Discover a world full of books!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Read online the first chapters of this book!
All characters reduced
Estudos linguísticos e literários - aplicados ao ensino - cover

Estudos linguísticos e literários - aplicados ao ensino

Elisa Guimarães

Publisher: SciELO - Editora Mackenzie no bn

  • 2
  • 1
  • 0

Summary

A obra encadeia associações entre os valores técnicos da língua e os valores estéticos da literatura. Realiza, então, duas abordagens complementares, defi nida a unidade língua/literatura como uma díade com polos inseparáveis – a língua sustentando um código limitativo e prescritivo; a literatura alimentando a reprodução artística do sistema linguístico –, da fusão de ambas resultando um efeito de sentido.

Other books that might interest you

  • Sentença Obscura e Trânsito em Julgado - cover

    Sentença Obscura e Trânsito em...

    Rodrigo Wasem Galia

    • 0
    • 0
    • 0
    Este livro trata de um problema cada vez mais comum na prática jurídica. Mas ele não se apresenta como mero apanhado das ideias das melhores mentes, ou das soluções esboçadas pela jurisprudência, embora dialogue tanto com umas como com outras, O que o livro oferece é um tratamento do problema mesmo, em exposição aprofundada, organizada, crítica e em nenhum momento evasiva. O leitor perceberá a paulatina construção de uma proposta sistemática para a solução dos diversos problemas envolvidos na questão central. Ele poderá concordar com as soluções sugeridas, ou poderá preferir outras, ou ainda conceber soluções melhores. Em qualquer das hipóteses , este livro será um excelente ponto de partida.
    Show book
  • Reserva de jurisdição - Os limites do juiz na investigação criminal - cover

    Reserva de jurisdição - Os...

    Ali Mazloum

    • 1
    • 1
    • 0
    Dentro do ordenamento jurídico brasileiro, o juiz pode muito, mas não pode tudo em uma investigação criminal. Enquanto o crime organizado avançou em diversas formas, o Estado sofre limitações de todo o tipo.
    
    Quais os limites do juiz na investigação criminal? Existem limitações à sua atuação na fase investigativa? É ainda possível empreender boa investigação sem atingir o núcleo essencial de um Direito Fundamental? Crimes hediondos seguidos de grande divulgação na mídia têm suscitado ódio na sociedade contra os supostos autores, dificultando a compreensão do verdadeiro significado e alcance de prerrogativas fundamentais, tais como o direito à ampla defesa, o contraditório, a presunção de inocência, entre outras de igual importância.
    
    A Secretaria da Receita Federal pode promover quebra de sigilo bancário de contribuinte? O Ministério Público tem poder de investigação? As CPIs podem conduzir coercitivamente pessoas ou determinar-lhes quebras de sigilo bancário, fiscal e telefônico? Questões como essas ainda continuam sem definição plena, levando a uma insegurança jurídica em nosso país. É o que esta obra se propõe a debater.
    Show book
  • Gestão da educação - cover

    Gestão da educação

    Hélio Aparecido De Matos Filho

    • 0
    • 0
    • 0
    Em um momento como este que estamos atravessando, quando, na conjuntura de implantação da nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, coloca-se pela primeira vez a questão relativa aos sistemas municipais de ensino, resulta extremamente pertinente a questão proposta para discussão neste livro, tendo como escopo a cidade de Morrinhos-GO.
    Show book
  • Dialogue Democracy and Authoritarianism - cover

    Dialogue Democracy and...

    João Roberto Dos Santos Da Costa...

    • 0
    • 0
    • 0
    Digest
    
    Ramon Lull wants to establish peace among people: Christians, Jews and Muslims. Against Dubois’s political thought, he defends a permanent forum of debate in religion and philosophy opened to everybody. He thinks it is necessary a world authority supported by free will of people to establish a real dialogue of civilizations, tolerance, economic cooperation and solidarity. Lull considers justice an indispensable virtue to develop and preserve common good. Taking this into account, the deliberative power must strive to promote this common good. On the contrary, the bad governance causes a general lack of virtue that implies corruption. In this situation people are allowed to substitute bad politicians by others. In the modern state, this doctrine has not been taken into account, which explains the difficulties of democracy according to Tocqueville, an author that considers the classical concept of natural law to legislate and rule society. According to the Pope John Paul II, Christ offers the peace of the realm of God. I also identify a return to medieval Ramon Lull’s doctrine of justice and peace, which is possible due to the influence of Francisco de Vitoria and the Salamanca School. To reshape modern customs it would be necessary to educate societies economic and politically, which has much to do with the “political man” in the Aristotelian sense. Cardinal Joseph Ratzinger met the Philosopher Jürgen Habermas at the Catholic Academy of Bavaria in Munich on January 19, 2004. They talked about the integral function of the state to steady social order. They stimulated people to investigate the causes and possible solutions to overcome the global and moral crisis. Their method in Political Science is mainly based on intercultural dialogue, authority, tolerance and solidarity. They also agree that democratic social order around the world requires the link between state service and civil society participation. This is a return to Ramon Lull’s political thought based on a correct legislation and good costums to build effective social peace. This is a promising step in the context of modernity.
    
    Descrição
    
    Ramon Llull quer estabelecer a paz entre as pessoas: cristãos, judeus e muçulmanos. Ele defende, contra o pensamento político de Dubois, um fórum permanente de debate sobre religião e filosofia que seja aberto a todos. Para estabelecer um verdadeiro diálogo de civilizações, a tolerância, a cooperação econômica e a solidariedade, ele pensa que é necessária a existência de uma autoridade mundial apoiada pela livre vontade das pessoas. Llull considera a justiça uma virtude indispensável para desenvolver e preservar o bem comum. Levando isso em conta, considera necessário um poder deliberativo que se esforce para promover esse bem comum. Ao contrário, o mau governo causa uma falta geral de virtude que implica a corrupção. As pessoas têm permissão então para substituir os maus políticos por outros. No Estado moderno, esta doutrina não foi considerada, o que explica as dificuldades da democracia segundo Tocqueville, um autor que se baseia no conceito clássico de lei natural para legislar e governar a sociedade. Segundo o Papa João Paulo II, Cristo oferece ao mundo a paz do reino de Deus. Eu também identifico nele um retorno à doutrina medieval de Ramon Llull sobre a justiça e a paz, o que é possível devido à influência de Francisco de Vitória e da Escola de Salamanca. Para remodelar os costumes modernos, é necessário educar as sociedades econômica e politicamente, algo que tem muito a ver com o "homem político" no sentido aristotélico. O Cardeal Joseph Ratzinger reuniu-se com o filósofo Jürgen Habermas na Academia Católica da Baviera, em Munique em 19 de janeiro de 2004. Eles conversaram sobre a função integral do Estado para a consecução da estabilidade da ordem social. Também estimularam as pessoas na busca das causas e possíveis soluções para superar a crise globar e moral. O método de ambos, em Ciência Política, baseia-se principalmente no diálogo intercultural, a autoridade, a tolerância e a solidariedade. Eles também concordam em que uma ordem social democrática vigente em todo o mundo requer o nexo entre a mediação do Estado e a participação da sociedade civil. É um retorno ao pensamento político de Ramon Llull fundamentado na correta legislação e nos bons costumes para construir uma efetiva paz social. Trata-se de um passo promissor no contexto da modernidade.
    Show book
  • Geopolítica das Igrejas e Anarquia Religiosa no Brasil - cover

    Geopolítica das Igrejas e...

    Alberto Pereira Dos Santos

    • 0
    • 0
    • 0
    Este livro traz uma análise acerca das influências e rivalidades de poderes das igrejas – principalmente a Católica e as Evangélicas – no território brasileiro, através do controle do “capital religioso” e na conquista de novos fiéis entre as populações religiosas (católicos, evangélicos, espíritas, budistas, umbandistas, candomblecistas e outros). A Geopolítica das Igrejas envolve estratégias através dos meios de comunicação, inclusive com as eleições parlamentares e até mesmo com intolerância religiosa fomentada por alguns líderes religiosos contra outras religiões.
    Show book
  • Ateísmo & Liberdade - Uma Introdução ao Livre-Pensamento - cover

    Ateísmo & Liberdade - Uma...

    André Cancian

    • 0
    • 0
    • 0
    Deus, religião, moral, origem e sentido da vida, livre-arbítrio: em Ateísmo & Liberdade, assuntos fundamentais são postos à luz da razão, em uma tentativa de esclarecer algumas das mentiras e verdades que nos cercam. Polêmico, franco, revelador e ousado, Ateísmo & Liberdade é um convite à reflexão, ao livre-pensar e à busca por uma explicação racional e coerente sobre o homem e o mundo.
     
    * * *
     
    APRESENTAÇÃO
    PREFÁCIO
     
    :: PARTE I
    INTRODUÇÃO GERAL
    OS FUNDAMENTOS DO ATEÍSMO
    ARGUMENTOS EM FAVOR DA EXISTÊNCIA DE DEUS
    ARGUMENTOS CONTRA A EXISTÊNCIA DE DEUS
    RELIGIÃO COMO ALIENAÇÃO E CONTROLE SOCIAL
     
    :: PARTE II
    INTRODUÇÃO À PARTE II
    OS FUNDAMENTOS DA TEORIA DA EVOLUÇÃO
    A REPRESENTAÇÃO DA REALIDADE
    SOBRE O FUNDAMENTO DA MORAL
    SOBRE O SENTIDO DA VIDA
    AS RAZÕES DO CORPO
    O HOMEM, O MUNDO E O NADA
     
    :: APÊNDICE
    SOBRE A LIBERDADE E O LIVRE-ARBÍTRIO
    SOBRE O AUTOR
     
    REFERÊNCIAS
     
    * * *
     
    “Já li alguns bons livros sobre ateísmo, mas acredito que o Ateísmo & Liberdade, do André Cancian, é o melhor deles, em particular por ter sido escrito na nossa língua nativa, o que torna o texto ainda mais claro e próximo. Chega a ser quase que um livro didático, que vai te acompanhando passo a passo em um processo que podemos chamar de ‘libertar-se a si mesmo’. O que pode tornar o livro de difícil leitura não é o livro em si, mas a dolorosa ‘faxina interior’ que o leitor é conduzido a fazer.
    Gostei tanto que acabei comprando os outros dois livros (O Vazio da Máquina e Ateísmo e Niilismo) que juntos formam uma espécie de trilogia, de complexidade crescente e gradual, mas muito bem escrita, coesa e reveladora.
    Para mim, hoje, André Cancian é uma referência neste assunto.”
    — Alexandre Lima
     
    “Muito bom. Uma dose de realidade acompanhado dum bom prato lógica.”
    — André Mestrinier
     
    “Ateísmo & Liberdade foi a última pedra na construção do meu eu livre de qualquer resquício de religião. Foi como conversar com alguém que havia acabado de conhecer, mas que já representava um velho amigo por compartilhar ideias e angústias tão antigas.”
    — Lucinea Brabo
     
    “O livro Ateísmo e Liberdade prova categoricamente a inexistência de Deus. Sabemos que essa ficção fora projeto da mente humana. Se a Bíblia provasse a existência de Deus, as revistas em quadrinhos provariam a existência do super-homem.”
    — Paulo Duarte
     
    “Confesso que antes de adquirir o livro do André, andei muito pelo site ateus.net, de sua autoria. Lá visitei o fórum, li os artigos dispostos. Só depois de haver circulado uns meses pelo site, decidi adquirir o tal exemplar. E devo dizer que apesar de esperar bastante, ainda me surpreendi com o seu conteúdo. Disposto de maneira didática e elegante, o que temos são mais de 200 páginas passando por uma variedade de assuntos correlatos com a temática do ateísmo – desde a uma breve história e conceitos, até discussões relevantes como, por exemplo, o livre-arbítrio e visões de mundo.
    O livro, que não se resume a discutir o ateísmo, dispõe em suas laudas também sobre o homem, e é um apanhado filosófico de alto nível, que cumpre a função de ser um manual seguro para todos aqueles dispostos a trilhar um caminho para o conhecimento de sua condição humana.
    É uma grande e corajosa obra. Dispomos de poucas assim, em nossa língua e cultura, e que divulguem tais assuntos em níveis amplos. A sinceridade e verdade, e a verdadeira sinceridade com que André nos brinda é um raro achado, e que deve ser apreciado. Em um mundo que pugna por cair em ilusões de toda sorte, este livro é um copo de água no deserto das ilusões – e uma porta de entrada para o deserto do real.
    Faz agora parte da minha estante, junto de outros grandes nomes da filosofia e do pensamento humanos.”
    — Rafael Tages Melo
     
    “O livro Ateísmo e Liberdade de André Díspore Cancian é, parafraseando Franz Kafka, um soco no estômago, em todos os sentidos: Ele lhe mostra a realidade nua e crua; ele mexe com você, sem que se possa ficar indiferente; e lhe fará perceber a natureza pesada e rochosa do imenso vazio que somos. Contudo, apoia-se inteiramente na ciência, em conhecimento palpável para trilhar seus caminhos. Como o exemplo pugilístico anterior, com seus sentidos e sensações, que podem ser descritos e dissecados completamente pela fisiologia, o autor nos leva pelos caminhos da ciência e da filosofia para desnudar a natureza cósmica e humana, mostrando a diferença entre o real – ou a melhor aproximação possível do real – e o imaginário, sem nunca deixar de lado o fino humor, sempre presente durante a dura travessia deste árido deserto, que não tem as sombras ilusórias dos deuses e demônios como refresco. Recomendo um Malbec de Terras Altas de boa safra como acompanhamento.”
    — Valdir J Coppini
     
    “O livro faz exatamente o que se propõe a fazer: apresentar a discussão sobre a (in)existência de Deus sob um ponto de vista claro e didático, mas que não peca pela falta de pontos essenciais para o completo entendimento das argumentações. A retórica usada é muito eficiente e os excertos de autores diversos tornam-no “esquizofrênico” de tal forma a deixar-nos confortáveis com as várias vozes uníssonas presentes na obra.”
    — Jairo Moura
     
    “O conteúdo do livro é tão sublime que, apesar de fazer você testemunhar “o lado fictício da realidade subjetiva”¹ e “o nada por detrás de tudo”², a delirante obra é um suplemento indispensável à existência dos seres que têm paixão pela sabedoria. Inclusive, àqueles que sofrem de sofofobia e/ou bibliofobia, ao aventurar-se em lê-lo, seria um grande passo pelo caminho da cura, quem sabe.
    Contraindicações: hipersensibilidade ao produto.
    Nota: 1 e 2 – Incongruência? Não, antítese!”
    — Francis Lennon
     
    “O livro está muito bem formulado, impressiona-me o critério de organização, objetividade, e a clareza com que aborda o assunto. Não posso deixar de ressaltar também, a citação no começo, do Kafka, que ficou adequadíssimo, encaixou-se perfeitamente com o livro, como uma luva, dando um toque de elegância já no começo. Uma obra que demonstra efetivamente o que podemos chamar de integridade intelectual, tratada com uma simplicidade e clareza que chega irritar, considerando a importância e complexidade do assunto abordado. Leitura muito agradável, parabéns! Recomendadíssimo!”
    — Hernani Marcondes César
     
    “A obra ‘Ateísmo e Liberdade’ é, sobretudo, um esforço de reflexão. Um tipo de reflexão que, a cada dia, está mais escassa entre nós. A honestidade intelectual necessária para tal reflexão é rara. Um livro provocante, de agradável leitura, enriquecedor. Um ‘machado para o mar congelado que há em nós’. Um desafio que vale a pena arrostar.”
    — André Muniz
     
    “Alguém disse outrora que um livro somente pode ser considerado como tal se ele mudar, de algum modo, a sua visão de mundo. Ateísmo & Liberdade de André D. Cancian é um livro imprescindível para aqueles que querem acordar do sono letárgico-existencial para uma vida onde a consciência não seja cativa, prisioneira de ilusões. O que posso dizer mais? Não sou mais o mesmo depois de sua leitura. Minha consciência não mais o permite. Excelente livro em conteúdo. Ressalva apenas para a encadernação que poderia ser melhor. Obrigado André!”
    — Paulo S. A. Figueredo
     
    “Recomendo a todas as pessoas o livro Ateísmo & Liberdade, pois se trata de uma obra que aborda com escrita fascinante, simples e didática uma interessante história do pensamento humano. Contendo críticas e assuntos suficientemente relevantes para torná-los públicos. Depois de ler é nítida a evolução que causa no pensamento e na visão de mundo e, uma outra consciência do que chamamos de liberdade.
    Enfim, o livro abre portas necessárias para nos conscientizarmos do nosso pensamento de um mundo que não está em nossa mente, mas que podemos captá-lo.”
    — Flávia Dellamura
     
    “Ateísmo & Liberdade é uma obra bem escrita, regada a palavras inteiras e finas ironias. Envolvente e pouco cansativa, são qualidades que fazem com que a leitura da mesma flua. Entretanto, o sarcasmo do autor pode ser ofensivo a determinadas pessoas de determinadas religiões que venham a ler tal obra. No conjunto, um excelente livro, o qual recomendo sem nem titubear.”
    — Fabiano Fidêncio
     
    “Apesar do título Ateísmo e Liberdade, acho que o aspecto mais importante do título é “Reflexões sobre o homem, o mundo e o nada”. O livro não tem a intenção de transformar religiosos em ateus ou divulgar o ateísmo. É um livro para pessoas que gostam de filosofia e querem entender mais sobre nossa realidade como ser humano sem fantasias. Afinal, como conseguir ser racionais, críticos e imparciais nesse mar de informações que carregamos em nosso inconsciente?
    O livro é resultado de um enorme estudo do autor, que trilhou um longo caminho, seu instinto, sua honestidade e embasado em grandes livros e autores. Suas conclusões, apesar de serem lógicas e coerentes, não são tão óbvias quanto parecem, e é preciso muita honestidade e humildade para digeri-las.
    Eu pude acompanhar o aperfeiçoamento da obra e garanto que é uma leitura fascinante, que nos prende a cada parágrafo, pois nela estão contidas informações que não estão nas revistas e nos jornais: a obra é uma tentativa de explicar o que somos e porque somos assim! Existe algo mais importante para se discutir?
    Esse livro vai mudar o seu modo de pensar, por isso seu valor é inestimável.”
    — Fernando D. C.
     
    “A situação humana esconde o vazio de sentido, a falta de um objetivo maior que muitos inventam – e assim, se iludem – para amenizar a náusea de existir. Por trás do que vemos como fato inabalável, há conclusões falsas. O homem não aceita ser o que é, destarte sua gana em ser infinito…
    Se hoje trago comigo tais pensamentos foi porque algo foi o estopim para que eu tivesse o desejo de saber. Este algo foi a leitura de alguns autores e, sobretudo, do livro Ateísmo & Liberdade. Tal obra favoreceu a ampliação do meu senso crítico e mostrou-me a realidade que muitos escondem por não ser tão bela quanto almejam. Obtive, após a leitura, um aprendizado que levarei para a vida: questionar o porquê das coisas e não apenas acreditar sem fazer uma análise crítica.
    Ateísmo & Liberdade, de leitura acessível e dinâmica, é um livro essencial para quem quer – assim como eu quis – iniciar um entendimento consistente, lógico, verdadeiro e coerente do mundo e da existência humana.”
    — Thiago Henrique Abrahão
     
    “A leitura de “Ateísmo & Liberdade” revolucionou minha vida profissional e pessoal em três aspectos: 1) – Como professora de História, nunca compreendi por que todos os grupos humanos, “civilizados” ou não, tiveram e têm tanta necessidade de cultuar deuses, apesar das inúmeras contradições que essas crenças apresentaram e apresentam. Sempre atribuí tal credulidade à falta de conhecimentos acerca das religiões. Uma resposta mais abrangente e satisfatória só tive quando li a obra em questão. 2) – Despertou-me uma enorme vontade de voltar meus estudos para a área da Filosofia. Eliminei ou superei alguns preconceitos que adquiri quando realizava minha formação acadêmica, especialmente em relação à obra de Nietzsche, tão manipulada pela ideologia Nazista. 3) – Nunca mais consegui ver as relações humanas sem lembrar dos interesses que estão por detrás delas; ou, nas palavras do autor, do fator de “utilidade” como força propulsora das ações humanas no sentido de promover sua sobrevivência e bem-estar.
    É uma leitura que recomendo aos amigos por achar que possuem condições para compreendê-la em toda a sua profundidade e aos inimigos para torturá-los. Por tais contribuições, a nota que atribuí à obra é 4,5. Por que não 5? Por entender que toda obra está sempre incompleta, isto é, há a possibilidade de melhorá-la. Se Michelangelo tivesse se dedicado mais a “Davi” ou a “Moisés”, provavelmente estas falariam. Enfim, conheci poucas pessoas tão interessantes quanto André Díspore Cancian, e sempre que tenho oportunidade de falar sobre o autor com outras pessoas, o defino através de cinco adjetivos: inteligente, lúcido, humilde, corajoso e coerente. Os três primeiros por ter chegado à conclusão de que somos nada e os dois últimos por viver esta conclusão.”
    — Egléia Adalgizo Minas Crealese
     
    “O livro prende sua atenção com uma narrativa objetiva, estimulante e fácil de ler, passando para o leitor as ideias fundamentais do ateísmo, trazendo à tona toda a experiência e sinceridade do autor, que transmite o conhecimento adquirido num nível de detalhes sem igual. É também um livro que abala convicções profundamente, que joga todo o peso da realidade sobre seus ombros. Na minha opinião, é um livro capaz de mudar seu modo de pensar, de agir, de viver – você pode nunca mais ser o mesmo. Este livro é de um valor inestimável, uma descoberta, é o X no mapa do tesouro perdido.”
    — Carlos Gustavo
     
    “Recentemente adquiri o livro “Ateísmo & Liberdade – Uma introdução ao livre-pensamento”, do André Cancian (ateus.net). Após a leitura, tive vontade de vir aqui dizer a vocês que é uma leitura não só maravilhosa, mas altamente necessária. Nunca vi nada parecido, ainda mais de um autor brasileiro. A profundidade e honestidade com que o autor aborda os assuntos (não só o ateísmo!) é de deixar o queixo no chão (mesmo de ateus). Fora a excelente qualidade do texto em si, fiquei surpreso com a qualidade da produção do livro (encadernação, páginas, capa, etc.), que é de primeira; isso considerando que a impressão é feita por ele mesmo.
    Bom, acho que não tenho muito mais o que dizer. Preciso digerir as inúmeras ideias que li. Espero que vocês tenham o mesmo prazer que eu e venham aqui discutir cada ponto desse incrível livro, que – sem exagero algum – mudou minha vida para sempre. Para quem estiver interessado em adquirir o livro, é só entrar no site dele e fazer o pedido – eu garanto ser 100% seguro. O livro vale cada centavo pago.”
    — Rafael Camargo Delerue
     
    “Sobre seu livro, achei-o muito interessante, principalmente aos iniciantes nesse novo e tão questionável mundo. Acho que você não tem de acrescentar mais tópicos ou aumentar as explicações, pois já iria contra o título do próprio livro: “uma introdução”. Creio que seu próximo passo a ser traçado seria fazer uma série debatendo cada tema separadamente e – por este caminho – ir se aprofundando mais.
    O livro “Ateísmo & Liberdade – Uma Introdução ao Livre-Pensamento” está perfeito nessas bases, explicações básicas, rápidas e diretas.
    André, obrigado novamente pelo acervo, e que você dê continuidade ao seu caminhar, abrindo mentes.”
    — Rodolfo M. Salvador
    Show book