Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
25 anos de indicações geográficas no Brasil vol 1: da proteção dos nomes geográficos a criação dos territórios georreferenciados - cover

25 anos de indicações geográficas no Brasil vol 1: da proteção dos nomes geográficos a criação dos territórios georreferenciados

Livia Reis

Publisher: Autografia

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Nesta obra, cumprem-se dois objetivos: Primeiro, o de analisar o processo histórico das IG, numa abordagem desde a Convenção da União de Paris (CUP) ao acordo ADPIC. Realiza-se uma análise de direito comparado sobre as principais legislações Europeias e a do Brasil, sobre suas diferentes interpretações e proteções jurídicas das Indicações Geográficas entre os países, abordando-se também sobre as divergências normativas — escala local, nacional e internacional: limites e possibilidades para a proteção da IG. A partir daí, parte-se na análise para as quatro fases da justificação da IG, amplamente divulgadas pelo Instituto de Propriedade Industrial (INPI) e fartamente encontradas em textos que tratam do assunto IG, são elas: Reconhecimento dos Produtos Territoriais; Vantagem Competitiva e Qualidade Superior – Economia da Qualidade; Desenvolvimento Local; Salvaguarda de Identidade, Tradição e Patrimônio transformado socialmente em bens culturais para o mercado. O segundo objetivo é debater sobre a formação dos novos territórios. Em outras palavras, com o reconhecimento de alguns, há a exclusão de outros grupos de produtores, mesmo que dentro do território reconhecido.

Other books that might interest you

  • Vida próxima vida remota - pandemia e sociedade - cover

    Vida próxima vida remota -...

    Jacques A. Wainberg

    • 0
    • 0
    • 0
    Afastar as pessoas como forma de evitar o contágio do vírus da covid-19 se transformou em 2020 num experimento social massivo. Ficou claro, uma vez mais, que as pessoas são gregárias e que viver enclausurado e distante dos outros causa sofrimento. Para muitos, isso é insuportável, pois gera agonia. A crise foi mitigada pela tela do computador onipresente, algo que inexistiu nas epidemias de outros tempos. Os novos dispositivos evitaram que a separação forçada dos corpos se transformasse em distanciamento social. A mídia foi a heroína dessa jornada de conexão virtual. Conclui-se assim que a vida próxima e a remota andarão juntas de mãos dadas daqui em diante para sempre.
    Show book
  • Contos de sala de aula - cover

    Contos de sala de aula

    Mônica Macedo, Elaine Brito...

    • 0
    • 0
    • 0
    'Pensando nas tantas histórias de professores guardadas no fundo das gavetas ou nos HDs dos computadores que a Editora Oficina Raquel organizou o concurso 'Professores na Escrita'. Lançado em 15 de outubro de 2019, justamente para comemorar o Dia do Mestre, o certame logrou reunir um conjunto variado e significativo de textos. Dentre todos os recebidos, os que se encontram nesta antologia destacaram-se por trazer em seu cerne tanto o necessário fator emocional que tanto marca a vida cotidiana dos professores como uma marcante qualidade literária intrínseca.'
    Show book
  • Guia para a internacionalização universitária - cover

    Guia para a internacionalização...

    Marilia Morosini

    • 0
    • 0
    • 0
    O mundo global, em constante transformação decorrente dos impactos provocados pela mídia, tecnologia e interatividade, tem desafiado Instituições de Educação Superior a repensar práticas e processos. Nesse contexto, a internacionalização torna-se não somente uma ferramenta, mas uma realidade possível. 
    Este guia revela-se uma obra significativa, uma vez que atende às demandas atuais, propondo práticas e processos para a Educação Superior, especialmente para a Graduação. Cada vez mais Universidades buscam maior flexibilidade nos currículos e projetos, considerando as diversas juventudes, o efeito das tecnologias, a necessidade de mobilidade e a formação de um sujeito de visão global e sistêmica sobre a sociedade em que está inserido. 
    MANUIR JOSÉ MENTGES 
    Pró-reitor de Graduação e Educação Continuada 
    PUCRS
    Show book
  • Aprendizagem Ativa - Conteúdos de aprendizagem engajamento e métodos - cover

    Aprendizagem Ativa - Conteúdos...

    Moacir Wuo

    • 0
    • 0
    • 0
    O sucesso da aprendizagem ativa depende da organização dos conteúdos de aprendizagem e do engajamento dos alunos nas atividades. Ajustar conteúdos de aprendizagem ativa e promover o engajamento exigem métodos direcionados e adequados ao perfil e ao contexto sociocultural dos alunos. Este livro apresenta de maneira objetiva e prática orientações para planejar e organizar conteúdos de aprendizagem ativa, métodos para engajamento dos alunos, planejamento de estratégias e métodos instrucionais para manter o engajamento e promover a aprendizagem ativa. São apresentados métodos diretos e indiretos para aplicação em sala de aula com e sem o emprego de tecnologias digitais de informações.
    Show book
  • Fábulas volume 1 - cover

    Fábulas volume 1

    Aesop

    • 0
    • 0
    • 0
    Esopo é um lendário autor grego, que teria vivido na Antigüidade, ao qual se atribui a paternidade da fábula como gênero literário. As Fábulas de Esopo serviram como base para recriações de outros escritores ao longo dos séculos, como Fedro e La Fontaine. O local de seu nascimento é incerto — Trácia, Frígia, Etiópia, Samos, e Sardes todas clamam a honra. Eventualmente morreu em Delfos. Na verdade, todos os dados referentes a Esopo são discutíveis e trata-se mais de um personagem lendário do que histórico. A única certeza é que as fábulas a ele atribuídas foram reunidas pela primeira vez por Demétrio de Falero, em 325 a.C.. 
     
    Esopo teria sido um escravo, que foi libertado pelo seu dono, que ficou encantado com suas fábulas. Ao que tudo indica, viajou pelo mundo antigo e conheceu o Egito, a Babilónia e o Oriente. Concretamente, não há indícios seguros de que tenha escrito qualquer coisa.Entretanto, foi-lhe atribuído um conjunto de pequenas histórias, de carácter moral e alegórico, cujos papéis principais eram desenvolvidos por animais. Na Atenas do século V a.C., essas fábulas eram conhecidas e apreciadas. 
     
    As fábulas que lhe são atribuídas sugerem normas de conduta que são exemplificadas pela ação dos animais (mas também de homens, deuses e mesmo coisas inanimadas). Esopo partia da cultura popular para compor seus escritos. Os seus animais falam, cometem erros, são sábios ou tolos, maus ou bons, exatamente como os homens. A intenção de Esopo, em suas fábulas, era mostrar como os seres humanos podiam agir, para bem ou para mal.Assim como Homero, as fábulas de Esopo faziam parte da tradição oral dos gregos, por isso não foram escritas pelo seu suposto autor. Mais de duzentos anos depois da suposta morte de Esopo é que as fábulas foram reunidas e escritas. 
     
    (Adaptado da wikipedia por Vicente)
    Show book
  • As insurreições dos pescadores da Lagoa Feia - cover

    As insurreições dos pescadores...

    Carlos Abraão Moura Valpassos

    • 0
    • 0
    • 0
    Para a construção de um canal submerso, no ano de 1978, o Departamento Nacional de Obras de Saneamento (DNOS) tentou remover um “acidente topográfico” da Lagoa Feia, norte do Estado do Rio de Janeiro. Para o DNOS, tratava-se de um empecilho a ser removido para a realização de sua obra e o consequente progresso do país. Para os pescadores da Lagoa, estava em jogo um importante regulador natural do nível das águas: o “Durinho da Valeta”. As dragas do DNOS ameaçavam a existência da Lagoa. Lutando pela preservação do seu modo de vida, os pescadores insurgiram contra as obras. O livro aborda o desenrolar dessa acirrada disputa, tendo como pano de fundo a questão do sanitarismo no Brasil e a constituição de problemas públicos.
    Show book