Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Aos nascidos em 1979 - cover

Aos nascidos em 1979

Luiz Belmiro Teixeira

Publisher: Jaguatirica

  • 0
  • 1
  • 0

Summary

A poesia de Luiz Belmiro funda-se na mistura de temas que exploram as relações, as sensações, o toque, o contato. O poeta é um guardião das horas, alado, pontual, que pode roubar a substância do abstrato e dialogar com os elementos que trazem vida à sua poesia: o amor, o feminino, a pele, o corpo. Neste belo livro de estreia ‘Aos nascidos em 1979’, seus versos passeiam pela geografia do espaço, sua Curitiba, a cidade surreal. A multiplicidade dessa vida na cidade propõe novas percepções sobre o local, seus silêncios, suas pulsações. Ao construir sua linguagem, o autor ainda nos oferece uma sensível visão sobre a profundidade da existência do ser poeta. E nisso reside sua riqueza: a multiplicidade da vida, poética e real. Distintos tons que, nas palavras do poeta, são um vislumbre de todos os demais.Luiz Belmiro Teixeira é curitibano, graduado em Ciências Sociais pelaUniversidade Federal do Paraná (2004), Mestre em Sociologia pelaUniversidade Federal do Paraná (2006) e é professor de Sociologia no IFPR. A poesia o encontrou cedo,e desde então procura os versos para escrever sobre Curitiba, o amor, política, a vida, o universo e tudo mais. Traz referências da cultura pop (cinema, música e hq’s) para compor seus poemas. Antes da estreia emlivro próprio, publicou em coletâneasde concursos e oficinas literárias.
Available since: 12/17/2020.

Other books that might interest you

  • Desertos - cover

    Desertos

    Rui José Carvalho

    • 0
    • 0
    • 0
    A pena poética de Rui José Carvalho propõe-se discorrer habilmente sobre a imagem do fotógrafo António Caeiro, numa obra que explora os recantos subjetivos da primeira pessoa. 'Desertos', com a Folha de Sala de Paulo José Miranda, apresenta-nos uma díade que causa uma vertigem no texto. A imagem falaria por si só, mas o texto traduz para palavras uma atmosfera indizível — assim acontece o encontro do poeta com o fotógrafo. Rui José Carvalho caminha por três vielas estreitas que convergem naturalmente para uma estrada comum: a poesia que é prosa, que é ensaio, que é absoluta poesia. O recorte fotográfico de António Caeiro inspira a crueza deserta da lente humana, isolando pormenores estáticos a nu, que provocam pelo canto do olho a crueza da alma do leitor, a quem resta absorver de um trago uma dupla inevitável.
    Show book
  • Amor por Anexins - cover

    Amor por Anexins

    Artur de Azevedo

    • 0
    • 0
    • 0
    Artur Azevedo foi um dramaturgo, poeta, contista e jornalista brasileiro.Amor por anexins é uma curta peça em um ato foi escrita em 1872, sendo o primeiro trabalho de Artur Azevedo deste gênero. Sua primeira peça teve grande êxito sendo representada mais de 1000 vezes ainda no século XIX. (Sumário escrito por Vicente)  
     
    Recorded by Matt,  Leni, &  Vicente Costa Filho
    Show book
  • Pensamentos de Adolescente - cover

    Pensamentos de Adolescente

    Sirley Barreto

    • 0
    • 0
    • 0
    Desde pequena eu já me dedicava a arte da leitura e da escrita. Tive alguns textos publicados no jornal do Colégio Pitágoras nas séries finais do ensino fundamental; No ensino médio vieram os amores, as paixões, as decepções... Aí não aguentei... Passei a transpor para o papel tudo que sentia... E gostei!Tive meus escritos selecionados em vários concursos literários e tive um conto publicado no livro Grandes Escritores da Bahia, pela Editora Litteris.Hoje, sou educadora física e psicopedagoga, e continuo numa relação muito estreita com tudo o que balança as emoções. Este livro é um resgate dos escritos daquela época que voltaram a ter vida no período de isolamento social ocasionado pela covid 19 em companhia da minha princesa Sophia.Espero que curtam a leitura breve dessas reflexões, desses escritos que trazem um pouco da vontade de viver o mundo, de (re)descobrir o amor, de se encher de
    Show book
  • Os escritores de cartas à mão armada - cover

    Os escritores de cartas à mão...

    Olufunke Ogundimu

    • 0
    • 0
    • 0
    Os escritores de cartas à mão armada da autoria de Olufunke Ogundimu é uma estória sobre uma comunidade nigeriana que recebe cartas de assaltantes à mão armada a anunciar a sua chegada e uma lista de pertences que tencionam levar. Os assaltantes também enviam cópias destas cartas à polícia, aconselhando as suas potenciais vítimas a não se incomodarem. Usando o pronome colectivo “nós” para implicar uma voz narrativa coroada, Ogundimu retrata efectivamente, com um sentido de humor peculiar, a confusão colectiva e a determinação de civis indefesos e o estado lamentável do policiamento no país
    Show book
  • Conversa sobre a POESIA RUSSA - cover

    Conversa sobre a POESIA RUSSA

    Lauro Machado Coelho

    • 0
    • 0
    • 0
    Gravado na frente da FAAP, em 2008, uma aula magistral com Lauro Machado discutindo e ensinado sobre a história da poesia russa.Delicie-se...Bom proveito !
    Show book
  • A linguagem da luz - cover

    A linguagem da luz

    Jorge Ortiz Robla

    • 0
    • 0
    • 0
    Como reconhece Ángel Guinda, a palavra poética de Jorge Ortiz Robla é fértil por ser tão primordial. Os quatro elementos (água, ar, fogo, terra) conformavam já chaves simbólicas nos seus dois primeiros livros: 'A simetria dos insectos' e 'Presbicia'. Reaparecem em A linguagem da luz. Emergem, a partir da sua estrutura profunda de pensamento, sentimento e desejo. Torna-se alentador que um poeta ainda jovem espalhe as sementes da elegia, visibilize liricamente a morte nesta época opaca que a oculta e despreza. Ortiz Robla avança através da transitoriedade do tempo, confirma-nos o que é luminoso, expansivo e frutífero no que é epifánico. Com a bela e sensível tradução da poeta Sandra Santos, A linguagem da luz, do poeta espanhol Jorge Ortiz Robla, é editado agora em português e aporta em Lisboa, a cidade iluminada e sempre saudosa, melancólica e orgulhosa de sua grande beleza.
    Show book