Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Contra 'O Estado e a Revolução' de Lênin - cover

Contra 'O Estado e a Revolução' de Lênin

Chris Wright

Translator José Santana da Silva

Publisher: Edições Enfrentamento

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Lênin é considerado o autor mais importante no interior do marxismo depois de Marx. Ele é considerado, inclusive, o seu intérprete canônico. Chris Wright é um dos poucos que realizam a crítica da confusão entre marxismo e leninismo. Wright realiza uma análise crítica da obra O Estado e a Revolução, de Lênin, discutindo seus limites e diferenças em relação ao pensamento de Marx, bem como abordando questões como teoria do Estado, questão da consciência e do partido, ditadura do proletariado e concepção marxista de revolução. Assim, para todos aqueles que conhecem a obra de Lênin, esse livro é fundamental por apresentar uma análise crítica do leninismo e de suas mistificações.

Other books that might interest you

  • Jovens policiais no Rio de Janeiro - cover

    Jovens policiais no Rio de Janeiro

    Camila Farias

    • 0
    • 0
    • 0
    Jovens Policiais foi originalmente uma dissertação de Mestrado defendida no Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da UFRJ, em 2014. A obra busca refletir sobre as motivações para ingresso de jovens na Polícia Militar do Rio de Janeiro, a partir de concursos realizados em 2009 e 2010. E também os impactos desta escolha profissional em suas vidas, considerando suporte familiar, oportunidades de formação profissional e educacional, classe social, motivações e expectativas.
    Show book
  • Concepção Marxista da Sociedade - cover

    Concepção Marxista da Sociedade

    Ferrnado Ocáriz Braña, Antonio...

    • 0
    • 1
    • 0
    A concepção marxista da sociedade é um tema muito amplo, especialmente porque, segundo o marxismo, toda a realidade é essencialmente social. Por isso, uma primeira delimitação do assunto será a de centrá-lo naqueles aspectos que todos – e não só os marxistas – consideram como essencialmente sociais. Porém, para captar o alcance do pensamento marxista acerca deles, é necessário não perder de vista que, segundo Marx, tudo é sociedade e a sociedade é tudo.
    Show book
  • Fascismo pandêmico - como uma ideologia de ódio viraliza? - cover

    Fascismo pandêmico - como uma...

    Alexandre Gossn

    • 0
    • 0
    • 0
    Como as pandemias viróticas, o fascismo às vezes entra em modo hibernação, esperando a primeira oportunidade para viralizar, como é o que parece que estamos vendo acontecer. Mas, o que seria o fascismo? Uma corrente política? Uma ideologia? Uma seita? Uma forma de viver? Um sentimento marcial coletivo? O fascismo seria inerente a uma época? Pode ser transplantado de país para país? Pode ser falado em diversos idiomas? O fascismo teria morrido com a Segunda Guerra Mundial? Se sim, poderia ter deixado bisnetos? No presente ensaio, o autor nem de longe pretende esgotar o tema, mas oferece uma importante contribuição sobre como era o fascismo e no que se tornou, sempre, lastreando suas observações em fatos notórios e bibliografia de relevo.
    Show book
  • As filhas de Eva querem votar: - uma história da conquista do sufrágio feminino no Brasil - cover

    As filhas de Eva querem votar: -...

    Mônica Karawejczyk

    • 0
    • 0
    • 0
    Neste livro, a historiadora Mônica Karawejczyk apresenta o resultado de uma sólida investigação sobre o processo que culminou com a conquista do voto feminino no Brasil em 1932. A palavra conquista é apropriada para falar sobre as diferentes vozes que se manifestaram desde meados do século XIX, época das primeiras demandas pelo sufrágio, até os anos de 1930, quando o direito ao voto foi estendido às mulheres. 
    Ancorada em uma vasta pesquisa documental, Mônica nos conduz até as estratégias adotadas por homens e mulheres que defenderam o direito à cidadania feminina, enfatizando o protagonismo de persona¬gens como Leolinda Daltro, Bertha Lutz e Maria Lacerda de Moura. Em que pese o objetivo comum das lideranças, suas ações (registradas em cartas, atas, reuniões com parlamentares, atos públicos e na imprensa) evidenciam desacordos e disputas sobre os caminhos do movimento. 
    As manifestações eram pacíficas, tais como a realização de reuniões com parlamentares, publicações de artigos na imprensa e organização de encontros de mulheres. Todavia, Mônica demonstra que ações contestado¬ras, como as tentativas de alistamento de mulheres e o comparecimento a atos promovidos pelo Poder Público com cartazes e faixas alusivos à conquista do voto, também fizeram parte do ativismo político feminino. 
    Através de um diálogo entre a história política e a história das mulheres, Mônica Karawejczyk demonstra que as relações de gênero estiveram no centro do debate público durante a Primeira República. Seu trabalho des¬cortina a difícil caminhada da população feminina até a conquista do voto. 
    A história narrada neste livro não acabou. Muitos argumentos contrários ao voto feminino nas primeiras décadas do século XX ainda são evocados para justificar a posição subalterna das mulheres na política e em outros setores da sociedade. É uma leitura fundamental para compreender a história da cidadania no Brasil e a luta travada por diversas gerações de mulheres em busca da igualdade. 
    Natalia Pietra Méndez 
    Professora do Departamento de História/UFRGS
    Show book
  • Doenças raras e políticas públicas: entender acolher e atender - cover

    Doenças raras e políticas...

    Rosangela Wolff Moro

    • 0
    • 0
    • 0
    Esta obra oferece um panorama abrangente dos grandes avanços realizados nos âmbitos legislativo, executivo e jurídico para assistência de pessoas com enfermidades pouco prevalentes. É um trabalho que lança luz sobre a realidade que pacientes e familiares de pessoas com doenças raras vivenciam diariamente. Mostra também o papel fundamental das associações de pacientes que, ao se unirem, conseguiram muitos benefícios que hoje ajudam quem vive com esses transtornos.  O livro discute como a lei atual permitiu uma melhoria no cuidado desses pacientes, mas aponta também pontos que precisam ser melhorados pelos magistrados e legisladores. Uma das advogadas mais envolvidas com o tema na última década, Rosangela Wolff Moro dá voz às pessoas doentes e seus familiares, alternando fatos históricos e leis com relatos emocionais de pacientes.  A obra se propõe a atualizar quem se interessa pelo tema de doenças raras e quer participar desse debate.
    Show book
  • Liberdade Sufocada - cover

    Liberdade Sufocada

    Luiz Augusto Flores

    • 0
    • 0
    • 0
    Esta obra é crítica de interesse público, baseada na verdade de quem viveu os fatos, é narrativa de fatos reais, liberdade de expressão e de imprensa sufocada, regime de APARTHEID, viagens, projetos, ações e investigações, experiências e exemplos de vida, depoimentos, poesias.
    Show book