Nós, seres humanos, temos todos esses hábitos e emoções contraditórias. Cabe, então, a partir de nosso livre-arbítrio, tomar as decisões que vão nos proporcionar uma vida espiritualmente mais elevada e feliz. É o que nos alerta o engenheiro mecânico e estudioso do autoconhecimento Sérgio Afonso. Ao chegar aos sessenta anos, o autor decidiu brindar-nos com suas reflexões serenas, maduras, carregadas de afeto e positividade. Seus textos curtos, em forma de pensamentos sutis e bem elaborados, escritos em forma similar a aforismos, tem a qualidade de traduzir em palavras singelas sentimentos elevados.
    Show book
  • Singles 21 - cover

    Singles 21

    Noga Sklar(Org.)

    • 0
    • 0
    • 0
    Singles K é uma série de ebooks semanais que trazem para o leitor cotidiano as melhores crônicas de colunistas e escritores da KBR publicadas no blog da editora. Nesta edição, a solidão de uma artista remediada em Paris vem com um toque a mais: uma ilustração exclusiva da dublê de escritora e artista Maria Anna Machado usada na capa. E mais: os micos indesculpáveis em entrevistas ao vivo para a mídia, a dor de um escritor transformada em arte e uma bela reflexão sobre a solidão a dois, entre outros assuntos. Como está provado mais uma vez, Singles K não só lida com agilidade e profundidade com os assuntos prementes da atualidade, como resgata os melhores textos entre os mais de oitocentos originais garimpados pelo conselho editorial da KBR, uma excelente porta de entrada para um dos mais completos e instigantes portfolios de escritores do Brasil.Ano 2/ Número 21 
    Sumário
    - Mico na mídia
    - The mansions
    - A solidão a dois
    - Estigma
    - Paris, solidão, dinheiro
    - L’ultima volta
    - Desejos
    - Chegou a hora
    - Manias de escritor
    - Achaques
    - Território perigoso
    - O prejuízo da dúvida
    - A quarta dimensão
    - A máquina de criar (in)diferença
    Show book
  • Desencontro - cover

    Desencontro

    Zaida Buarque

    • 0
    • 0
    • 0
    'A incapacidade humana de se comunicar, a crueldade implícita em cada situação vivida. Sentimentos fortes — paixão, desejo, ciúme, rejeição e ódio — envolvem os personagens destes contos, como Renata, no conto ''Fuga'', ou Pedro Paulo e Mariana, no conto ''Emparedado''. Pessoas que buscam sua felicidade com sofreguidão sem jamais alcançá-la.Com afinada percepção psicológica, Zaida desenha o perfil de homens e mulheres cujos destinos ela não determina, mas sugere, deixando ao leitor a liberdade de ir até onde quiser com sua imaginação. A angústia do ser humano contemporâneo, cujas referências morais e emocionais se esvaem à medida que acumula informações, está perfeitamente captada. Esse desencontro com os demais e consigo mesmo encontra em Zaida uma intérprete perfeita.Heliete Vaitsman'
    Show book
  • Interrompidos - cover

    Interrompidos

    Alê Motta

    • 0
    • 0
    • 0
    “Interrompidos, estreia literária de Alê Motta, são como faca furando a pele. Coisa de minuto, o tempo exato de nos afundarmos na leitura e, pronto, já saímos deles doloridos de humanidade. São dezenas de narrativas curtíssimas nas quais a marca (e a cicatriz) da maldade se espraia, galvanizando as tramas aparentemente singelas. Os relatos, dominados pela primeira pessoa, são de súbito interrompidos, como o título da obra anuncia, não por outro motivo senão a ação, nefasta (ou piedosa?) da mão humana. Nada de deuses, entidades angelicais, altas esferas. Apenas vidas prosaicas, espíritos mundanos, rodapés da sociedade. Alê Motta mantém o leitor em controlada suspeição, impondo desfechos que surpreendem e incomodam, frutos de conflitos, ressentimentos e desejos absconsos de seus personagens. Maldosos, os narradores de suas nano-histórias as comprimem por um único motivo – a destruição do outro, ou de si próprio. Ante o eu, a alteridade forma, conforma e nos transforma, para o bem e para o mal. Com esses Interrompidos, Alê Motta já estreia machucando. Ainda bem. A literatura que almeja permanência tem mesmo de cortar, sem misericórdia, a névoa do nosso olhar naturalizado. ”
    Show book