Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Etapas da pesquisa científica - cover

Etapas da pesquisa científica

José Maurício Diascânio

Publisher: Autografia

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Este livro de metodologia científica, caracterizado principalmente por oferecer um roteiro e também matrizes que, de forma objetiva e didática, pretendem desenvolver novas habilidades dos acadêmicos em relação às suas produções científicas, com maior clareza e segurança. Ainda, utilizando-se também da comunicação visual, busca esclarecer dúvidas, bem como familiarizar o leitor com as diversas expressões científicas, pois trata desde a escolha da temática da pesquisa, como também das normas para a redação científica e de todo processo para a elaboração da própria pesquisa.

Other books that might interest you

  • A sétima década - cover

    A sétima década

    Na Caribé

    • 0
    • 0
    • 0
    Bebel e Carol, garotas paulistanas do bairro do Jabaquara, foram educadas para casar, ter filhos e serem boas donas de casa, como acontecia à maioria das meninas nascidas nos anos cinquenta do século XX.
    Mas eis que chegam os anos sessenta, e tudo começa a mudar. De um lado, a emancipação feminina, a revolução sexual, as drogas, o Rock 'n' Roll. Do outro, o golpe militar e a ditadura.
    E elas terão que lidar com um mundo que se transforma. Uma sociedade que contesta a repressão e um terrorismo de Estado que reprime violentamente a contestação.
    Ao chegarem à sétima década de suas vidas, no século XXI, resolvem contar suas histórias: partilhar as lembranças de como foi ser adolescente na sétima década do século XX e sair da adolescência nos anos setenta, depois de toda essa reviravolta.
    Show book
  • Partiu Portugal - guia para estudantes - cover

    Partiu Portugal - guia para...

    Paula Cajaty

    • 0
    • 0
    • 0
    Esse livro é parte de um projeto maior da fanpage #PartiuPortugal, um esforço feito por uma equipe de quatro profissionais - uma editora, um advogado, uma jornalista e uma estudante - que, diante do panorama socioeconômico brasileiro, resolveram coletar e organizar informações relativas às possibilidades de moradia, investimento e estudos em Portugal. Além do Guia do Estudante, o #PartiuPortugal também se preocupa em orientar jovens profissionais e empreendedores, bem como adultos de mais de 50 anos, que busquem em Portugal novas propostas de trabalho ou formas de aproveitar melhor a vida - assunto que exploraremos em outros livros. Este Guia se destina particularmente a alunos que estejam alcançando o nível de estudos universitários, extensões, MBAs e pós-graduações e seus familiares, que os acompanharão nessa jornada.
    Show book
  • Redes ou paredes - a escola em tempos de dispersão - cover

    Redes ou paredes - a escola em...

    Paula Sibilia, Vera Ribeiro

    • 0
    • 1
    • 0
    Para que serve a escola? Será que essa instituição se tornou obsoleta? Essas duas perguntas inquietantes são o ponto de partida para esta reflexão ensaística, extremamente atual, sobre a "crise da escola". A ênfase recai sobre a maneira como as novas tecnologias de comunicação, sobretudo os aparelhos móveis de acesso às redes informáticas e os estilos de vida que eles implicam, estão afetando o funcionamento dessa instituição-chave da modernidade. De que maneira as subjetividades e os corpos contemporâneos reagem ao contato cotidiano com esses dispositivos, e como isso influencia sua relação com a escola?
    
        O livro analisa os fatores envolvidos na crescente incompatibilidade entre os novos modos de ser e estar no mundo, por um lado, e as já antiquadas instalações escolares, por outro, com suas regras e seus valores, suas premissas e ambições definidas há cerca de duzentos anos. "As subjetividades se constroem nas práticas cotidianas de cada cultura, e os corpos também se esculpem nesses intercâmbios", afirma Paula Sibilia. "Este texto procura acompanhar os itinerários que compuseram essa trama, até ela chegar a sua configuração mais atual, detendo-se prioritariamente nos modos de ser e estar no mundo que surgem hoje em dia, e que costumam se relacionar com a escola de modos conflitivos."
    
    
        Para tal, a análise leva em conta um conjunto de vetores socioculturais, econômicos e políticos, com o objetivo de identificar os sentidos dessas transformações históricas e oferecer algumas pistas que permitam delinear possíveis respostas ao conflito, de modo a sugerir caminhos para enfrentarmos uma grande questão contemporânea: de que tipo de escola (ou de que substituto dela) necessitamos?
    
    
        Pesquisadora e ensaísta argentina residente no Rio de Janeiro, Paula Sibilia estuda diversos temas culturais contemporâneos sob a perspectiva genealógica, contemplando particularmente as relações entre corpos, subjetividades, tecnologias e manifestações midiáticas ou artísticas. É autora dos livros "O homem pós-orgânico: corpo, subjetividade e tecnologias digitais" (Ed. Relume Dumará, 2002, com reedição atualizada, no prelo, pela Contraponto) e "O show do eu: a intimidade como espetáculo" (Nova Fronteira, 2008), ambos publicados também em espanhol. Fez graduação em comunicação e em antropologia na Universidade de Buenos Aires (UBA), mestrado em comunicação (UFF), doutorado em saúde coletiva (IMS-UERJ) e em comunicação e cultura (ECO-UFRJ). Atualmente é professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e do Departamento de Estudos Culturais e Mídia da Universidade Federal Fluminense (UFF), bolsista das agências CNPq (Produtividade em Pesquisa) e Faperj (Jovem Cientista do Nosso Estado). Seu próximo livro examina o fenômeno do "culto ao corpo". Em 2012 realizou um pós-doutorado em torno desse assunto na Université Paris VIII, da França, com bolsa da Capes.
    
    
        "As novas gerações falam uma língua bem diferente daquela que servia para comunicar os que se educaram tendo a escola como seu principal meio de socialização e tendo a ?cultura letrada? como seu horizonte universal, com o firme respaldo institucional do projeto moderno abrigado por cada Estado nacional. [...] O desafio é enorme, pois implicaria inventar um dispositivo capaz de fazer com que essas paredes corroídas e cada vez mais infiltradas voltem a significar algo e, desse modo, que se transforme tanto a sua velha função confinante e disciplinadora quanto a sua condição emergente de mero galpão ou depósito. [...] Será necessário transformar radicalmente as escolas [...] redefini-las como espaços de encontro e diálogo, de produção de pensamento e decantação de experiências capazes de insuflar consistência nas vidas que as habitam."
    
    
         Paula Sibilia
    Show book
  • Fundamentos de Antropologia - Fasciculo 1 - A Vida Sensivel - Um ideal de excelência humana - cover

    Fundamentos de Antropologia -...

    Stork Author

    • 0
    • 0
    • 0
    Ricardo Yepes Stork (Madri; 1953 - Pamplona; 1996) foi doutor em Filosofia; pesquisador do 'Instituto de Ciencias para la Familia' e professor de Fundamentos de Antropologia na Universidade de Navarra. Publicou os seguintes livros: Las claves del consumismo (1989); Qué es eso de la filosofía (1989); La doctrina del acto em Aristóteles (1993); Como entender el mundo de hoy (1993); La región de lo lúdico (1996) e ; posteriormente; La persona y su intimidad (1997). Morreu em um acidente de montanha em dezembro de 1996. Javier Aranguren Echevarría (Madrid; 1969) é doutor em Filosofia com prêmio extraordinário pela Universidade de Navarra. Publicou El lugar del hombre en el universo. 'Anima forma corporis' en el pensamiento de Santo Tomás de Aquino (1997); Resistir en el bien. Razones de la virtud de la fortaleza en Santo Tomás de Aquino (2000) e Antropología Filosófica. Una reflexión sobre el carácter excéntrico de lo humano (2003). Também publicou dois livros de ensaios: ¿Puedo estar seguro de algo? (1997) e Lo que pesa el humo (2001).
    Show book
  • Dicionário de sinônimos - cover

    Dicionário de sinônimos

    Antenor Nascentes

    • 0
    • 0
    • 0
    A riqueza de uma língua é a sua capacidade de expressão, a variedade das formas e estruturas que permitem múltiplas maneiras de registrar e transmitir ideias, informações, conhecimentos. É na polissemia, a multiplicidade de significados de uma palavra, e na sinonímia, a multiplicidade de palavras para um significado, que se baseia essa riqueza. 
    Antenor Nascentes estudou profundamente as relações entre palavras sinônimas da língua portuguesa, detectando para cada grupo de sinônimos nuanças e variações sutis de uso e de significados. A partir desse estudo, criou este Dicionário de sinônimos, agora em sua 5ª edição, que se distingue dos demais exatamente por ressaltar essas diferenças, oferecendo ao consulente o desenvolvimento da precisão vocabular.
    Para facilitar ainda mais a consulta e tornar ainda mais clara essa estrutura, ele montou seu dicionário em verbetes que correspondem a grupos de sinônimos, elucidando no texto as variações de seu uso e de seus significados. Um índice detalhado permite localizar cada sinônimo em seu grupo.
    Show book
  • O verbo no ensino de português: padrão e significado das irregularidades - cover

    O verbo no ensino de português:...

    Vítor De Moura Vivas

    • 0
    • 0
    • 0
    Apresentamos, no livro, os padrões formais e semânticos dos chamados verbos irregulares e verificamos que a flexão do português não se estrutura apenas por concatenação de afixos, mas também por mudanças no radical do verbo. Essas mudanças são, na verdade, padrões responsáveis por manifestar modo-tempo ou número-pessoa. Por fim, demonstramos estratégias para o tratamento desse fenômeno em sala de aula refletindo, então, sobre a importância da abordagem desse tema no Ensino Médio.
    Show book