Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Quem bate perde? Os efeitos afetivos dos spots eleitorais de TV no Brasil - cover

Quem bate perde? Os efeitos afetivos dos spots eleitorais de TV no Brasil

Jairo Pimentel Jr

Publisher: Autografia

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Quem bate perde. Essa afirmação, citada muitas vezes, inadvertidamente, por profissionais do marketing político, sustenta que a campanha negativa pode se voltar contra aquele que ataca (o chamado efeito bumerangue). Entretanto, este livro trata de questionar essa ideia, argumentando que o uso de ataque pode ser uma estratégia interessante tanto para diminuir a vontade dos eleitores votarem no candidato atacado, quanto para evitar que o candidato que ataca perca votos para os adversários.

Other books that might interest you

  • Marxismo Contra Burocracia - cover

    Marxismo Contra Burocracia

    Rosa Luxemburg

    • 0
    • 0
    • 0
    Rosa Luxemburgo é um dos grandes nomes do marxismo e do pensamento político. Ela ficou famosa através de suas obras e militância política. A presente obra é uma seleção de textos em que ela trabalha diversas questões, tais como oportunismo, centralismo, burocracia, liberdade de crítica. O foco da análise e da intervenção crítica de Rosa Luxemburgo é o reformismo e revisionismo social-democrata, por um lado, e o jacobinismo leninista, por outro. Em ambos os casos emerge uma crítica da burocracia. Rosa Luxemburgo aponta para uma posição que retomava a ideia marxista de luta de classes e autoemancipação proletária, em seu vínculo com o marxismo, para refutar essas concepções pseudomarxistas.
    Show book
  • Sonho sequestrado - Silvio Santos e a campanha presidencial de 1989 - cover

    Sonho sequestrado - Silvio...

    Marcondes Gadelha

    • 0
    • 0
    • 0
    Em 1989, finalmente o Brasil teria a primeira eleição presidencial direta pós-ditadura. A 15 dias do pleito, algo fora do comum aconteceu: Silvio Santos apresentou-se como candidato, tendo o senador paraibano Marcondes Gadelha como vice. Um clima tenso instaurou-se no país para muitos políticos, empresários e juristas. Para uma grande parcela da população, ao contrário, um clima de festa, pela entrada de um concorrente que reunia qualidades não encontradas nos outros candidatos.  
    A versão até hoje conhecida diz que a candidatura de Silvio Santos teve um fim natural, com o registro negado, pelo fato de que o PMB, partido de Silvio, não cumpriu determinadas exigências legais. 
    Este livro promove uma revisão histórica cuidadosa, mostrando que, na verdade, houve uma engenhosa e implacável conspiração para impedir a qualquer custo a candidatura do apresentador de TV, antes do primeiro turno, pela razão muito simples de que ele seria imbatível nas urnas.
    O final da trama mostra o processo decisório com características, estilo e ritos de uma eleição indireta. Com apenas um traço de originalidade: a toga substituindo a farda.
    Show book
  • Sobre a História e Significado do Comunismo de Conselhos - cover

    Sobre a História e Significado...

    Nildo Viana

    • 0
    • 0
    • 0
    O Comunismo de Conselhos foi uma corrente política forte no bojo da Revolução Alemã e depois de um trajeto histórico longo foi marginalizada e os escritos dos seus representantes foram retomados, a nível mundial, com as lutas sociais do final dos anos 1990 e início dos anos 2000, apesar de, no Brasil, já terem sido retomados pelos representantes do Marxismo Autogestionário. A obra de Nildo Viana visa combater as deformações que muitos efetivaram a partir disso, bem como o dogmatismo e ecletismo. Para tanto, o autor retoma a história do comunismo de conselhos, apresentando sua formação e suas três fases, bem como o seu significado e teses fundamentais.
    Show book
  • O Quarto Poder em Rede - cover

    O Quarto Poder em Rede

    Victor Sampedro

    • 0
    • 0
    • 0
    O quarto poder em rede não tem nada de doutrinário, nem mesmo dessa nova superstição ou religião dos TIC, que se apresenta como uma fraternidade de iguais. Em vez disso, enfrenta as contradições e obstáculos e perigos, como pode ser o de uma nova desigualdade que esgace a sociedade ainda mais. Por isso a de Victor Sampedro, a quem tanto devemos, porque ensina sem dominar, é o olhar da Arce. De nossa Arce. Obrigado. E ande a roda!
    Show book
  • As filhas de Eva querem votar: - uma história da conquista do sufrágio feminino no Brasil - cover

    As filhas de Eva querem votar: -...

    Mônica Karawejczyk

    • 0
    • 0
    • 0
    Neste livro, a historiadora Mônica Karawejczyk apresenta o resultado de uma sólida investigação sobre o processo que culminou com a conquista do voto feminino no Brasil em 1932. A palavra conquista é apropriada para falar sobre as diferentes vozes que se manifestaram desde meados do século XIX, época das primeiras demandas pelo sufrágio, até os anos de 1930, quando o direito ao voto foi estendido às mulheres. 
    Ancorada em uma vasta pesquisa documental, Mônica nos conduz até as estratégias adotadas por homens e mulheres que defenderam o direito à cidadania feminina, enfatizando o protagonismo de persona¬gens como Leolinda Daltro, Bertha Lutz e Maria Lacerda de Moura. Em que pese o objetivo comum das lideranças, suas ações (registradas em cartas, atas, reuniões com parlamentares, atos públicos e na imprensa) evidenciam desacordos e disputas sobre os caminhos do movimento. 
    As manifestações eram pacíficas, tais como a realização de reuniões com parlamentares, publicações de artigos na imprensa e organização de encontros de mulheres. Todavia, Mônica demonstra que ações contestado¬ras, como as tentativas de alistamento de mulheres e o comparecimento a atos promovidos pelo Poder Público com cartazes e faixas alusivos à conquista do voto, também fizeram parte do ativismo político feminino. 
    Através de um diálogo entre a história política e a história das mulheres, Mônica Karawejczyk demonstra que as relações de gênero estiveram no centro do debate público durante a Primeira República. Seu trabalho des¬cortina a difícil caminhada da população feminina até a conquista do voto. 
    A história narrada neste livro não acabou. Muitos argumentos contrários ao voto feminino nas primeiras décadas do século XX ainda são evocados para justificar a posição subalterna das mulheres na política e em outros setores da sociedade. É uma leitura fundamental para compreender a história da cidadania no Brasil e a luta travada por diversas gerações de mulheres em busca da igualdade. 
    Natalia Pietra Méndez 
    Professora do Departamento de História/UFRGS
    Show book
  • Os Direitos do Idoso - cover

    Os Direitos do Idoso

    Luiz Augusto Flores

    • 0
    • 0
    • 0
    Disponibilizamos o livro digital ilustrado colorido de história em quadrinhos do conhecimento ”Os Direitos do Idoso”, cujo conteúdo foi editado com base na Lei Federal nº 10.741 de 01 de outubro de 2.003 e suas atualizações, lei também chamada de Estatuto do Idoso. Transformados os termos jurídicos para linguagem simples, de fácil entendimento e leitura, apresentando seu conteúdo de leitura nos balões de diálogo entre o personagem um idoso e o personagem o jornalista da editora, que esclarece as dúvidas sobre o estatuto do idoso.
    Show book