Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Histórias da Meia-Noite - cover

Histórias da Meia-Noite

Assis Machado de

Publisher: Vermelho Marinho

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Histórias da meia-noite, publicada em 1873, é asegunda coletânea de narrativas curtas de Machado de Assis. O autor adverte no início que não tem maiores pretensões do que ocupar o tempo livre do leitor. Os seis contos mostram com humor os costumes da sociedade, as relações de amor, o ciúme, a preparação de uma festa de casamento, a escolha dos bons partidos, a ilusão de um homem que se acredita mais do que é, terminando com um conto epistolar entre duas irmãs falando de seus amores. Machado mostra neste livro o humor que caracterizaria sua obra aliada a uma crítica mordaz à sociedade e suas regras e costumes, com finais inesperados, como só um talentoso contador de histórias consegue criar.

Other books that might interest you

  • A Volta ao Mundo em 80 Dias - cover

    A Volta ao Mundo em 80 Dias

    Julio Verne

    • 0
    • 0
    • 0
    Conheça um mundo repleto de excentricidades na companhia dos mais intrigantes viajantes! Phileas Fogg é um típico lorde inglês. Fleumático e pontual, sempre atento aos horários e aos bons costumes. Seguindo sua rotina diária de jogar whist (um jogo de cartas) no Reform Club, acaba por apostar com seus amigos que conseguiria dar a volta por todo o globo terrestre em apenas 80 dias (vale a pena lembrar que naquela época, 1872, não existiam aviões, gps ou empresas de turismo!). É assim que, junto de seu fiel empregado, Passepartout, se prepara para uma viagem friamente calculada. A viagem, claro, é recheada de aventuras inesperadas e contratempos empolgantes. Phileas Fogg nunca esboça descontrole ou desespero, mesmo frente aos maiores imprevistos; ao passo que Passepartout, lady Aoudá e os demais companheiros que chegam e partem ao longo da viagem estão sempre ansiosos e de cabelos em pé.
    Show book
  • Humorísticos e Irônicos - cover

    Humorísticos e Irônicos

    Bernardo Guimarães

    • 0
    • 0
    • 0
    Esta pequena antologia pretende mostrar o aspecto que reúne versos nos quais o humor e a ironia se destacam. Ambos, humor e ironia, categorias literárias da maior importância para o romantismo, que foram exploradas no extremo de sua sutileza pelo poeta. Em algumas composições, veremos o humor brincando com as palavras e aliviando as tensões que inspiram a atividade poética.
    Show book
  • O Chamado Selvagem - cover

    O Chamado Selvagem

    Jack Williamson, Leo Kades

    • 0
    • 4
    • 0
    O Chamado Selvagem lançado em 1903 é considerado a obra-prima de London e um de seus principais trabalhos, tendo emocionado milhões de pessoas em todo o mundo contando a jornada de Buck, um cão São Bernardo que é raptado de seu confortável lar e levado para o Yukon durante a corrida do ouro no século 19. 
    
    Emocione-se e aventure-se com Buck nessa incrível jornada.
    Show book
  • Charneca em Flor - cover

    Charneca em Flor

    Florbela Espanca

    • 0
    • 0
    • 0
    Obra-prima da portuguesa Florbela Espanca, publicada um ano após a sua morte, tem como principal tema o amor, reflexo de sua vida tumultuada, com muitos amores e separações. Uma vida atormentada, que a levou ao suicídio no dia em que completou 36 anos. Sua obra influenciou muitos outros autores e a coloca entre as grandes poetisas do século XX.
    Show book
  • Lisboa no Ano 2000 - cover

    Lisboa no Ano 2000

    Melo De Matos

    • 0
    • 2
    • 0
    De bom grado olhamos para o passado de Portugal. Com prazer rememoramos as épocas gloriosas da nossa história e até às vezes aquelas em que o oiro do Brasil alimentava as nossas vaidades sem alentar nem a nossa indústria, nem a nossa agricultura. Admiramos os heróis da história pátria, extasiamo-nos perante a largueza de vistas de Afonso de Albuquerque ou do Marquês de Pombal, mas não nos atrevemos a encarar de frente o que o futuro pode reservar para o nosso país. Se algum estadista nosso quis ter iniciativa, quis obrigar-nos a caminhar como as outras nações, ou passou por visionário ou foi taxado de aventureiro. Apontar nomes seria reforçar a nossa asserção, mas ainda se pode dizer que estão quentes as cinzas de alguns, não apagadas as paixões provocadas pelas ideias de outros e por isso mais vale seguir o conselho do Dante: ma guarda e passa e embarcarmo-nos no batel doirado da fantasia, para vivermos a Lisboa que deveríamos ter daqui por vinte anos, que é forçoso que tenhamos até antes dessa época, sob pena de darmos razão à profecia de um estadista inglês, cujo nome também não citaremos. Chamamos-lhe Lisboa no ano 2000; mas, se progredirmos a valer e como devemos, dentro de 96 anos teremos ultrapassado tudo quanto fantasiamos aqui.
    Show book
  • A Escrava Isaura - cover

    A Escrava Isaura

    Bernardo Guimarães

    • 0
    • 0
    • 0
    Um dos maiores clássicos da literatura brasileira, reconhecido mundialmente pela novela realizada um século depois, este romance de 1875 narra a história da mulata clara Isaura, moça boa e inocente, admirada por todos e invejada pelas concorrentes. Fruto do desejo de Leôncio, herdeiro da fazenda onde vive, Isaura perde todas as esperanças de ser libertada, como a mãe de Leôncio havia prometido.  Mesmo sofrendo a pressão de sua mulher Malvina, Leôncio faz de tudo para não libertar Isaura, inclusive rejeitando os dez contos de réis que Miguel, pai de Isaura, havia conseguido juntar  com dificuldade para comprar a liberdade da filha. Mas este preço foi definido pelo pai de Leôncio, que não cumpriu a promessa quando do falecimento de seu pai. Sucesso de público e de crítica, esta história de amor, desejo e sofrimento é fundamental dentro da história da literatura brasileira do século XIX.
    Show book