Join us on a literary world trip!
Add this book to bookshelf
Grey
Write a new comment Default profile 50px
Grey
Subscribe to read the full book or read the first pages for free!
All characters reduced
Poderosos pedófilos - cover

Poderosos pedófilos

Amaury Ribeiro Jr.

Publisher: Matrix

  • 0
  • 0
  • 0

Summary

Eles têm posições de destaque na sociedade. São juízes, delegados, procuradores de Justiça, empresários de sucesso. Do alto de suas atuações poderiam estar ajudando diversas pessoas, promovendo o progresso e combatendo bandidos. Mas praticaram um dos mais hediondos crimes: o abuso sexual de menores de idade. 
Prepare-se para uma das mais ousadas investigações jornalísticas do Brasil, no relato contundente de Amaury Ribeiro Jr.  
Ao longo de vinte anos de trabalho, com muito sangue frio, astúcia e inteligência, o autor se embrenhou por regiões onde pobreza extrema, ganância, famílias desestruturadas e certeza de impunidade criam condições para a atuação de pedófilos poderosos. Gente que muitas vezes se diz defensor da moral e dos bons costumes. Muitas crianças devem a vida ao trabalho aqui apresentado. A coragem e o profissionalismo do autor ajudaram a lei a atuar. Mas ainda há muito por fazer. Ler este livro é parte desse processo.

Other books that might interest you

  • Brinquedista e Brinquedoteca - Olhares sobre a infância - cover

    Brinquedista e Brinquedoteca -...

    Thiago De Araújo

    • 0
    • 0
    • 0
    O brincar desenvolve a criança de forma integral, em todas as áreas: cognitiva, motora, afetiva, social e até na linguagem. O brincar faz parte do ser humano, do nosso comportamento, mas, a cada dia, estamos brincando menos, estamos deixando de brincar com nossas crianças, estamos terceirizando esse processo de aprendizagem tão importante para a infância. Nesse processo, estamos a cada dia perdendo mais espaço, inclusive em escolas de Educação Infantil.
    
    Mas o que é brincar? Existe fórmula ou uma receita para isso? Existe um espaço adequado? Este livro espera ser o pontapé inicial, para mostrar e trazer ao debate a importância do brincar e que ele é de todos!
    Show book
  • O vilão dos mares: resíduos plásticos - cover

    O vilão dos mares: resíduos...

    Roberto Estigarribia

    • 0
    • 0
    • 0
    A Sustentabilidade é um conceito relacionado ao desenvolvimento sustentável, ou seja, formado por um conjunto de ideias, estratégicas e demais atitudes ecologicamente corretas, economicamente viáveis, socialmente justas e culturalmente diversas. Serve como alternativas para garantir a sobrevivência dos recursos naturais do planeta, permite aos seres humanos e sociedades soluções ecológicas de desenvolvimento. A globalização e responsabilidade social da humanidade deve ser sustentável para garantir sua própria existência. 
    O Vilão dos Mares tem como tema central o plástico, essa matéria prima revolucionou o mercado mundial das embalagens facilitando o aumento da produção industrial, entregando ao consumidor, segurança sanitária, aspecto visual do produto e qualidade do produto. O que o autor chama de desvio de conduta é a forma irregular para o descarte desses materiais plásticos. Os quais estão matando a Biodiversidade Marinha de forma galopante e assustadora. Biomas Costeiros e manguezais são áreas extremamente complexas e importantes para a vida marinha e o meio ambiente dessas espécies. O manguezal é o berço natural das espécies marinha, nascentes, cachoeiras, rios, e lagoas são áreas importantíssimas de preservação natural e todos nós devemos proteger e cuidar para não poluir a natureza. 
    Em sua narrativa O Vilão dos Mares compartilha com seus leitores, pesquisas sobre o Aquecimento Global e a ultima Glaciação no Planeta. O volume de Água Potável disponível para consumo industrial, humano e, animal. Coletores do passado e presente em nossa cultura. A Amazônia regula a temperatura do planeta e recentemente uma grande descoberta de Corais indica ser este um bioma único no mundo. 
    “Em 2050 poderá haver mais plásticos do que peixes nos oceanos; diz preocupado 
    o autor. Precisamos interagir com a natureza! Não existe o fora! Pense Nisso!
    Proteger a Natureza é Dever de Todos!
    Seja Consciente!  Recuse – Recicle – Reutilize – Reaproveite – Separe o orgânico do material reciclado – Adote o cidadão reciclador da sua rua.
    
    Boa leitura!
    Show book
  • Tempo e memória: - interfaces entre os campos da comunicação e da história - cover

    Tempo e memória: - interfaces...

    Antonio Hohlfeldt, Ana Regina...

    • 0
    • 0
    • 0
    EM MEIO ÀS DISPUTAS CONTEMPORÂNEAS pelo passado, em que a historiografia está sendo contestada e em que versões da memória estão sendo transformadas por discursos políticos conservadores e neoliberais em várias partes do globo, estamos procurando pontos de equilíbrio que possam nos situar entre construções memoráveis de identidades híbridas que atravessem temporalidades e nos indiquem caminhos diversos e possíveis a seguir.
    O livro Tempo e memória – interfaces entre os campos da comunicação e da história reúne textos de distintas perspectivas que abordam, de forma integrada, os temas elencados no título, nos campos da história e/ou da comunicação, vislumbrando as imbricações permissíveis pelas relações entre passado, presente e futuro.
    Show book
  • Coletânea acadêmica jurídica - cover

    Coletânea acadêmica jurídica

    Almeida Author, Godinho Author

    • 0
    • 0
    • 0
    Fiéis ao ideal que nos acalenta, nos acolhe a alma e nos ajuda a viver, o livro está marcado, claramente, pela juventude das ideias. Um livro novo, com ideias novas acerca dos atuais temas jurídicos e correlatos, desde a sua estrutura e formação até a produção dos seus efeitos.
    
    A obra está inteiramente atualizada. Incorporamos cuidadosamente as modificações legislativas que alteraram as matérias e fazemos alusão às mais recentes manifestações jurisprudenciais, deixando a obra atualizada para ser consultada por estudantes e estudiosos.
    Show book
  • O dono do nada - vidas precarizadas no capitalismo contemporâneo - cover

    O dono do nada - vidas...

    Augusto Keffer Franco Netto Author

    • 0
    • 0
    • 0
    Esta obra investiga a estruturação de justificativas morais de engajamento social ao capitalismo flexível-financeiro-informacional através de estratos históricos que se superpõem e se renovam, bem como sua expressão em produção cinematográfica recente, estabelecendo a interdisciplinaridade entre filosofia, historiografia, sociologia e arte. Para esta investigação, analisamos o modelo de engajamento do empreendedor-de-si-mesmo, mobilizada por um conjunto de valores, o homo economicus senhor de suas potencialidades, sujeito racional de seu próprio interesse que busca maximizar seus investimentos em um ambiente de risco. Modelo de conduta lapidado a partir de conflitos sociais entre governantes e governados em 1968, encontrando em suas justificativas morais de engajamento social restos de valores de outras épocas, revistos e reeditados em novas roupagens. A promoção da obediência é investigada por meio de seus estratos históricos, revelando a relação primordial entre credores e devedores e seu processo secular de internalização psíquica. O desenvolvimento do individualismo, desde o cristianismo primitivo até sua emancipação enquanto categoria econômica, a partir do século XVII, bem como seu triunfo em nossa época, é também pesquisado, enquanto elemento-chave para a compreensão da subjetividade neoliberal. A crítica ao modelo de conduta do homo economicus com o advento da crise financeira de 2008 é analisada em confronto com a vivência temporal precarizada do empreendedor-de-si-mesmo, tal qual dramatizada no filme Sorry We Missed You do diretor britânico Kenneth Loach, revelando o empobrecimento da experiência temporal em um contexto de destruição de direitos trabalhistas, desregulação crescente, aumento de informalidade, trabalho intermitente e uso extensivo de dispositivos de controle tecnológico de performance. Trata-se de uma nova morfologia do trabalho marcada pela promoção permanente da insegurança e do medo que se traduz no encolhimento do espaço de experiências e horizonte de expectativas. Vivemos sob a crise da subjetividade neoliberal em que seus paradoxos têm sido amplificados. Esta pesquisa sugere a emergência da imagética empobrecida do ser humano calculista de suas dívidas e de sua própria miséria, sacrificado sob as garras do capital: o homo economicus precario, ou o dono do nada, nômade errante arremessado ao presente perpétuo em seu vazio existencial.
    Show book
  • O Primitivismo no Pau-Brasil de Oswald de Andrade - originalidade nativa como mensagem do espírito novo - cover

    O Primitivismo no Pau-Brasil de...

    Leonardo de Carvalho Augusto

    • 0
    • 0
    • 0
    O primitivismo no Pau-Brasil de Oswald de Andrade: originalidade nativa como mensagem do espírito novo (1917-1925) foi uma Dissertação animada pela vontade de investigar o desenvolvimento da ideia do primitivismo na controversa obra de Oswald de Andrade. E neste sentido, a tentativa de compreender a natureza histórica deste conceito lida de perto com uma reconfiguração sofrida pelas noções de modernismo e vanguarda na América Latina. Composto por dois capítulos, o estudo pretende no primeiro movimento avaliar a participação do escritor no grupo dos jovens artistas de São Paulo, que durante a Semana de Arte Moderna se insurgiu contra a inteligentsia nacional; e no segundo, analisar como se deu a sua redescoberta do Brasil, depois de um contato estreito com as vanguardas históricas sediadas em Paris.
    Show book