Turn 2021 into a year of reading!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Novelas Do Minho - cover

Novelas Do Minho

Camilo Castelo Branco

Publisher: Literature Classics

  • 0
  • 4
  • 0

Summary

Novelas do Minho é o título dado por Camilo Castelo Branco a um conjunto de oito novelas suas, influenciadas sabrina situam-se na sua quase totalidade no Minho (norte de Portugal).

Other books that might interest you

  • Os Canibais - cover

    Os Canibais

    Álvaro Do Carvalhal

    • 0
    • 6
    • 0
    O conto “Os Canibais” certamente é o mais conhecido dos escritos por Álvaro do Carvalhal e tem despertado o interesse de pesquisadores que abordam a produção literária deste autor excluído do cânone português do século XIX durante um largo período.
    Show book
  • Ao acaso - cover

    Ao acaso

    Assis Machado de

    • 0
    • 0
    • 0
    "Ao Acaso" é uma coletânea de crônicas escritas por Machado de Assis sobre diversos assuntos. Foram publicadas originalmente em "O Diário do Rio de Janeiro", no Rio de Janeiro, de 12 de junho de 1864 a 16 de maio de 1865.
    Joaquim Maria Machado de Assis, nascido em 1839, é considerado o maior nome da literatura nacional. Foi poeta, cronista, dramaturgo, contista, folhetinista, jornalista e crítico literário. Sua obra constitui-se em nove romances e peças teatrais, 200 contos, cinco coletâneas de poemas e sonetos e mais de 600 crônicas. Morreu em 1908, aos 79 anos de idade.
    Show book
  • As jóias da coroa - cover

    As jóias da coroa

    Raul Pompéia

    • 0
    • 0
    • 0
    "As Jóias da Coroa" é um livro bem divertido e empolgante escrito por Raul Pompéia que conta a história de Manuel Paiva, um malandro que tenta roubar as joias pertencentes ao Duque de Bragança. No início, parecia que tudo daria certo, até que seu plano vai por água abaixo.
    Raul d'Ávila Pompéia, nascido em Angra dos Reis em 1863, foi um escritor brasileiro e teve como principal obra "O Ateneu". Tinha inimizade com várias pessoas, inclusive o escritor Olavo Bilac, com o qual acabou marcando um duelo que não chegou a se realizar. Suicidou-se no dia de Natal, em 1895.
    Show book
  • Os Sonetos Completos De Anthero De Quental - cover

    Os Sonetos Completos De Anthero...

    Antero De Quental

    • 1
    • 3
    • 0
    Compilação de todos os sonetos do grande autor Português Anthero de Quental.
    Show book
  • Book of Genesis (Bible 01) The - Portuguese Edition - cover

    Book of Genesis (Bible 01) The -...

    Multiple Authors

    • 0
    • 1
    • 0
    A tradução feita por João Ferreira de Almeida é considerada um marco na história da Bíblia em português pois foi a primeira tradução do Novo Testamento a partir das línguas originais. O trabalho de João Ferreira de Almeida é para a língua portuguesa o que a Bíblia de Lutero é para alemã e a King James Version para a inglesa. Num trabalho que se estendeu por toda a sua vida, Almeida começou a tradução pelo Novo Testamento, dedicando-se ao Velho Testamento já em idade avançada. A tradução de Almeida é sem dúvida a mais difundida em Língua Portuguesa, mais modernamente em versões corrigidas e revisadas. Este projeto usa uma edição de 1860, reimpressão da segunda edição da Bíblia de Almeida, revista pouco antes da morte do tradutor.Esta é a gravação do primeiro livro do Antigo Testamento, Gênesis.----The Book of Genesis (transliterated from Greek ???????, meaning "origin") is the first book of the Hebrew Bible and the Christian Old Testament. This is a sweeping and poetic look at the beginning of man's relationship with God.Tradition credits Moses as the author of Genesis, as well as Exodus, Leviticus, Numbers and most of Deuteronomy, but modern scholars increasingly see them as a product of the 6th and 5th centuries BCE. Enjoy the famous Book of Genesis in audiobook edition today!
    Show book
  • Folhas Caídas - cover

    Folhas Caídas

    Almeida Carrett

    • 0
    • 8
    • 0
    Antes que venha o inverno e disperse ao vento essas folhas de poesia que por aí caíram, vamos escolher uma ou outra que valha a pena conservar, ainda que não seja senão para memória. A outros versos chamei eu já as últimas recordações da minha vida poética. Enganei o público, mas de boa-fé, porque me enganei primeiro a mim. Protestos de poetas que sempre estão a dizer adeus ao mundo, e morrem abraçados com o louro – às vezes imaginário, porque ninguém os coroa.
    Show book