Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Veludo Fino - Uma Coletânea de Versos e Amores - cover

We are sorry! The publisher (or author) gave us the instruction to take down this book from our catalog. But please don't worry, you still have more than 500,000 other books you can enjoy!

Veludo Fino - Uma Coletânea de Versos e Amores

Saulo Pavão

Publisher: Cia do eBook

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Veludo Fino – Uma Coletânea de Versos e Amores é uma Obra em textos Ecléticos.
Hora Livres, hora amarrados, Poemas Simples ou Complexos, Carpintados em Letras Musicais, ou em Reflexões Poéticas, ou Existenciais. Escritos entre os Anos de, 2003 e 2019, e estão divididos em Três Capítulos.
Tânia – A Musa: Totalmente dedicado a Mulher como Figura de Inspiração, Inspiração de Amor. Tendo Tânia como Figura Principal.
Reflecsons: Poemas e Textos Reflexivos, voltados à Existência, e a Relação Relativa entre as Pessoas e suas Músicas.
Veludo: Poemas Escandilados em Variadas Formas. Entre os Poemas de, Veludo, dez deles deram origem ao Álbum de Música Pop Instrumental, Veludo Fino, de Saulo Pavão, lançado originalmente em 2015, e relançado em todas as Plataformas Digitais em 2020.
Capítulos 1 e 2 foram escritos entre os Anos de, 2012 e 2019. Todos estes Textos foram Publicados na Internet, Instagram e/ou Facebook. Capítulo 3 foi Escrito no Ano de 2003.
Available since: 04/12/2021.

Other books that might interest you

  • De amor ardem os bosques - cover

    De amor ardem os bosques

    Maria Azenha

    • 0
    • 1
    • 0
    Há qualquer coisa de panteísta na poesia de Maria Azenha. O sagrado confunde-se com a natureza em intensa viagem por seus versos, e os sentidos desdobram-se em dimensões dormentes, que só o poema proporciona. A rebeldia instintiva dos bosques serve de cenário a um profundo diálogo com a existência metafísica de objetos, sentimentos, animais e plantas. Em seu novo livro De amor ardem os bosques, dividido em cinco folhas, Maria Azenha conduz e envolve o leitor por diferentes momentos dessa interação. A poeta portuguesa não se faz só e chama para seus versos autores consagrados, com quem conversa sobre elementos diversos, como árvores, amor e nuvens, imagens, simbólicas e concretas, simbioticamente ligadas, que aqui transcendem seu sentido original e previsível.
    Show book
  • Escravos - cover

    Escravos

    Antônio Frederico de Castro Alves

    • 0
    • 0
    • 0
    Os Escravos é uma coleção de poemas do escritor brasileiro Castro Alves com temática centrada no drama da exploração dos escravos. Em função de sua renhida luta contra pelo fim da escravidão no Brasil, este poeta ficou conhecido como "Poeta dos Escravos". Este volume, publicado postumamente em 1883, recolhe muitos dos poemas que tornaram Castro Alves um símbolo da luta dos que não tem voz, como lembra Pablo Neruda em poema dedicado a Alves: "em portas até então fechadas para que, combatendo, a liberdade entrasse". (Sumário adaptado da Wikipedia por Leni)
    Show book
  • Se o mundo é redondo e outros poemas - cover

    Se o mundo é redondo e outros...

    Paula Scott

    • 0
    • 0
    • 0
    O poeta brasileiro Paulo Scott, nascido em Porto Alegre, 1966, é autor de seis livros de poesia e seis de prosa, muitos deles premiados e um que foi adaptado para o cinema para um longa-metragem de Gustavo Spolidoro (2008). Nesta inédita reunião, 'Se o mundo é redondo e outros poemas', Scott traz toda a sua originalidade, com o registo imagético da realidade circundante e o cruzamento de vozes e dicções diversas. A voz única deste poeta, já consagrado pela multiplicidade de premiações que alcançou desde que iniciou o seu percurso literário em 2001, traz ritmos elípticos, planos de perceção, espaços urbanos onde a poesia mostra os dramas cotidianos de vidas ordinárias. Como bem apreciado pelo prefaciador, o escritor e crítico de poesia António Carlos Cortez, a arte poética de Scott está em, justamente, registar tudo aquilo que, para poetas eloquentes, não teria suficiente importância. Trata ele da solidão que reside na banalidade, esta que não é mostrada nos inventários pessoais de vitórias. De certa forma, em seus poemas há a evocação, em uma voz única e inteiramente diversa, do sentimento do 'Poema em linha reta' pessoano: a sensação do não-lugar, do convívio intenso e cruel com o real, matéria que não é sujeita às biografias e, portanto, inservível àquele mundo redondo e perfeito, de gente que não "leva porrada", bem diverso de um outro mundo, "ridículo, absurdo, grotesco, mesquinho, submisso e arrogante", que é o da poesia.
    Show book
  • Estado de acédia - cover

    Estado de acédia

    Gregorio Muelas Bermúdez

    • 0
    • 0
    • 0
    'Estado de acédia' faz eco da sensação de agrura que produz um mundo infestado de desigualdades e injustiças e onde abundam os sentimentos de nostalgia e de melancolia. Os poemas aqui reunidos partilham, pois, uma mesma vocação de crítica social, mas através dum olhar culturalista, porque a poesia é uma arma carregada de esperança. Esta nova obra de Gregorio Muelas apaga limites em todos os sentidos. No da tradição poética, ao não romper com o passado e assumir registos diferentes, no formal [...], mas também na fusão dos conteúdos. Assim, encontramos Antonio Machado (evocado no título de Caminhos sobre o mar) para negar as fronteiras marinhas e territoriais; voltamos à herança cultural grega (O sonho de Ítaca) para mostrar-nos a tragédia da imigração; e o leitor avisado notará a presença tácita de Anna Ajmátova (Casas de Fontaka), que foi testemunha do assédio alemão na janela da sua residência numa dessas casas junto ao canal do Neva em Leninegrado.
    Show book
  • Acetetos - (poesia) - cover

    Acetetos - (poesia)

    Marcelo Aceti

    • 0
    • 0
    • 0
    Sete! Sete páginas, sete olhares, sete cores, sete linhas, sete notas, sete noites, sete vidas; sete livros! Acetetos reúne 49 textos inéditos em livro, apresentando o ritmo e a métrica do formato introduzido por Marcelo Aceti em seus poemas. Os “meios sonetos” desta obra revelam uma escrita singular, impregnada pela acidez e pela paixão do seu olhar atento sobre o mundo, a vida, - a morte - e a arte.
    Show book
  • Flores de Inverno - cover

    Flores de Inverno

    Filipa Amaral

    • 0
    • 0
    • 0
    É sobre a beleza resiliente, sobre a intensa resistência que conforma a vida, que Filipa Amaral escreve em "Flores de Inverno". Nasce entre as suas poesias um manifesto contra a desumanização provocada pela exaustão e a ignorância e, simultaneamente, um apelo ao que de belo permanece entre nós. Ante o questionamento e reflexão exigidos por cada um dos seus textos, a poeta apresenta-nos a busca pelo que é estável e perene num mundo dominado pela efemeridade e azáfama. Em 76 poemas livres, Filipa Amaral fala-nos "dos sorrisos francos, mãos generosas, esperanças grandes" numa exploração da sua maneira de ver, sentir e dizer. Presta homenagem aos "homens francos" que "dançam ao sol e ouvem música nos ares que cada vez mais poucos escutam". E evoca a coragem de permanecer, em nós, as flores resilientes que enfrentam e superam o mais inóspito inverno.
    Show book