Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Anatomia de um indigesto - cover

Anatomia de um indigesto

Fabio dos Santos

Publisher: Bibliomundi

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Poemas que apresentam um contexto social. A voz de um poeta conturbado com a realidade que enfrenta. Poemas ora ácidos ora surreais. De um poeta e escritor premiado com diversos e-books publicados entre os quais romances, contos, poemas, narrativas, graphic novel, ensaios etc.

Other books that might interest you

  • Coletânea Prêmio Off Flip de Literatura [2016] - cover

    Coletânea Prêmio Off Flip de...

    Ovídio Poli Junior

    • 0
    • 19
    • 0
    Contos e poesias vencedores da 9ª edição do Prêmio Off Flip de Literatura, selecionados por Celina Portocarrero, Homero Fonseca e Ovídio Poli Junior
    Show book
  • A linguagem da luz - cover

    A linguagem da luz

    Jorge Ortiz Robla

    • 0
    • 0
    • 0
    Como reconhece Ángel Guinda, a palavra poética de Jorge Ortiz Robla é fértil por ser tão primordial. Os quatro elementos (água, ar, fogo, terra) conformavam já chaves simbólicas nos seus dois primeiros livros: 'A simetria dos insectos' e 'Presbicia'. Reaparecem em A linguagem da luz. Emergem, a partir da sua estrutura profunda de pensamento, sentimento e desejo. Torna-se alentador que um poeta ainda jovem espalhe as sementes da elegia, visibilize liricamente a morte nesta época opaca que a oculta e despreza. Ortiz Robla avança através da transitoriedade do tempo, confirma-nos o que é luminoso, expansivo e frutífero no que é epifánico. Com a bela e sensível tradução da poeta Sandra Santos, A linguagem da luz, do poeta espanhol Jorge Ortiz Robla, é editado agora em português e aporta em Lisboa, a cidade iluminada e sempre saudosa, melancólica e orgulhosa de sua grande beleza.
    Show book
  • Estado de acédia - cover

    Estado de acédia

    Gregorio Muelas Bermúdez

    • 0
    • 0
    • 0
    ‘Estado de acédia’ faz eco da sensação de agrura que produz um mundo infestado de desigualdades e injustiças e onde abundam os sentimentos de nostalgia e de melancolia. Os poemas aqui reunidos partilham, pois, uma mesma vocação de crítica social, mas através dum olhar culturalista, porque a poesia é uma arma carregada de esperança. Esta nova obra de Gregorio Muelas apaga limites em todos os sentidos. No da tradição poética, ao não romper com o passado e assumir registos diferentes, no formal [...], mas também na fusão dos conteúdos. Assim, encontramos Antonio Machado (evocado no título de Caminhos sobre o mar) para negar as fronteiras marinhas e territoriais; voltamos à herança cultural grega (O sonho de Ítaca) para mostrar-nos a tragédia da imigração; e o leitor avisado notará a presença tácita de Anna Ajmátova (Casas de Fontaka), que foi testemunha do assédio alemão na janela da sua residência numa dessas casas junto ao canal do Neva em Leninegrado.
    Show book
  • Rede de orvalho - cover

    Rede de orvalho

    Maria Gorete de Moura

    • 0
    • 0
    • 0
    Rede de Orvalho que banha a noite e os sonhos. Palavrasque simbolizam uma história, pontuam um tempo, falam doamor e da vida de uma mulher.Este é um livro pensado para as mulheres mas quemerece ser lido pelos homens, pois assim se pode conhecerde perto o coração marcado pela alegria e até mesmo pelador que bate no peito feminino.Uma obra que através de vigorosas poesias nos leva acaminhar por uma estrada de desejos, onde a realidade fazpar com a ficção.Rede de Orvalho chega de maneira sincera para nosenvolver durante noites e dias, sempre aconchegante eterno, fazendo uso de verdades e sinceras declarações deamor a vida.
    Show book
  • Pedaços - cover

    Pedaços

    Elizabeth Rachid Dias

    • 0
    • 0
    • 0
    “O tempo foi passando, eu já havia me esquecido deste caderno. Porém, folheando os velhos guardados, deparei-me com ele. Reli alguma coisa. Hoje volto a deixar nestas folhas mais alguns pedaços de minha vida.”
    Show book
  • Silêncio - cover

    Silêncio

    Marcelo Moraes Caetano

    • 0
    • 0
    • 0
    Os 68 poemas do novo livro ‘Silêncio’, de Marcelo Moraes Caetano, são prefaciados por Roberto Crema e pelo Professor Antonio Carlos Secchin, que encontram, nesta obra, a sinergia e a interação do autor com os poetas clássicos, compositores e profetas. Roberto Crema anota que o autor é “um artesão peregrino das letras, das melodias, dos insights e da embriaguez da poesia”, um “buscador inquieto, que aprendeu a saber não saber”, premissa para um poeta que se queira invulgar. Já o Professor Secchin observa em Marcelo a faceta de um “poeta nômade” que atravessa não só espaços culturais e geográficos, como transita bem na forma poética, caminhando entre o verso livre e a prática das formas fixas, como nos belos sonetos deste ‘Silêncio’. E está certo o autor em empreender conversas e reflexões infindas com aqueles que vieram antes dele, ou mesmo de caminhar por intermédio do mundo e do fazer poético. Se o dom da profecia é, como dito por Paolo Prodi, praticado apenas por quem sabe ler os signos dos tempos, se é o dizer de Deus na voz do povo, a poesia é a arte da palavra e a palavra em estado de arte. Neste sentido, Marcelo, neste livro, mostra que segue as tradições poética e profética, na medida em que ambos, em seus ofícios, precisam escutar o silêncio, o invisível, o inefável, o divino. E é isto a que Marcelo se dedica em toda a sua vida, em todos os seus fazeres e saberes: a escutar o silêncio essencial, a perscrutar o vazio escuro e criador que precede a luz, e a praticar o ato primordial que foi concedido ao Homem pelas divindades: a criação.
    Show book