Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Ideias e Revoluções Ed 12 - Vacinação - cover

Ideias e Revoluções Ed 12 - Vacinação

Klub Editorial

Publisher: Klub Editorial

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Quem não se vacina não coloca apenas a própria saúde em risco, mas também a de seus familiares e outras pessoas com quem tem contato, além de contribuir para aumentar a circulação de doenças.Tomar vacinas é a melhor maneira de se proteger de uma variedade de doenças graves e de suas complicações, que podem até levar à morte. Desde o descobrimento da primeira vacina até a imunização em massa contra a covid-19.

Other books that might interest you

  • História Cultural - reflexões contemporâneas - cover

    História Cultural - reflexões...

    Alcides Freire Ramos, Rosangela...

    • 0
    • 0
    • 0
    É com alegria e orgulho que estamos lançando a presente Coletânea, intitulada “História Cultural: reflexões contemporâneas”. Ela é fruto das discussões ocorridas nos eixos temáticos, durante o último evento do GT Nacional de História Cultural. 
    Esse grupo, desde 2001, vem mantido ativo o espaço de debates em torno de temas já consagrados no âmbito da História Cultural, sempre estimulando reflexões acerca de perspectivas teóricas e metodológicas, que dão base para os campos de interlocução do historiador cultural.
    A nona edição do evento, ocorrida em 2018, se propôs a esquadrinhar, de maneira aprofundada, uma temática de grande interesse para os historiadores, a saber: “Culturas – Artes - Políticas / Utopias e distopias do mundo contemporâneo: 1968 – 50 anos depois”.
    Esse tema central permitiu muitas possibilidades de trabalho, os quais poderão ser, agora, desfrutados pelos leitores interessados em aprofundar seus conhecimentos. Com efeito, os leitores terão a oportunidade de encontrar uma pequena, porém rica, parcela das discussões e reflexões oriundas do campo da História Cultural, apresentadas por autores de diferentes instituições, os quais, apesar de suas especificidades, possuem como elemento orientador a interdisciplinaridade e o exercício de acuidade teórico-metodológica.
    Sendo assim, os problemas centrais ofereceram a oportunidade para refletir acerca das diferentes maneiras de produzir conhecimento em História em sua interface com as questões teórico-metodológicos atinentes aos diálogos com as memórias, com as artes e com o pensamento político.
    Na verdade, nas últimas décadas, os horizontes investigativos e de pesquisa do Historiador Cultural ampliaram-se, sobretudo graças aos estímulos proporcionados por temas e objetos privilegiados pelos historiadores que se voltam para esse campo.
    Com esta breve apresentação, esperamos que a diversidade e riqueza de análises reunidas nesta coletânea possam encantar e inspirar nossos leitores.
    Show book
  • Alexandre o Grande - cover

    Alexandre o Grande

    Johann Gustav Droysen, Regina...

    • 0
    • 0
    • 0
    "Outrora vós éreis miseráveis e erráveis através das montanhas com vossos rebanhos, sem teto, expostos aos ataques de trácios, tribalos e ilírios. Meu pai vos domiciliou em aldeias e cidades. Substituiu vossas peles de animais pelo uniforme dos guerreiros. Ele vos tornou senhores dos bárbaros da vizinhança. Abriu para a vossa indústria as minas do Pangaion e permitiu que vossos navios singrassem os mares. Pôs a vossos pés a Tessália, Tebas, Atenas e o Peloponeso. Exigiu, e obteve, a hegemonia suprema sobre todos os helenos para marchar contra os persas. Tudo isso fez Filipe. Grandes coisas por si mesmas; mas nada, quando comparadas ao que foi realizado depois."
    
    
    Discurso de Alexandre às tropas macedônias na Babilônia
    
    * * *
    
    Alexandre teve uma vida curta e prodigiosa. Filho de rei, discípulo de Aristóteles, ainda muito jovem concebeu o projeto de uma monarquia universal que unisse os povos do Ocidente e do Oriente até o limite da Índia, então considerada a fronteira do mundo. Tornou-se rei com vinte anos de idade e se entregou a esse sonho.
    
        Completou a obra do pai, Filipe, que começara a transformar uma região periférica em uma potência militar. Consolidou a liderança da Macedônia sobre o mundo grego. Desafiou e venceu o invencível Dario, rei dos persas. Realizou campanhas prodigiosas, tomou fortalezas inexpugnáveis, sitiou cidades poderosas, sempre em inferioridade numérica. Fez marchas impossíveis, atravessou montanhas, desertos e rios, alterou o rumo de batalhas que estavam perdidas e nunca foi derrotado. Foi generoso e cruel.
    
        Conquistou as terras que hoje formam a Grécia, a Turquia, a Síria, o Líbano, o Egito, o Afeganistão e a Índia, além da Pérsia. Miscigenou populações, religiões e culturas. Incorporou os vencidos ao exército e à corte. Fundou cidades. Abriu novas rotas terrestres e marítimas. Estimulou as trocas comerciais. Modernizou a administração. Financiou pesquisas científicas.
    
        Morreu em 323 a.C., antes de completar 33 anos, quando se preparava para anexar toda a orla do Mediterrâneo. Sua morte e o posterior desmembramento do império abriram caminho para ascensão de Roma. O mundo já era, definitivamente, outro: a cultura grega havia se difundido e, ao mesmo tempo, recebera a influência dos povos asiáticos. Começava o período helenístico, com a dissolução de identidades locais e o surgimento da ideia de uma humanidade homogênea, unificada pela cultura.
    
        Alexandre não teve um Homero que cantasse seus feitos. Foi esse o desafio a que se entregou o historiador alemão Johann Gustav Droysen. Formado em filologia clássica, fluente em grego e latim, apaixonado por história antiga, excepcionalmente culto, ele usou todas as fontes disponíveis ? Plutarco, Quinto Cúrcio, Tucídides, Xenofonte ? para recompor a trajetória do rei. Fez uma obra-prima. Helmuth Berve escreveu: "A graça e a facilidade da exposição de Droysen fazem esquecer o incrível labor científico que precedeu a redação definitiva da obra. O estabelecimento e a combinação dos detalhes de ordem histórica, geográfica ou filológica, as pesquisas sobre a estratégia e os meios com os quais foram executadas as grandes operações militares, os estudos de cronologia e todos os trabalhos preliminares desse tipo se dissolvem e desaparecem na arquitetura do conjunto."
    
        Alexandre o Grande é um livro definitivo, que une o prazer da leitura e informação cultural da maior qualidade.
    
              César Benjamin
    Show book
  • Os Direitos do Idoso - cover

    Os Direitos do Idoso

    Luiz Augusto Flores

    • 0
    • 0
    • 0
    Disponibilizamos o livro digital ilustrado colorido de história em quadrinhos do conhecimento ”Os Direitos do Idoso”, cujo conteúdo foi editado com base na Lei Federal nº 10.741 de 01 de outubro de 2.003 e suas atualizações, lei também chamada de Estatuto do Idoso. Transformados os termos jurídicos para linguagem simples, de fácil entendimento e leitura, apresentando seu conteúdo de leitura nos balões de diálogo entre o personagem um idoso e o personagem o jornalista da editora, que esclarece as dúvidas sobre o estatuto do idoso.
    Show book
  • Armas Brancas - Lanças espadas maças e flechas – como lutar sem pólvora da pré-história ao século XXI - cover

    Armas Brancas - Lanças espadas...

    Antonio Luiz M. C. Costa

    • 0
    • 0
    • 0
    '\''Conheça as armas utilizadas pelas culturas humanas para travar suas batalhas quando a pólvora não é uma opção.Escrito por Antonio Luiz M. C. Costa, de “Títulos de Nobreza e Hierarquias: um guia sobre as graduações sociais na história”, autor de ficção especulativa e editor de política internacional da CartaCapital. Este é um elaborado compêndio sobre armas brancas e suas características, indispensável em qualquer coleção para quem quer pesquisar ou criar, seja em RPGs, games, literatura e todas as formas de ficção.Facas de pedra, machados de bronze, espadas de aço, lanças, bestas, azagaias, manguais. Objetos que transformaram jovens em conquistadores, fazendeiros em imperadores, santos em assassinos e heróis em monstros. O homem carrega armas consigo desde sua origem, uma relação de amor e ódio que o ajudou a unificar tribos, erguer civilizações e derrubar impérios.Com um texto prazeroso e ao mesmo tempo muito informativo, entenda do que são feitos e como se utilizam esses instrumentos de guerra nas culturas de nosso mundo – e de outros da ficção, pois espadas famosas e sabres de luz também são lembrados.Baixe uma amostra agora mesmo e confira o excelente conteúdo• Clavas e maças • Martelos, malhos e picaretas • Facas, adagas e punhais • Espadas de um ou dois gumes • Espadas de estocada • Famosas armas da história e da ficção • Chicotes, manguais, cordas e correntes • Bestas e arcos simples e compostos • Shurikens, machadinhas e dardos\'''
    Show book
  • Parte 3 - Samkhya a Filosofia Ateísta Índia - cover

    Parte 3 - Samkhya a Filosofia...

    Orlando Alves

    • 0
    • 0
    • 0
    Nesta parte final da filosofia Samkhya vamos abordar:A formação dos princípios constitutivos do homem, o entendimento dos sentidos e suas diferentes classes bem como a psicologia do homem.Uma explicação sobr
    Show book
  • O Homem que venceu Getúlio Vargas - Uma batalha política um acerto de contas - cover

    O Homem que venceu Getúlio...

    Paulo Sergio Valle

    • 0
    • 0
    • 0
    Uma parte da história do nosso País volta à tona, revisitada, de forma a esclarecer detalhes que o tempo e os ditames da política se incumbiram de apagar. O homem que venceu Getúlio Vargas é um livro cujo personagem central vivencia uma verdadeira batalha entre sonhos e ideais, verdades e mentiras. Um acerto de contas que coloca a história novamente no seu rumo, sem temer o passado, sem subestimar os verdadeiros homens que autenticaram a política nacional.
    Show book