Discover a world full of books!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Read online the first chapters of this book!
All characters reduced
Eu nunca mais vou roubar wifi do vizinho - cover

Eu nunca mais vou roubar wifi do vizinho

Batuta Ribeiro

Publisher: Publishdrive

  • 2
  • 31
  • 0

Summary

Uma história de terror inspirada na creepypasta Wifi Grátis, onde um sujeito passa a usar wifi de graça sem saber que o preço de usar essa internet seria o mais caro de sua vida.

Other books that might interest you

  • Contos de Lima Barreto - cover

    Contos de Lima Barreto

    Lima Barreto

    • 0
    • 0
    • 0
    Os contos de Lima Barreto (1881-1922) já mostram algumas características do conto moderno da literatura brasileira, entre elas a simplicidade e a objetividade. Este audiolivro contém alguns de seus principais contos, todos eles marcados pela observação crítica da sociedade e dos costumes de sua época, mostrados com humor e ironia. Inclui os contos:- O Homem que Sabia Javanês- Um Especialista- Adélia- Uma Vagabunda- Sua Excelência- Lívia- Um e Outro- Harakashy e as Escolas de Java- ClóDuração aprox.: 3h00
    Show book
  • Certas mulheres - cover

    Certas mulheres

    Augusto Cruz

    • 0
    • 0
    • 0
    A obra tem como tema central a mulher. Criando uma série de contos através de personagens diferentes, com idades, histórias, crises e perspectivas próprias, mas que possuem a qualidade de compor um universo feminino amplo, desmitificando a mulher padronizada e retomando o conceito da diversidade de gênero. Busca mostrar todas as variáveis que torna a Mulher um ser único e singular, mas nem por isso, previsível. Brincar com essa imprevisibilidade é o desafio dos Autores, cada qual com sua visão sobre esse complexo universo. Homem e mulher falando sobre o mesmo tema, mas colocando em suas criações suas idiossincrasias. Esse ?pingue-pongue? busca estimular o leitor e abre um amplo espectro para as reflexões femininas. A mulher solteira, a casada, a amante, a mãe generosa e a mãe egoísta. A mulher do lar e da vida. A mulher submissa e a guerreira... Todas essas mulheres fazem parte do enredo desta obra, que coloca a mulher como ponto focal e central, mas nem por isso, isenta de imperfeições. Certas Mulheres foi construído a quatro mãos, o feminino e o masculino escrevendo sobre um único tema: a Mulher e suas relações, paradoxos, medos, angústias e revelações.
    Show book
  • Morri por educação - Dezessete contos desgraçados - cover

    Morri por educação - Dezessete...

    Nathalie Lourenço

    • 0
    • 0
    • 0
    Este livro que o leitor agora tem em mãos e começa a folhear é também sobre a tragicomédia da vida. Situações indizíveis, pensamentos peculiares, algo de intensamente triste, algo de intensamente lírico. Há um realismo chão e há, irmanada, uma possibilidade quase mística de encanto pelo outro. O trejeito. O desalinho. Encontra-se aqui a lágrima pretendida e um fundo de dor em cada gargalhada. E como há gargalhadas. E como há lágrimas. Nathalie Lourenço traz tudo isso à tona. Seus personagens estão sempre a nos lembrar o tanto que temos de um pouco ridículos. E de um pouco bonitos.Apesar de ser um livro de estreia, Morri por educação já nos apresenta uma escritora experiente, segura do que as suas histórias têm para contar e hábil para nos conduzir pela leitura. Provável fruto de uma longa trajetória escrevendo crônicas, poemas e contos, publicados em revistas literárias, antologias, sites e blogs variados. É emblemático em seu texto, assim como nesse livro, o dom que Nathalie tem para extrair intensidade da minúcia. Um mobiliário inusitadamente decorado, um vestuário mal-ajambrado, algum hábito ou vício, uma indisfarçada reação inconsciente, um apelido, ou mesmo um pequeno animal de estimação. Estes, e tantos outros, podem parecer meros detalhes, mas o leitor atento perceberá que aqui eles ganham uma vida nova, ajudam-nos a ler o mundo, e se tornam verdadeiros personagens coadjuvantes de cada um destes dezessete contos desconcertantes.A grande força, a estupenda e inconfundível beleza dos contos de Nathalie Lourenço está, portanto, nessa oferta inseparável de tristeza e riso, dor e alegria, choro e prazer. Finalista da Maratona Literária, Morri por educação já estreia premiado, quem sai recompensado é o leitor.Leandro Jardim
    Show book
  • Travas e trovas - cover

    Travas e trovas

    Luciano Dos Anjos

    • 0
    • 0
    • 0
    Coletânea de pequenas crônicas com as mais diversas e engraçadas situações do cotidiano.
    Show book
  • Pausa - 25 Contos de Moacyr Scliar - cover

    Pausa - 25 Contos de Moacyr Scliar

    Moacyr Scliar

    • 0
    • 0
    • 0
    Um homem busca espaço para apoiar seu cotovelo ao lado de uma mulher gorda no avião. O amor do ventríloquo se expressa pelas vozes dos seres inanimados. A vaca é transfigurada em fonte de alimento, de sonho, de desejo. Moacyr Scliar surpreende até quando se propõe a ser simples, como a saída que encontra para vencer o estresse no conto Pausa, ou quando conta sem floreios o que faz um corretor de imóveis para vender um apartamento de cobertura.Sua matéria-prima é o que sabemos e o que não queremos saber da vida. Suas ferramentas são o insólito e o surpreendente. Ler Moacyr Scliar estimula a curiosidade, dá medo, faz rir, arrepia, chega a desafiar a inteireza do estômago, o ritmo da respiração. Ao final, a arte se recompõe, nos afeiçoamos à mais estranha das criaturas, acostumamos com os mais indigestos rituais, nos apaziguamos diante das cruezas humanas e aceitamos que Moacyr tinha razão: o ser humano é mesmo esquisito.Em meio aos contos reunidos neste audiolivro há também a fantasia, que cresce desmesuradamente em No Seio de Abraão, e o delicado lirismo da história do ventríloquo que não consegue expressar o seu amor.Outros contos, como O Tio Pródigo, Escalpe, Bandido, O Candidato, Comendo Papel e Uma Vaga vão fundo na vileza, no desejo desenfreado, na capacidade de engendrar caminhos obscuros do ser humano. Também o olhar e o humor juvenis aparecem afiados em O Dia em que Matamos James Cagney, O Índio, Um Mentiroso, Aquele Velho e Ressurreição.
    Show book
  • O elo invisível - cover

    O elo invisível

    Patricia Maia Noronha

    • 0
    • 1
    • 0
    Existe quase sempre um elo, um aro, um anel, uma fotografia, um medalhão… objeto ou ideia que nos liga a algo ou a alguém. Afinal, não somos nós gregários e elementos da tribo? De uma qualquer tribo, a qual e por vezes, apenas acidental e circunstancialmente integramos, mal conhecendo o(s) outro(s) e a ele(a) nos ligando por um qualquer fio condutor geralmente por demais invisível ao olhar e sentir do outro elo. O da união. Do comum. Da partilha. (...) A escrita é limpa. Depurada. Despojada de adereços mas fulgente como a vida. A vida sem concessões.
    — Paulo Neto, director da revista literária "aquilino"
    Show book